ESC2019: Produtor avança que a EBU/UER considera a mudança do concurso para a Áustria


Araleh Goldfinger, um dos produtores da edição de 1999, garante que a EBU/UER está a considerar a possibilidade do Festival Eurovisão 2019 ser sediado na Áustria.


O produtor do Festival Eurovisão de 1999, Araleh Goldfinger, manifestou, recentemente, a sua preocupação com as intervenções políticas no planeamento da edição do próximo ano. Questionado por um jornal israelita, Araleh garante que, em 1999, ano em que a Eurovisão decorreu em Jerusalém, o governo não interferiu na organização, "deixando a mesma a cargo de um pequeno número de pessoas da emissora IBA".

Contudo, o produtor garante que a EBU/UER, entidade máxima do evento, está preocupada com as eleições locais em Jerusalém no próximo mês de novembro, o que poderia prejudicar a preparação para o evento. "Não há dúvida que as declarações dos políticos não são úteis, mas essas fazem com que a EBU/UER tome decisões e desperte sentimentos que não gostaríamos que despertassem" afirmou, confessando que teve conhecimento de rumores que a EBU/UER considera a mudança do Festival Eurovisão para a Áustria, em caso de problemas com a organização israelita, "É raro e é quase impossível de acontecer, mas sei que já se falou disso dentro da produção".

Recentemente, a imprensa internacional avançou que a EBU/UER estava a considerar Chipre e Áustria como potenciais anfitriões do certame em 2019, caso a organização fosse retirada a Israel. Contudo, até ao momento, a União Europeia de Radiodifusão não teceu qualquer comentário sobre as notícias.

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix /Imagem: Google

23 comentários:

  1. Anónimo20:37

    Que seja no Chipre que ficou em 2o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:24

      Se calhar Chipre é um pais pobre para poder sediar o concurso, Por isso falam na Áustria.

      Eliminar
    2. Anónimo23:04

      A Áustria têm uma infraestrutura melhor para organizar a eurovisão, mas lembro-me de alguém falar que nas regras do concurso, na impossibilidade do país vencedor não organizar o concurso seria o país do ano anterior a organizar, i.e. Portugal. O que não sei se seria bom ou mau...

      Eliminar
  2. Anónimo20:54

    Porque austria e não o Chipre que ficou em 2 lugar

    ResponderEliminar
  3. Anónimo21:09

    Vai ser em Lisboa. Ficou mais ou menos decidido...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:42

      Eu também já ouvi dizer isso.

      Eliminar
  4. Anónimo21:21

    Era justo que fosse no Chipre

    ResponderEliminar
  5. O meu primo que trabalha na EBU já me confirmou que a Eurovisão para o ano será na casa da Valentina Monetta, no dia 32 de maio!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:05

      Adorava se fosse em San Marino #justiceforvalentina

      Eliminar
  6. Anónimo23:46

    Já ouvi que seria em Limassol, segunda maior cidade do Chipre.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo07:26

    Raro e quase impossível? Esta gente já que esqueceu que em 1980 nao podiam assegurar a organização e lá pediram à Holanda para fazer tudo em cima do joelho ... UK 1960, 1963, 1972, 1974 ... raro? Esta gente veio para o século XIX esquecendo-se de 45 anos do concurso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:59

      Adorei essa do séc. XIX... Hihi

      Eliminar
  8. Anónimo12:32

    Madrid teve a Eurovisão 4 anos seguidos... Porque não Lisboa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:37

      Foram 3 anos seguidos e foi na Irlanda, mais concretamente Millstreet e dois anos no mesmo local em Dublin.

      Eliminar
    2. Anónimo16:50

      Se for ver, Madrid teve mesmo 4 anos seguidos, dois deles a seguir a segunda vitoria de Espanha.

      Eliminar
    3. Anónimo16:56

      Esqueça, foi o ano de 4 vencedores, todos empatados.

      Eliminar
    4. Anónimo16:59

      Madrid? Wtf foi so uma vez...

      Eliminar
  9. Anónimo15:37

    Bem, a Europa e o Mundo ficam de braços cruzados até Novembro, então, pelo menos, à espera que a EBU se digne a tomar uma posição concreta e definitiva sobre onde será feito o ESC2019. Após essa decisão, como o país organizador vai ter de fazer tudo encima do joelho, à míngua de tempo, o ESC vai ser feito em qualquer buraco, quiçá muito próximo de uma palhota...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:05

      A Áustria, "um buraco, quiçá muito próximo de uma palhota"? Algum país que participa no ESC é "um buraco, quiçá muito próximo de uma palhota"? Não: os países que participam no ESC não têm pessoas a viver em palhotas, por muitas disparidades que haja entre eles. "Encima" do joelho? Penso que não. E "enbaixo" do joelho também não...

      Eliminar
    2. Anónimo21:40

      Como as coisas estão a EBU vai ter que fugir de Israel devido ao conflito Israelo-Palestiniano e vai ter que fazer a Eurovisão 2019 num campo de refugiados

      Eliminar
  10. Rui Ramos15:53

    Madrid recebeu o ESC uma unica vez

    ResponderEliminar
  11. Anónimo20:29

    Adorava que, como aqui já se referiu, fosse o país vencedor do ano anterior a voltar a organizar o ESC (neste caso Portugal). E, já agora, que fossem São Marino ou Malta a ganhar. Como não têm um espaço tão grande como o que agora se requer para organizarem o espetáculo, voltaria a ser Portugal a organizar. Assim, a canção portuguesa seria sempre finalista e, de ano para ano, Catarina Furtado aprenderia pelo menos a dizer os números corretamente em inglês (deixaria de dizer "eighty-eighty" e talvez conseguisse dizer "eighty-eight": é difícil, mas não é impossível…).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:39

      Ahahahah, pensava que tinha sido o único a reparar 😂😂

      Eliminar