À revista Notícias Magazine, Simone de Oliveira abre o livro de recordações e confessa que foi a 4.ª artista a ser escolhida para cantar "A desfolhada portuguesa" no Festival da Canção 1969. Uma grande entrevista feita às portas do musical inspirado na sua vida e carreira que estará em cena a partir de setembro. 

"Fui a quarta escolha", confessa Simone de Oliveira numa grande entrevista à revista Notícias Magazine. A primeira terá sido Madalena Iglésias. "O Zé Carlos [Ary dos Santos] escolheu a Madalena Iglésias que não quis cantar a frase ­«quem faz um filho fá­‑lo por gosto»". Uma canção que ficou para sempre agarrada à pele de Simone de Oliveira e na história da música portuguesa. Sem se livrar do escândalo na sociedade portuguesa. "Estive para ser presa", recorda. 

Na entrevista, que pode ler na íntegra AQUI, Simone fala da violência doméstica que sofreu no seu primeiro casamento, do casamento feliz com Varela Silva e da saudade que sente por aquele que foi o grande amor da sua vida. "Não foi fácil a morte do Varela. Mas a grande sorte que eu tive foi que estava sempre a trabalhar nessas alturas".

Simone de Oliveira é sinónimo de força, autenticidade e coragem. Artista completa, na sua carreira abraçou mais de sete ofícios, fazendo sempre frente aos desafios que a vida lhe lançou. Sem temer, ou temendo muito, desbravou caminhos e fez-se ouvir numa sociedade adversa às mulheres com voz. Foi jornalista, locutora de continuidade, apresentadora de concursos e programas de televisão e rádio quando a voz, possante e enérgica, a fintou. Lutou e sobreviveu; regressou às canções que a notabilizaram, aos poetas controversos a cuja obra cedeu a alma, aos palcos que a amavam como cantora e atriz, ao público que aplaudia a Artista e a Mulher.

Esta é a introdução do texto que apresenta "Simone, o Musical", a peça que terá Simone de Oliveira como pratogonista e que será inspirada na vida e carreira da própria artista. Aos 79 anos de idade, Simone de Oliveira ainda tem sonhos por concretizar e muitas memórias para partilhar. A peça, cuja estreia está agendada para 23 de setembro no teatro Tivoli em Lisboa e em novembro no Coliseu do Porto, irá começar com "Sol de Inverno". "Uma canção lindíssima. Se tivesse sido cantada pelo Sinatra era um êxito incrível".

Simone levanta um pouco o véu. Neste musical, "há três Simones. Eu agora, a dos 25 anos e a dos 50 anos. A Sissi e a Maria João Abreu. A única coisa que vão estar tramadas é que têm de cantar as minhas cantigas. Eu estou cá para ajudar. Estão para ali umas 17 ou 20 cantigas. O primeiro ato acaba com a Desfolhada e não é cantada por mim! Eu qualquer dia não canto a Desfolhada… Ando há 49 anos a cantar. A cap­pella, com guitarra, sozinha, com orquestra, sem orquestra, com piano, sem piano…"

O texto e a encenação da peça é de Tiago Torres da Silva, a direção musical é de Renato Júnior - precisamente a equipa que escreveu e compôs a sua última aventura no Festival da Canção em 2015.

Porque, de certeza, esta peça terá uma grande procura, pode desde já adquirir os bilhetes neste link.

Simone de Oliveira participou em 6 edições do Festival RTP da Canção, tendo representado Portugal no Festival da Eurovisão em duas ocasiões: em 1965, com 'Sol de Inverno' e em 1969, com 'Desfolhada Portuguesa'. Em 2015, a cantora participou na competição portuguesa com o tema 'À espera das canções', cuja prestação pode recordar de seguida, juntamente com as suas participações eurovisivas:






Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte e Imagem: UAU / Vídeo: Youtube e Daily Motion

2 comentário(s):

  1. Um pequeno reparo: a desfolhada foi no festival de 1969 e não de 1965👍

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:25

    "Sol de Inverno" na voz de Sinatra era hoje um clássico mundial. Sem dúvida. Da mesma maneira que se a Simone tivesse nascido nos EUA hoje seria uma diva à escala mundial.

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top