Lo Stato Sociale: "Queríamos acabar em penúltimo lugar e fizemos exatamente o contrário"


O grupo Lo Stato Sociale, segundo classificado no Festival de Sanremo 2018, não poupou nos elogios à dupla vencedora: "Eles eram fortíssimos com uma canção que parece ter sido tocada por Deus".


Apontados como um dos grandes favoritos à vitória, o grupo Lo Stato Sociale arrecadou, na noite passada, o segundo lugar na categoria Campioni do Festival de Sanremo 2018. "Começamos por criar uma boa piada... e essa piada tornou-se gigante. Não tínhamos qualquer ambição competitiva, mas quisemos vir aqui. (...) tentámos trazer uma canção com que nos identificássemos. Ter vindo aqui com uma canção de amor teria sido estranho..." afirmou Lodovico Guenzi, vocalista do grupo, afirmando que o objetivo era escapar ao último lugar: "Nós queríamos acabar em penúltimo lugar e fizemos exatamente o contrário... É muito estranho ainda".

Questionado sobre as esperanças do triunfo, o vocalista do grupo referiu que estavam conscientes das possibilidades: "Era claro para todos que o Ermal e o Fabrizio eram os candidatos mais fortes... mas também foi tudo tão surreal, que sempre dissemos que qualquer coisa poderia acontecer. Mas eles são duas personalidades fortíssimas, com uma grande audiência unida em prol de uma canção que parece ter sido tocada por Deus".

Paddy Jones, a bailarina que fez furor nas redes sociais (como pode recordar AQUI), garantiu que a participação no Festival de Sanremo foi uma das melhores experiências da sua longa vida: "Estamos muito felizes, porque nos divertimos imenso e conseguimos compartilhar a alegria com todos. Foi uma experiência fantástica e os Lo Stato Sociale são pessoas maravilhosas".


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: rivierapress.it / Imagem: Google /Vídeo: YOUTUBE

2 comentários:

  1. Anónimo18:03

    Se fossem com esta canção a Lisboa, seriam uma das piores classificações da Itália no ESC.
    A mensagem entende-se mas a canção é muito fraca aos olhos internacionais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:32

      Concordo e para além disso têm um discurso meio tolo.

      Eliminar