O tema vencedor do Festival da Eurovisão 2016, '1944', foi interpretado por Jamala, num concerto em maio de 2015, o que vai contra as regras do certame europeu! A EBU/UER ainda não se pronunciou!

A vencedora do Eurovision Song Contest 2016 está envolta em nova polémica: Jamala poderá ter apresentado 1944 antes do prazo permitido pela EBU/UER. As acusações aquando da descoberta de um vídeo amador, colocado na plataforma Youtube em maio de 2015, cuja descrição diz "cantora ucraniana Jamala a cantar os seus dois novos temas: «Way Dodoma» e «Bizim Qirim» em Kiev". Contudo, ao ouvir o vídeo, rapidamente reconhecemos '1944', a partir dos 4 minutos.

Segundo as regras do Eurovision Song Contest, só os temas apresentados após o dia 1 de setembro do ano anterior estão aptos para entrar na competição, algo que, a comprovar-se a veracidade do vídeo, não foi cumprido pela candidatura ucraniana. Contudo, recentemente, a EBU/UER permitiu a entrada de alguns temas a concurso que não cumpriam essa regra, mas cuja apresentação apenas tinha acontecido em concertos de lotação limitada. No entanto, até ao momento, a EBU/UER ainda não reagiu ao caso!

Aceda, de seguida, ao vídeo em questão e recorde a vitória de Jamala:




Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: Youtube / Imagem/Vìdeo: eurovision.tv/Youtube

25 comentário(s):

  1. Anónimo20:11

    Ai se isto tivesse acontecido com a Roménia, Macedónia, São Marino ou outros dos "pequenos"!... Assim vão dizer que a assistência era reduzida - só a família da artista e uns vizinhos - e tudo fica como está. De qualquer modo, gosto bem mais desta versão...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo20:32

    Ahaha agora meteram o video em privado! Tao com medo nao e? Rua Ucrania!! Australia Australia Australia Australia Australia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:14

      a sério? :O mas nao dá para aceder? tás a falar de qual? o video oficial ou a atuação na semifinal/final?

      Eliminar
    2. Anónimo22:54

      Esquece , agora ja da , devem me ter ouvido😂

      Eliminar
  3. Anónimo20:32

    Ihhh que cena, será que vai ser desclassificada ?
    É assim eu nunca gostei muito da canção da Jamala apesar de ate ter gostado da atuação dela, mas acho que não foi justo ter ganho, mas pronto.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo20:49

    Bem, está armado o escândalo! Claramente, a Ucrânia deve ser desclassificada e a vitória atribuída à Austrália...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:38

      Isso era ouro sobre azul! Isoladamente admito que não desgosto de todo da canção que a Ucrânia levou à Eurovisão, mas não consigo ignorar a presença de várias outras canções cuja qualidade é inegável. Todos vimos o desfile de canções e cada um terá criado a sua lista de favoritos (a minha era enorme, não consegui encurtá-la!) Este é o aspecto mais revoltante, ou seja, no meio de canções fantásticas, surge uma cuja qualidade ou centro das atenções reside na letra que se traduz num desenterrar um passado negro como sendo muito importante na actualidade, esmagando outras presenças favoritas como se praticamente nada valessem e agora estala mais esta polémica. Austrália? Que bom! Até era uma das minhas favoritas!

      Eliminar
    2. Anónimo21:41

      faço minhas as tuas palavras totalmente

      Eliminar
    3. Anónimo21:54

      Opá, 90% de acordo, Anónimo 21:38!! Só retiro a parte do "não desgosto da canção que a Ucrânia levou" :-) :-)

      Eliminar
    4. Anónimo22:35

      Pois, a verdade é gosto mesmo bem pouco do tema da Jamala.

      Eliminar
  5. Anónimo21:18

    Pessoal alguém sabe se esta noticia ja anda a circular pelo mundo eurovisivo ou foi só agora com o esc portugal? é que se muitos sites ja estiverem a dizer o mesmo, com certeza que isto irá tomar a algum lado...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:25

    Meu Deus... estou para ver o que daqui vai sair!:.

    ResponderEliminar
  7. Tretas e mais tretas. Esta coisa das votações nunca foi muito séria e agora ainda vêm com a descoberta do tesouro do pirata. The End, acabou o filme, para o ano há mais, quer dizer deve haver.

    ResponderEliminar
  8. Nao creio que isto venha a ter nenhumas consequencias practicas.Tentativas para desclassificar vencedoras do ESC houve ja varias,mas ate hoje sem resultados.Claro,ha sempre uma 1º vez para tudo,mas nao me parece.Por tras disto tudo vejo a sombra dum dedo putinico ou mesmo so kirkorovico. (c)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:58

      independentemente de ter ou nao um "dedo" uma violacao é uma violacao!! mesmo que no final nao vá dar em nada, nao creio que volte a ver o esc....

