A imprensa alemã avançou, esta madrugada, que a organização do Festival Eurovisão será atribuída a Moscovo nos próximos dias. A EBU/UER recusa comentar as notícias e tomará a decisão final sobre o evento na Assembleia Geral de 8 de dezembro.

O tablóide alemão Bild confirmou, nas últimas horas, ter tido acesso a provas de que a União Europeia de Radiodifusão (EBU/UER) prepara-se para anunciar a retirada da organização do Festival Eurovisão 2017 à Ucrânia, pela emissora estatal não ter garantido o financiamento do mesmo. O jornal avança ainda que "existem negociações entre o organismo e o Município de Moscovo (Rússia) para a organização do evento", apesar de não ter sido revelada qualquer evidência.

A Chefe de Comissão de Relações Exteriores do Parlamento ucraniano, Anna Gopko, reagiu às notícias, avançado que "Há uma clara ameaça... O Festival Eurovisão pode acontecer num país diferente. Isto será uma catástrofe para nós".

Por outro lado, a União Europeia de Radiodifusão recusou-se a comentar as notícias, avançando que a decisão final sobre a organização da próxima edição do Festival Eurovisão será tomada a 8 de dezembro (quinta-feira), data da realização da Assembleia Geral dos membros da EBU/UER. 


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte:OIkotimes/Bild/sputniknews/ Imagem: SVT

8 comentário(s):

  1. Anónimo16:32

    ''O tablóide alemão Blind ...''

    Recuso-me a ler o resto da notícia LOL

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:20

    mas isto é a brincar certo? mesmo que a ucrania perca a chance de sediar, porque raio vai ser a russia a sediar? há mais paises europeus nao? deviam dar chance a um que nunca tenha sediado a competiçao.. mas pronto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:18

      Porque foi a Russia que ficou em 3* visto que a australi -2*- nao pode sediar

      Eliminar
  3. Anónimo17:46

    O jornal alemão chama-se BILD ("imagem") e não BLIND ("cego").

    ResponderEliminar
  4. Anónimo21:19

    Acho uma parvoice atrabuir a qualquer outro país visto que se as coisas estao atrasadas, a comecar tudo de novo noutro pais ainda mais atrasado ficara

    ResponderEliminar
  5. Anónimo14:24

    Lá está a Sra. Alemanha a armar-se em dona de tudo! É com enorme mágoa que recebo esta pseudo-notícia, pois pode ser resultado de uma fuga de informação. Desde o instante (segundo zero!!) que Ucrânia ganhou o ESC que muitas vozes se levantaram para que o certame do ESC 2017 não tenha a sua sede nesse País. Se chegar a acontecer o anunciado é claramente um CRIME (fazendo lembrar a espectacular canção da Bulgária 2016)! As Regras existem para não existirem e para serem alteradas, a quem der mais (CORRUPÇÃO!)!? E logo à Rússia, que nem em segundo lugar ficou!! É tudo tão claro... Se tal chegar a acontecer, seria lindo e justo (que há Países que vivem em Democracia e têm Princípios e Ética), as participações já confirmadas baterem todas com a porta, em sinal claro de protesto! É tudo "Paz e Amor", mas é da boca para fora! Agora nem o ESC ESCapa à máfia! Vergonhoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo17:23

      Mas como é que "Sra. Alemanha" se arma em "dona de tudo"?! Por que um jornal alemão dá a notícia? Pois olhe que se há países que têm apoiado a Ucrânia a vários níveis (que vão para além do ESC) um deles é, sem dúvida, a Alemanha. O jornal alemão pode estar errado na sua informação - ou talvez não -, mas do que é escrito que vantagem pode a "sra. Alemanha" tirar?

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top