FC2020: RTP com "dois compositores confirmados" para o Festival da Canção de 2020


Em entrevista à RTP,  Nuno Galopim, consultor artístico do Festival da Canção, confirmou que "há dois compositores já confirmados" para a edição de 2020, manifestando o interesse da estação portuguesa em fazer-se representar no Festival Eurovisão de 2020.


Em entrevista a Joana Martins no rescaldo da revelação dos 16 compositores do Festival da Canção 2019, Nuno Galopim, consultor artístico da final nacional portuguesa, falou sobre a metodologia utilizada para a seleção dos compositores da edição do próximo ano. Revelando que os convites estiveram a cargo "do núcleo criativo do Festival, ao qual pertence o Gonçalo Madaíl, a Maria Ferreira, a Carla Bugalho e eu", Nuno Galopim garantiu também que, ao contrário dos anos anteriores, houve o cuidado de "pensar nos nomes, dividindo-os em representatividade de géneros musicais".

Além disso, o jornalista, que teve envolvido no processo criativo do Festival Eurovisão de 2018, retirou o pedido feito aos compositores para que "tragam o seu universo para o Festival e não o Festival para o seu universo". Para terminar, Nuno Galopim referiu que houve mais do que 14 convites, sendo que, "por motivos pessoais, dois compositores não puderam aceitar", ficando a sua presença "agendada" e "confirmada" para o Festival da Canção 2020, o que manifesta o interesse da RTP em participar no Festival Eurovisão de 2020 e de realizar o Festival da Canção como processo de seleção.





Cláudia Pascoal e "O Jardim", tema composto por Isaura, foram os vencedores da última edição do Festival da Canção, cuja Final teve lugar em Guimarães. Na Eurovisão, a canção portuguesa não foi além dos 39 pontos, terminando em 26.º lugar na Grande Final do certame realizado no Parque das Nações, em Lisboa.



Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem/Vídeo: RTP

7 comentários:

  1. Anónimo11:32

    " retirou o pedido feito" ou "reiterou"?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo19:42

    "tragam o seu universo para o Festival e não o Festival para o seu universo". Ora nem mais! Finalmente chegaran a essa conclusão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:22

      É a filosofia da RTP desde 2017... Só alguns compositores é que decidem rever canções do ESC antes de buscar a inspiração dentro dos seus próprios conceitos de trabalho.

      Eliminar
    2. Anónimo12:03

      Sim mas quero acreditar que a ideia tenha sido transmitida com mais afinco a cada compositor este ano e que desta vez não oiçamos "fiz uma canção para o festival, diferente do que fiz até agora".

      Eliminar
  3. Anónimo20:06

    Um grande lol para o Nuno Galopim. Os Sobral e "Amar pelos dois" foram "sorte". Eu nunca vou perdoar o Nuno por ter convencido o júri do Festival da Canção de 1998 a escolher a canção do Cid para representar Portugal no Eurofestival desse ano. "Se eu te pudesse abraçar" é uma canção infinitamente inferior em termos de qualidade às canções "Só o mar ficou" e "Uma lua em cada mão".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:05

      Amar pelos dois tem uma qualidade inquestionável e ganhou em grande parte por isso e por outros factores, um deles não haver nenhuma proposta parecida no meio de tanta gritaria e parafernália.

      Eliminar
  4. Anónimo20:10

    Quem foram as pessoas que escolheram a canção do concurso público? A RTP ia divulgar o nome dessas pessoas, mas não me lembro de ter lido nada sobre esse assunto no escportugal!...

    ResponderEliminar