      Eliminar
    2. 22:58 - No sistema de justiça ocidental ate se provar que alguem e culpado essa mesma pessoa e inocente. Violaçao(ui credo,rape!!!) ainda nao foi provada.Esperemos para ver.

      Eliminar
  9. Pena,que no youtube estejam so 2 minutos de video,gostaria de ter ouvido "Bizim Qirim" na sua totalidade.So pelo facto de ser toda cantada em Turco da Crimeia a cançao fica ainda mais deliciosa.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo23:19

    Esta onda de ódio cansa. Os russos ficaram mesmos lixados com a vitória da Jamala, eles e os fãs polacos que achavam que a sua canção com mofo ia vencer... Deus nos dê paciência para aturá-los. Mas esta gente não entendem que já acabou a Eurovisão e é melhor esquecer o assunto? Em vez de criar estas polémicas estúpidas e desnecessárias, façam um boicote ao concurso para o ano e já está...
    De qualquer forma, creio que Jamala continuará e permanecerá a grande ganhadora da Eurovisão 2016. Ainda bem ou ainda mal para alguns, mas o que é facto é que a vitória é dela.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo00:08

    Chega, n estraguem o que é a Eurovisão. Está ganho, está ganho, voltar atrás é como "esfaquear" o certame. A Eurovisão é concurso com o objetivo de unir a Europa, não de qualquer coisa que se passe têm que vir aqui os "fas" criticarem e colocarem tudo em causa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo00:34

      Concordo que, por vezes, se pega em qualquer coisa, por minúscula que seja, para se criticar. Aqui, porém, trata-se de não se ter respeitado o regulamento. "Fechar os olhos" não contribui para uma valorização do concurso. Uma coisa teria sido alguém ter divulgado uma gravação da canção sem o conhecimento da intérprete; neste caso, por questões óbvias, ela sabia que tinha infringido o regulamento. Não deixa de ser uma cantora competente e uma compositora inspirada por causa disso, mas mostra falta de ética. E isso já não é "qualquer coisa"...

      Eliminar
  12. Anónimo04:27

    Cambada que vem para aqui comentar como se entendesse imenso de música. Não havia canção nem interpretação com mais qualidade do que a da Jamala. Para além disso é visível que ela está a actuar num anfiteatro. Até a acústica o revela.

    Se a desclassificarem será uma parvoíce. Austrália não é Europa. Sorry.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:24

      A "cambada", como simpaticamente chama aos que aqui têm preconizado que os regulamentos se cumpram, não tem estado aqui a discutir se o refrão é forte ou melodicamente pobre, se a intérprete atinge as notas mais elevadas ou falha vocalmente. A questão é o cumprimento do que está estipulado no regulamento. Tem razão quanto à Austrália (a que, geograficamente, poderíamos juntar Israel ou o Azerbaijão...), mas o regulamento foi mudado (concorde-se ou não) para que passasse a integrar o lote de participantes. Não foi alterado para permitir a apresentação das canções concorrentes um ano antes em espetáculos públicos.

      Eliminar
  13. Anónimo09:55

    Las interpretaciones de la UER siempre extralimitan el tenor literal de sus propias normas. Si, en vez de Ucrania, hubiera sido cualquier otro país, la canción hubiese sido descalificada. Siempre que haya dinero por delante, la UER se saltará sus propios estatutos. Rumania incumple las normas de la UER, no paga y es descalificada. Ucrania incumple las normas de la UER, pero como paga, no es descalificada. Dinero es lo único que quiere la UER. Lo mismo pasó en 1995. La canción de Noruega incumplía las normas de la UER, porque era básicamente instrumental, sólo contenía dos frases como letra de la canción. La ganadora debería haber sido España con Anabel Conde. Pero la UER hizo una interpretación extensivamente abierta de sus propias normas. El problema es que ni en 1995 ni en 2016, la UER ha querido reconocer sus propios errores y es que, inicialmente admitieron canciones que incumplían las normas.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo23:33

    Boicotar o ESC? Tss tss... Não seria melhor boicotar os jurados?

    ResponderEliminar
  15. Anónimo00:27

    Estas coisas nunca dão em nada. Suiça 1990 acusada de plágio, tal como a Marie N 2002 ou Grécia 2005 (o vestido pelo menos) e fica tudo igual...
    Se a música não é retirada antes do certame, não há nada a fazer.
    O vídeo deveria ter surgido antes. Talvez não pensassem que a Ucrânia ganhasse e só resolveram revelá-lo agora...porque interessava.
    O problema é que não ganhou a melhor, graças ao júri e ao novo sistema de votação, que declaro desde já obsoleto e reivindico um novo! :D

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top