Sede do Festival Eurovisão 2005, Kiev, capital do país, é a grande favorita a receber a próxima edição do concurso europeu. Neste artigo, dizemos-lhe tudo o que precisa de saber sobre uma das potenciais cidades anfitriãs do ESC2017.

A CIDADE
Localizada na região centro-norte do país nas margens do rio Dniepre, Kiev, capital da Ucrânia, alberga quase 3 milhões de pessoas, sendo a maior cidade do país. Conhecida por ser um importante centro industrial, científico, educacional e cultural da Europa Oriental, a cidade, uma das mais antigas da Europa, alberga diversas indústrias de alta tecnologia, instituições de educação superior e monumentos históricos famosos.

A história de Kiev passa por diversas fases de grande proeminência e de relativa obscuridade. Fundada no século V como um posto comercial dos eslavos orientais, ganhou importância ao longo dos anos até se tornar capital política e cultural do Principado de Kiev, entre os séculos X e XII. Foi destruída durante a invasão mongol de 1240 e tornou-se capital provincial de pouca relevância devido aos seus vizinhos territoriais mais poderosos. A cidade voltou a prosperar durante a revolução industrial russa, no século XIX, tornando-se numa das cidades mais importantes da República Socialista Soviética da Ucrânia. Durante a Segunda Guerra Mundial, Kiev voltou a sofrer grandes danos, recuperando no pós-guerra e continuando a ser a terceira maior cidade da URSS.


TRANSPORTES
A cidade de Kiev é servida por dois aeroportos: o Aeroporto Internacional de Boryspil, localizado a 36km do centro da cidade e responsável por 65% do tráfego aéreo ucraniano, e o Aeroporto de Zhulyany, a 8km de distância e direccionado para voos domésticos. Contudo, há más notícias para os portugueses: de momento, não existe qualquer voo direto de Portugal para a capital ucraniana. Numa consulta pelas ligações possíveis para a semana do ESC, encontram-se voos a partir de 225.00 Euros com escala em Frankfurt com a Lufthansa ou escala em Amesterdão com a KLM a partir de 347.00. Contudo, esses preços podem mudar a qualquer momento!

Dentro da cidade, o serviço de metro é considerado como um oásis para os viajantes. Com cada viagem a custar uns meros 14 cêntimos, o sistema de metro é composto por três linhas e 52 estações, sendo considerado um sistema limpo, rápido e bastante fácil de utilizar. Até ao Euro2012, muitas estações apresentavam as informações apenas no idioma cirílico, algo que mudou e, atualmente, todas as estações apresentam as informações também em inglês. Além disso, a arquitetura soviética está presente em muitas estações, sendo que a estação Arsenalna é a mais profunda da Europa (105m). Claramente, um local a visitar.

Fora do subsolo, o sistema de transportes de Kiev perde todo o encanto. Os elétricos são lentos e moribundos e o sistema de autocarro é claramente insuficiente para toda a procura existente! Os horários afixados nas paragens nem sempre são cumpridos, o que faz com que a maioria das viagens sejam feitas com os veículos totalmente lotados!

Se os autocarros são uma dor de cabeça, os táxis são uma verdadeira enxaqueca para os ocidentais. Uma curta viagem pode custar entre 1 euro para os ucranianos e 3 euros para os turistas. No entanto, as mulheres jovens conseguem facilmente encontrar um táxi de forma mais rápida e barata do que os homens... contudo, durante a noite, isto poderá ser perigoso. Regatear é uma das formas mais aconselhadas para conseguir um preço mais justo, mas prepare-se: alguns motoristas, especialmente os que aguardam junto dos hotéis, são uns vigaristas profissionais e experientes! Quando os confrontar, eles vão propor que instale uma aplicação no seu smartphone: contudo, essa aplicação é manipulada, e fará com que pague o dobro do preço que deveria pagar pela viagem! Por vezes, o melhor remédio é mesmo ir a pé!



O QUE FAZER
Com uma história com mais de 15 séculos, Kiev é um dos maiores pólos culturais da Europa de Leste! O Museu Chernobly, o Memorial Holodomor, a Catedral de Santa Sofia e o Mosteiro de St.Michael são alguns dos locais que não pode deixar de visitas, mesmo que alguns não estejam munidos de informações em inglês: nada que um bom guia não resolva.

