[ZONA DE DISCOS #21] Loboda - “H2LO”

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Esta semana o destaque vai o mais recente disco de Loboda.
 O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.



Data de lançamento: 24 de março de 2017
Nota: 9/10


Como tudo na vida, todos os acontecimentos e, consequentemente, manifestações artísticas, necessitam de contextualizações, sob pena de uma prestação avulso dar a imagem de algo completamente exagerado, sem sentido, uma entrada grátis para um número de circo naquilo que era suposto ser um espectáculo musical, que foi o que, em bom rigor, aconteceu na Eurovisão moscovita de 2009, através da prestação ucraniana. Svetlana Loboda é (juntamente com as russas Serebro) a versão pop de sex, drugs & rock ‘n’ roll e, lançando um olhar panorâmico a todo o trabalho de Svetlana, é evidente que Loboda não é uma artista padronizada, conseguindo, quase 20 anos após a sua entrada no mundo do espectáculo, o raro feito de surpreender, colocando-a num patamar ímpar de fazer inveja a estrelas mundiais, como é o caso de Lady Gaga, sim, Lady Gaga, e isto não é um comentário de um euro fã que fica deslumbrado com qualquer coisa que leva o selo eurovisivo, mas sim de alguém que não se rendeu ao exagero desesperado de “Be My Valentine (Anti-crisis girl!)”. 

Mortes, assassinatos, armas de fogo, armas brancas, sangue, asfixias, transgressões à lei, obsessão, vingança e muita tensão sexual são alguns dos temas recorrentes para as expressões visuais (vídeo clipes) de Loboda. Vídeos complexos (e economicamente dispendiosos) desenvolvidos a partir de guiões suportados por alguma esquizofrenia artística, estabelecendo uma conexão íntima e necessária entre música e imagem (como todo o universo pop). Todos os atributos acima descritos estão bem explorados em “H2LO”, oferecendo ao ouvido algo que se pode designar de renovado euro pop com refrões bastante potentes.

A referida linha musical estende-se ao longo da primeira parte do disco, dando lugar, a partir do tema nº 8 “Не Нужна” (“Ne Nuzhna”) – tema lançado em março de 2015 e com um vídeo filmado em Portugal (!!!) – a um carácter mais intimista, mas longe do nosso conceito português de “balada comercial para rádio”.

 “H2LO” surpreende pelo conjunto de temas fortes, apresentando singles lançados entre 2015 e 2017, dos quais destacamos, pelo lado mais ritmado, “Твои Глаза” (“Tvoi Glaza”) – o 4º single – e, pelo lado mais lento, “Текила-Любовь” (“Tekila-Lyubov'”). No geral, “H2LO” parece-nos bem pensado, com um latente “Lado A” e “Lado B”, incluindo, contudo, desnecessariamente, “Танцую Волосами” (“Tantsuyu Volosami”), tema que trocaríamos por algum dos singles que não ficaram incluídos na nova oferta em modo longa-duração de Loboda!

 O primeiro single: “Не нужна” (vídeo filmado em Portugal)
 O segundo single: “Пора домой”
 O terceiro single: “К ЧЕРТУ ЛЮБОВЬ”
 O quarto single: “Твои Глаза”
 O quinto single: “Случайная”
 Tema destacado por Carlos Carvalho: “Убей меня” (versão diferente da constante no disco)
 Tema em falta: “ОБЛИШ”
     

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIAO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

1 comentário: