O ministro dos negócios estrangeiros ucraniano garantiu que o país não cederá à pressão feita pela EBU/UER e Julia Samoylova continuará banida do país.


A União Europeia da Radiodifusão divulgou hoje a carta que enviou às autoridades ucranianas, onde era possível ler que vários países vão boicotar o concurso europeu se Julia Samoylova for proibida de representar a Rússia (AQUI). A resposta ucraniana não se fez esperar e foi dada pelas altas instâncias do governo, nomeadamente o ministro dos negócios estrangeiros. Pavlo Klimkin afirmou que "não há concessões, formais ou informais, a serem discutidas, estamos a falar da implementação da lei. Se a lei é violada não podemos falar de mais nada".

Já são três as tentativas da UER de resolver o conflito entre Ucrânia e Rússia. Depois dos falhanços da atuação por satélite e do banimento de Julia Samoylova apenas após a realização da Eurovisão, o organismo responsável pelo concurso europeu tentou apertar o cerco aos ucranianos com o envio de uma carta. No entanto, estes continuam irredutíveis e apenas podemos esperar para ver como a história se irá desenvolver.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: esctoday / Imagem: alchetron

17 comentário(s):

  1. Anónimo21:09

    Acho muito bem...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo21:10

    Espero que os países que boicotem a edição sejam tipo Suécia, Itália, França ... assim temos hipóteses de ganhar =)) =)) =))
    Agora a sério, esta situação já chateia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:48

      Goste da ironia!! 😂😂

      Eliminar
  3. Acho muito bem, ao menos a Ucrânia não se vende, ao contrário da EBU que só vê dinheiro à frente e só sabe ser forte com os fracos e fraca com os fortes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em todo o caso é uma lição para a EBU.
      Acho que a grande falha foi permitir a participação da música da Jamala em 2016, ela é uma excelente compositora e têm uma boa voz, mas a música é demasiado política e a Russia retaliou desta forma.
      A Eurovisão é um lugar de encontro entre os diferentes países, não de agressão

      Eliminar
  4. Anónimo21:44

    Ninguém vai desistir.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo21:45

    Ninguém vai desistir.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:51

    Força Ucrânia, o Mundo está contigo!!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo21:57

    O povo unido jamais será ajuliado lolol

    ResponderEliminar
  8. Epá, a Rússia que envie outra música qualquer ou se cale de vez. Quanto à EBU, nem devia ter piado, para começar.

    Saturada desta novela.

    ResponderEliminar
  9. Jefferson23:45

    Nao sei porque tanta raiva da Russia. Espero que eles boicotem o festival esse ano e voltem para ganhar em 2018. Desculpem portugueses, mas nao é esse ano que vocês ganham, nem com boicote dos favoritos, se houver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se houver boicote vai ser mais por razões políticas do que por solidariedade.
      Bielorrússia é uns dos mais prováveis candidatos a boicotar a eurovisão, se houver realmente boicote, e outros países do leste de europa com governos pro-putin poderão fazer o mesmo

      Eliminar
  10. Espero que a emissora Russa finalmente selecione outro intérprete para este ano e espero que a Julia seja a representante da Rússia em 2018

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jefferson13:11

      A Ucrania vai achar provas falsas contra qualquer cantor russo. Eles nao querem a Russia no ESC.

      Eliminar
    2. Anónimo14:23

      Concordo, Jefferson...

      Eliminar
  11. Anónimo13:22

    Grande Ucrânia. Haja tomates!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top