A emissora estatal da Noruega anunciou o regresso do júri internacional ao Melodi Grand Prix. O painel internacional foi utilizado em 1985 e 1995, anos em que o país se sagrou vencedor do Festival Eurovisão.

Fora da Grande Final em Estocolmo, algo inédito desde 2011, a emissora estatal noruega NRK anunciou, esta manhã, que vai mudar o formato da sua final nacional para a próxima edição. O Melodi Grand Prix 2017 ficará marcado pelo regresso do sistema de votação de um júri internacional, algo que foi utilizado em duas ocasiões anteriormente: em 1985 e 1995, anos em que a Noruega venceu o Festival Eurovisão.

"O que estamos a trabalhar neste momento é integrar um júri internacional. Vamos escolher entre 10 a 12 países europeus para ajudar-nos a escolher o caminho certo" afirmou Stig Karlsen, líder do projeto. As inscrições para a competição estão abertas até ao próximo dia 11 de setembro, estando as mesmas abertas para compositores nacionais e estrangeiros. Seguidamente, a NRK irá selecionar 10 canções para competir no evento, sendo que as mesmas deverão ser anunciadas em novembro.

A Noruega estreou-se em 1960 no Festival Eurovisão, tendo participado em 55 edições. Apesar de ser o país com maior número de últimos lugares e null points, a Noruega conta com 3 vitórias na competição: 1985, 1995 e 2009. Em Estocolmo, Agnete e "Icebreaker" foram os representantes do país, falhando o apuramento para a Grande Final ao terminarem na 13.ª posição da semifinal, com 63 pontos. Recorde, de seguida, a atuação:




Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: escdaily / Imagem e Vídeo: eurovision.tv

5 comentário(s):

  1. Anónimo00:38

    a Agnethe poderia ter passado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal como todos os outros que se quedaram pela semifinal,nao e? Por mim,Agnethe ficou onde merecia ter ficado.

      Eliminar
  2. Foi um choque para mim. Uma das melhores músicas e apresentações deste ano não passar à final. Até a minha mãe concordou que foi uma injustiça o que fizeram com a Noruega.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo19:41

    fiquei admirado de realmente a musica da Noruega não ter passado! Em contrapartida outras músicas medonhas passaram à final , enfim 1

    ResponderEliminar
  4. Anónimo20:54

    Uma música com semelhanças ao Euphoria e no refrão com as "marteladas" do Chandelier não me admira que não tivesse passado à final. Ficou muito mal feito esse "mashup" :))

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top