Salvador Sobral esgotou ontem a Casa da Música, no Porto. Durante cerca de duas horas, o vencedor do Eurovision Song Contest, conquistou a cidade invicta. O ESCPortugal esteve lá e conta-lhe tudo o que se passou.


Salvador Sobral esgotou a Sala Suggia, da Casa da Música no Porto, naquele que foi mais um concerto da sua tournée pós-Eurovisão. A sala, com quase 1300 lugares, rendeu-se rapidamente ao talento indomável do músico.

Change, tema do seu álbum de estreia Excuse Me, abriu o concerto e estabeleceu o ritmo jazz para o resto da noite. Salvador Sobral estava perante um público bastante heterogéneo, de todas as idades e que incluía alguns estrangeiros, e a todos mostrou o prazer que tem em estar em palco. Seguiu-se Ay Amor no alinhamento, e Salvador aproveitou para esbracejar a sua incompreensão para com a fama. "Cantar é um detalhe. Tens é de ser famoso. Quando és abordado na rua ou no restaurante tens de dar atenção aos fãs. Cantar não interessa. Quando estás no hospital e te estão a filmar da sala ao lado tens de sorrir. Viva a fama", declarou ao microfone. O público irrompeu num forte aplauso como que mostrando compreensão.


O Salvador Sobral dos concertos é o mesmo Salvador Sobral que vimos no palco da Eurovisão. É o músico que dá saltinhos, que toca air guitar e trombone, é o músico dos esgares e ademanes. É o músico que se retira para a penumbra, onde não há holofotes, para deixar a sua banda brilhar sozinha. Salvador Sobral esteva acompanhado por Júlio Resende no piano, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria.

Seguiu-se Presságio num concerto sempre marcado por um silêncio ensurdecedor enquanto Salvador canta. Silêncio esse apenas interrompido pelos fortes aplausos e por gritos de "isto é lindo" e "há aqui gente a chorar". O cantor desdobrou-se em elogios ao público presente, gabando a sua musicalidade.


O vencedor da Eurovisão 2017 mostrou também o seu lado humorístico por diversas ocasiões. Logo no início do concerto fez saber que foi abordado por uma senhora no restaurante onde jantou que lhe disse "tu agora estás no Porto e aqui podes dizer as caralh*d*s todas que quiseres". A sala riu à gargalhada.

Há vários momentos durante o concerto que nos fazem admirar cada vez mais Salvador Sobral. À loucura tudo é permitido e Salvador não tem medo de ser um louco, pois isso é uma das suas facetas de artista. Um desses momentos é, por exemplo, quando esquece o microfone e canta para dentro do piano, aproveitando a acústica para mostrar a todos como lhe é fácil ser esse artista. Salvador Sobral distingue-se de tantos outros porque não é um cantor. É um músico.

As estreias musicais foram também uma constante. Justice, do projeto Alexander Search, foi tocada pela primeira vez ao vivo, tal como uma nova canção escrita por Luísa Sobral, e que fará parte do seu novo álbum. 

Amar Pelos Dois era a canção que viria a seguir. Já adivinhado o que ia acontecer, o público ia aplaudindo timidamente as pistas deixadas pelo cantor. "Amar Pelos Dois é um momento que pertence a todos nós agora. Deixou de ser meu", disse. Do público alguém grita "obrigado" e os aplausos multiplicam-se. Toda a sala cantou Amar Pelos Dois e toda a sala se levantou para aplaudir novamente. Salvador pediu para toda a gente se manter em pé e fez um reprise do tema com que venceu o Festival da Eurovisão. Seguiu-se mais um forte aplauso.


Depois do fim da primeira parte do concerto, era chegada a hora do já anunciado encore. Os espetadores ficaram de pé a esperar o regresso de Salvador. O encore foi um dos grande momentos do concerto e abriu com Salvador a cantar quase na escuridão total sobre alguém que estava em coma, devido a um acidente, mas que não tinha a certeza se queria acordar pois tinha morto alguém. Os gritos de raiva e revolta ecoam pela sala: "Apaguem as máquinas, arranquem os fios!". A meio da canção, Salvador Sobral abandona o palco e dá lugar a Júlio Machado Vaz que declama um poema de Sophia de Mello Breyner. No fim deste momento tão intenso, nada como uma tirada desconcertante para alegrar os presentes. "Mostrei [esta música] à minha editora e eles disseram que não dava single. Já não vou passar na RFM, lá é só grandes músicas, é o slogan deles". A sala volta a rir à gargalhada e aplaude a irreverência do jovem músico.

Houve ainda tempo para Salvador Sobral se sentar ao piano e cantar Ninguém Escreve à Alice, de Rui Veloso, e A Case of You. O concerto termina com Amar Pelos Dois, novamente cantado por toda a sala. O interesse do público português em Salvador Sobral continua em alta e o fenómeno parece não estar perto do fim.

Salvador Sobral canta e nós perdemos a conta às vezes em que nos emocionámos, perdemos a conta às vezes em que ficamos com pele de galinha, perdemos a conta às vezes em que nos admirámos com o seu talento e perdemos a conta às vezes em que o aplaudimos de pé. A cidade do Porto é invicta mas deixou-se conquistar por Salvador Sobral.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem: ESCPORTUGAL 

17 comentário(s):

  1. Anónimo07:40

    Tão bom Esc Portugal! Obrigado obrigado obrigado... Nem sei quando terei oportunidade de o ver outra vez. Vi_o no concerto do Seixal, foi maravilhoso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo02:48

      Faltam os videos.

      Eliminar
  2. Anónimo08:29

    Eu estive nos dois ccb há uns dias e confere. (f)
    Ainda melhor que os espectaculos dele que vi o ano passado e no período pré-FC e pré-eurovisão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:55

      ai car*lh*, que emoção !

      Eliminar
    2. Anónimo12:26

      Podes crer que sim.

      Eliminar
  3. Anónimo10:44

    Adurava. Quando veim a Cinfães?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo11:04

    Dá-me a sensação que ele deixou de renegar a Eurovisão, tornando-a o capítulo de uma carreira memorável que acabará sempre por recordar. É louco sim, mas são os locuos que mudam o mundo e ficam na história.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo12:58

    O Salvador é um intérprete incrível que lida muito mal com a fama. Ele tem que entender que ao vencer a Eurovisão, representava um país, pelo menos durante um ano deve ter respeito pelo ESC, não são os fãs que têm que ter respeito pelos dois.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo13:02

    Viva o Salvador! Aguardo espectorante o Segundo livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:45

      ?

      Eliminar
    2. Segundo o próprio Salvador, ele não tem nada a ver com o livro, e diz que nem sabe como deixaram editar o livro. Podem checkar no facebook dele.

      Eliminar
    3. Anónimo23:12

      Falando do livros, Salvador Sobral desmarcou-se do livro "Coraçao de Heroi", disse que nem Contraponto nem sua autora consultou antes de publicar

      Eliminar
    4. Anónimo00:03

      Por acaso alguém do wiwibloggs tinha comentado "Less than 2 months after his win. That's what I'd call fast food literature! [emoji]". Já tinha achado exagero o título, demasiado épico, e parece um pouco paradoxal.
      Até percebo que a autora tenha tido das melhores intenções, mas pecou na parte de não ter o consultado para que o livro fosse autorizado.

      Eliminar
    5. Isto do livro é alguém que quer ganhar dinheiro as custas dele...e sem o consultar...

      Eliminar
  7. Rui Ramos14:28

    Um artigo escrito com emoção. Obrigado João Diogo

    ResponderEliminar
  8. Anónimo09:46

    Salvador sobral o sinal da vinda de tempos melhores.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo23:47

    Tão bom e tão lindo ...E nem põe o concerto no facebook ????? Eu não fui ao concerto e só gostava de ter a minha própria opinião ???? Eu sou como s. Tomé ...Tenho de ver e ouvir para crer !!! não vou em conversa fiada ...Pois aqui não se houve nada...nadinha...

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top