A UER/EBU emitiu declaração, reagindo ao facto da canção vencedora do Festival Eurovisão 2016 ter sido divulgada publicamente há mais de um ano.


Numa declaração publicada no facebook oficial da UER/EBU há instantes, o organismo máximo da Eurovisão reagiu ao facto da canção vencedora do Festival Eurovisão 2016 ter sido interpretada ao vivo em maio de 2015, tal como publicámos ontem AQUI. Aceda de seguida à declaração:

"A regra 1.2.1a do Festival Eurovisão da Canção define que nenhuma canção pode ser editada comercialmente até 1 de setembro do ano anterior ao festival, para que o concurso acolha novas composições em cada ano (...) O objetivo desta regra é prevenir que qualquer canção tenha uma injusta vantagem no concurso. No passado, as canções que foram divulgadas antes desse prazo, mas não estiveram acessíveis a uma grande audiência, tiveram autorização, dada pelo grupo de referência, para competir no Festival Eurovisão da Canção. No caso da canção de Jamala "1944", fomos confrontados, após a realização do festival de 2016, para uma interpretação ao vivo dessa canção em maio de 2015. O vídeo de um pequeno concerto foi apenas visionado por poucas centenas de pessoas e foi descoberto nos últimos dias. A UER/EBU, baseada em decisões anteriores do grupo de referência, concluiu que o vídeo publicado não deu vantagem a Jamala relativamente às outras canções, sendo que assim a canção foi elegível para competir".


Aceda, de seguida, a um dos vídeos existentes sobre esse concerto (canção "1944" ao minuto 4):



Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: UER / Imagem: GOOGLE /Vìdeo: YOUTUBE

25 comentário(s):

  1. Anónimo11:00

    Reacção/resposta da EBU esperada!

    ResponderEliminar
  2. Quem quis causar um desgosto a Jamala tramou-se. Já era de prever.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo11:39

    Chill people. A própria Jamala disse que a versão e a letra nem sequer são as mesmas com a qual ela concorreu ao ESC.
    Já chega de drama. A Jamala ganhou, ponto.

    ResponderEliminar
  4. Ricardo Alves11:50

    Não foi desqualificada porque o vídeo foi visto por poucas pessoas. E se fosse visto por muitas? Desculpa mais esfarrapada

    PS: Adoro a canção e não desejei a sua desclassificação, mas esta desculpa da EBU cheira mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:55

      Cheira bastante mal mesmo :D

      Eliminar
  5. Pedro Carvalho11:56

    A vencedora de 2013, Emmilie de Forest, também tinha intrerpretado a canção vencedora meses antes em vários dos seus concertos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:55

      meses antes é diferente de 1 ano antes.

      Eliminar
  6. Para os "arautos da desgraça(alheia)" certamente uma decepçao ,um balde de agua gelada. Felizmente assim,para bem do ESC,da musica,de Jamala e da Ucrania. :) Putin e Kirkorov devem estar chateados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:25

      O que tem o Putin e o Kirkorov a ver com isto?? acaso regras nao devem de ser seguidas??

      Eliminar
    2. Anónimo19:28

      Se a EBU nao faz valer as suas regras de nada serve e nao importa que tenha sido pouco visionado afinal regras sao regras (nada contra a Jamala) e nao me refiro só a esta cancao senao a muitas outras e tambem aos casos de corrupcao como a compra de votos ou plagios e isto resta credibilidade ao concurso

      Eliminar
    3. Desde que por ex. contra todos os regulamentos do ESC se admitiu a presença da Australia no ESC,qual a importancia dos mesmos?!?!Curiosamente alguem guardou na manga este videoclip,onde nem se ve bem se ha publico.Porque?Quem? Kirkorov+Putin porque para a Russia o ESC e veiculo de propaganda.

      Eliminar
    4. Anónimo00:48

      Vejam se percebem: o Vladimir Putin nao quer sabet do ESC. Interessa lhe mais provavelmente estar a preparar o exercito para invadir alguem

      Eliminar
  7. a justificação não é assim tão esfarrapada. Se o intuito é não permitir que a canção seja promovida com mt antecedencia, o facto do video ter sido pouco visionado tem obviamente peso na decisão.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo13:55

    Aconteceu o mesmo com a vencedora de 1992. A Linda interpretou o ''Why me?'' num dos seus concertos meses antes do Eurofestival.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:30

      entao de nada servem as leis do ESC....

      Eliminar
  9. Anónimo20:45

    Isto é tudo uma palhaçada, ela nem devia era ter ganho , mas sim a Austrália ou a Rússia , agora já não vale a pena tanta polémica, o júri é que teve culpa de ela ganhar, com esta palhaçada de votação!!!!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo00:05

    "nenhuma canção pode ser editada comercialmente até 1 de setembro do ano anterior ao festival"

    O que significa "editar uma canção"?

    O que significa "editar comercialmente uma canção"?

    Advogados, vá, a Justiça é cega mas não é surda. Todos aqui à Tribuna para o caso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 00:05 - Sao exactamente todos estes termos juridico,os quais muitos deles prestam-se a interpretaçoes varias,que fazem com que,tal como tenho habito de dizer e pensar,"ate ser condenado todo o reu e inocente",pelo menos nos sistemas de Justiça ocidentais.Mas os media tem tendencia a antecipar-se. (c)

      Eliminar
  11. Anónimo14:00

    A canção não deveria ter sido exposta ao público, mas não foi exposta à Europa, foi na Ucrânia, mas não há de certeza qualquer injustiça nas votações da Eurovisão. Para quê tanta polémica!?

    ResponderEliminar
  12. Anónimo15:05

    Isto é uma pouca vergonha! A canção não era a melhor. Só ganhou pela mensagem política que passa. Devia ter sido logo desqualificada como foi a Geórgia em 2009. Além disso, foi divulgada um ano antes. Quantos vídeos irão aparecer mais dessa divulgação? ou quantos foram ocultados? Quantos telejornais terão falado da canção antes do festival, como fez a RTP? A UcrÂnia apostou numa boa divulgação, começou um ano antes, agiu com discrição e com a mesma discrição fez tudo para ganhar, mesmo não sendo muito falada nos bastidores do ESC.
    A Rússia fez uma boa campanha, mas deu muito nas vistas...e foi penalizada pelo júri por se colar à canção vencedora do ano passado.
    A França teve azar de cantar muito cedo, mas a música é 1000 vezes melhor que a da Ucrânia e foi composta em 2016, não como esta da Ucrânia que foi composta quando? 2015? 2014? 1944? :D

    ResponderEliminar
  13. Anónimo15:11

    Non percebo o que viram nesta jabala.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:05

      Non percebo o que viram nesse sergey

      Eliminar
  14. Anónimo16:00

    Já agora o tema MEA CULPA também devia ter sido desclassificado do FC 2014, já que a melodia é quase a mesma que o tema CANTA POR MIM (2010) e só muda a letra...
    Raciocinem, mesmo que não gostem da canção, acham necessário retirar o troféu a Jamala só porque ela cantou em público um "esboço" da canção? Apenas foram umas centenas de pessoas que assistiram, pode ter influenciado nas votações da final nacional, mas não influenciou nas votações da Eurovisão.
    Foi uma vez sem exemplo, agora parem de estragar a felicidade da Jamala...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:16

      Se fosse só o "Mea Culpa"... A Polónia 2016 então é um escândalo de plágios somados do princípio ao fim. O plágio perfeito.

      Eliminar
    2. Anónimo23:52

      a color of your life é plagio de quais? é que a mim passou mm ao lado, nao dei conta

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top