Uma chamada de atenção às mulheres: devem cobrir a cabeça e as pernas antes de entrar em mosteiros ou igrejas; no entanto nem sempre é aplicado aos turistas. Mas não se surpreenda se for convidado a utilizar um xaile: para não se preocupar, pode adquirir um lenço típico que servirá também de recordação.

Se visitar Kiev no verão, a proximidade de várias praias fluviais nas proximidades podem ser uma boa opção, bem como os dois parques aquáticos da capital. Contudo, uma forma alternativa para explorar a cidade é explorá-la com moradores da zona histórica: algumas pessoas que vivem lá há anos terão todo o gosto de lhe contar histórias e até lhe mostrar alguns locais secretos.



ALOJAMENTOS
Para a semana eurovisiva, Kiev apresenta 594 alojamentos, número suficiente para albergar todos os interessados, segundo a candidatura da cidade. Contudo, como várias previsões apontam esta cidade como sede do ESC2017, os alojamentos estão já bastante inflacionados. Uma semana por pessoa em quarto duplo, em regime de alojamento e pequeno almoço, poderá custar cerca de 350 euros, numa pesquisa feita no momento em que escrevemos este artigo. Para bons preços, o melhor é pesquisar em diversos motores de busca e agências de viagem.


COMIDAS E BEBIDAS
De forma geral, é bastante barato comer em Kiev quando comparado com os padrões europeus ou norte-americanos, sendo que a comida é considerada excelente e barata. Aos visitantes é aconselhado experimentarem os típicos Borscht, chebureki, o Mlyntzi e o frango Kiev, sendo que os produtores de panificação são também bastante aconselhados.

Se visitar a cidade, muito provavelmente será abordado por indivíduos que vendem bebidas de grandes tanques amarelos e azuis na rua: trata-se de Kvas, uma bebida fermentada com um teor de álcool bastante baixo (cerca de 1%), sendo que o seu consumo é aconselhado às crianças. Por outro lado, não é aconselhado beber água da torneira, por razões químicas e microbianas. A Bonaqua, água mineral com gás, é frequente na cidade, mas o preço da cerveja é tão baixo que provavelmente que irá aproveitar a ocasião de beber e gastar alguns cêntimos apenas.


ARENA
Construído em 1960 e com obras de melhoramento em 1982 e 2011, o Palace of Sports encabeça a candidatura de Kiev para receber o Festival da Eurovisão 2017. A arena, um dos principais palcos indoor do país, alberga, anualmente, diversos jogos desportivos, concertos, grandes exposições e feiras, destancando-se a organização do Eurovision Song Contest 2005 e o Junior Eurovision Song Contest 2009, tendo capacidade para 10 mil pessoas e 2 mil delegados de imprensa.



Por outro lado, a cidade utilizará o Olimpisky Arena, localizado a 400 metros, para sediar o Centro de Imprensa, sendo a primeira vez que o mesmo ficaria afastado do complexo onde decorrem os ensaios e as atuações. Além disso, o Euroclub e o Eurovillage seriam localizados em dois anexos do complexo olímpico.


Devido ao choque de datas entre o Eurovision Song Contest  e o Campeonato Mundial de Hóquei no Gelo, como pode recordar AQUI, a cidade de Kiev submeteu o Centro Internacional de Exposições como segunda opção para a organização do evento. O local tem capacidade para 13 mil pessoas, mas não tem sido recebida com bom agrado pelos eurofãs.


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPortugal; Wikipédia; Wikitravel / imagens: Google

2 comentário(s):

  1. Anónimo22:32

    Eu acho q infelizmente será Kiev a escolha, mas eu estive a ver outras opiniões dos eurofãs e parece q praticamente todos concordam comigo em q Odessa deveria ser a escolhida. Eu tbm tive a ver e um fã ucraniano disse q Lviv não passou nas escolhas por ser uma cidade bastante religiosa, e como todos sabemos eurovisao e religião não combinam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lviv não passou nas escolhas porque só se disponibilizaram a dar 3 milhões de euros para a organização do concurso

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top