Os resultados do televoto de São Marino foram inventados pela União Europeia de Radiodifusão usando a média de resultados de cinco a seis países.


Quando o novo sistema de votação do Festival Eurovisão da Canção foi introduzido, a União Europeia de Radiodifusão reservou o direito de poder usar pontos inventados caso um país não tivesse uma votação de televoto ou júri válida.  Nestes casos, a solução passaria por usar o júri ou o televoto, consoante o caso, de outros cinco a seis países, e fazer a média dos 10 países mais votados por eles. Esses 10 países seriam aqueles que receberiam pontos do país que teve a votação inválida.

Esta situação aconteceu com São Marino este ano. O micro-Estado não possui qualquer operadora móvel própria, sendo as empresas italianas as que prestam serviços no seu território. Desta forma, São Marino nunca poderá usar o televoto como modo de votação sendo que, até então, apenas os votos dos jurados eram contabilizados.

Aquando da revelação dos resultados completos, após a final do ESC2016, não foi dada qualquer informação sobre que países foram usados para compor o televoto são marinense. Paul Jordan, gerente de comunicações e online da União Europeia de Radiodifusão, revelou que essa informação não será tornada pública, o que fez crescer ainda mais as suspeitas em torno do caso. Segundo Paul Jordan, "o grupo de referência decidiu não tornar a lista de países pública para proteger a integridade do televoto". Uma explicação que parece não convencer.

A situação ficou ainda mais agravada quando a própria SMRTV, televisão pública de São Marino, afirmou também não saber que países foram escolhidos. Alessandro Capicchioni, chefe da delegação são marinense, revelou que está a trabalhar num novo sistema que seja mais justo. Alessandro já tinha tornado público o seu desacordo com o sistema vigente, tendo dito ainda que não foi pedida autorização à SMRTV para a sua introdução.

São Marino atribuiu os seguintes pontos no televoto:
12 pontos - Ucrânia
10 pontos - Rússia
08 pontos - Lituânia
07 pontos - Polónia
06 pontos - Letónia
05 pontos - Austrália
04 pontos - Suécia
03 pontos - Bulgária
02 pontos - Arménia
01 ponto - Hungria

Os resultados do televoto foram bastante diferentes dos do júri. O caso que salta mais à vista é o de Itália, que seria de esperar que recebesse muitos pontos do televoto são marinense.

Veja como votou o júri de São Marino:
12 pontos - Ucrânia
10 pontos - Itália
08 pontos - Reino Unido
07 pontos - Rússia
06 pontos - Geórgia
05 pontos - Chipre
04 pontos - Holanda
03 pontos - Malta
02 pontos - Hungria
01 ponto - Áustria

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: eurovoix; eurovisionary / Imagem: eurovision.tv

22 comentário(s):

  1. Anónimo14:02

    Mas o sistema de votação não mudou este ano, o que mudou foi a forma como as votações são apresentadas ... como é possivel apenas este ano a EBU ter feito esta invenção de televoto se o país já participa à vários anos e nunca apresentou um televoto válido?! Não estou a perceber ....

    TACV

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro Carvalho14:02

      Essa parte do regulamento tambem foi alterada

      Eliminar
    2. Anónimo14:28

      Tecnicamente mudou visto que a distribuição de pontos mudou. Apesar de continuar a ser 50/50 o televoto passou a ser europeu e não país a país + júri

      Eliminar
  2. Pedro Carvalho14:07

    A questão que se coloca agora é: Ucrania ganhou com uma margem pequenissima. será que estes 12 PONTOS INVENTADOS não foram estrategicos para que a Ucrania ganhasse? Quando a informação não é clara, permite-se todo o tipo de suspeitas.

    ResponderEliminar
  3. E esta CAMBADA da EBUER tem ainda o descaramento de falar na protecçao da INTEGRIDADE do televoto!!! Como?!?! Eles fazem o que querem: Metem Australia no ESC desrespeitando os regulamentos basicos,desqualificam paises a ultima da hora(Romenia),inventam votos...What`s next???

    ResponderEliminar
  4. Anónimo15:03

    O que fazem no ESC estes bocadinhos de terra , só atrapalham e nem sequer tem musica local nem escolhem o melhor para serem representados podiam por os olhos no Monaco e no Luxemburgo quando participavam, fiquem de fora para que o ESC não seja tão longo e monotono.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S.Marino e um bocadinho de terra,que e a mais antiga Republica do Mundo. Monaco e Luxemburgo tambem levaram ao ESC muito lixo musical,mas gostos sao gostos,e quanto a produçao e musica local,bem,desde artistas gregos e jugoslavos a compositores sei la donde,de tudo levaram ao ESC.

      Eliminar
    2. Anónimo16:39

      Estes "bocadinhos de terra" têm tanta ou tão pouca música local (em termos de ESC), como países geograficamente maiores (Alemanha em 2010, Azerbaijão em 2011, Espanha em 2012, Geórgia em 2013, Áustria em 2014, Rússia em 2015, Rep, Checa em 2016 e... e... e...) que se fazem representar por canções de autores de outros países. E, por vezes, os "bocadinhos de terra" fazem história. Na transição dos anos 60 para 70 houve um festival de canções muito popular no Rio de Janeiro. Em 1968 Andorra fez-se representar por uma canção em francês, cantada por Romuald, um cantor que participou várias vezes no ESC por diferentes países. O êxito foi enorme (e os brasileiros não aderem sem mais nem menos ao que vem de fora...). Quando se soube que o júri lhe dado só o quinto lugar, os protestos não se fizeram esperar no Maracanãzinho. "E em quinto lugar Andorra" virou durante um tempo expressão popular, significando que uma injustiça teria sido cometida. E a "estória" passou até a filme (brasileiro). E no Brasil soube-se que havia um país (penso que nunca lhe chamaram um "bocadinho de terra") chamado Andorra. A "estória" que fez "história" pode ser confirmada em vários "sites" sobre o FIC (Festival Internacional da Canção do Rio de Janeiro). Quanto a estes "bocadinhos de terra" alongarem o ESC, penso que certas intervenções de porta-vozes contribuirão mais para isso.

      Eliminar
    3. Anónimo21:00

      A canção a que te referes é lindissima LE BRUIT DE VAGUES fez muito sucesso e o Romuald voltou no ano seguinte a representar Andorra ficando tambem em 5ºlugar ele acabou por ficar a viver no Brasil alguns anos em 1973 o Romuald representou a França com LAISSE-MOI LE TEMPS no festival de Vina del Mar essa canção foi gravada pelo Sinatra com o titulo Let me train again , tambem no festibal de Spot em 1968 o Romuald representou o Luxemburgo com Rien na changê e ficou em 3ºlugar , pequenos países que sabem aproveitar o bom que há na vizinhança e não precisam de ir buscar mediocridade a tão longe como S.Marino.

      Eliminar
  5. Anónimo15:08

    Isto so faz com que a Eurovisão perca credibilidade.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo16:02

    Tudo muito mal contado. Na verdade, o "site" oficial dá a entender ter havido televoto nesse país, mas não validado: "The televoting results have been declared invalid" é o que se pode se se consultar a votação de S. Marino. Ora não se pode "invalidar" o inexistente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:17

      Tens razão, consultei agora o site da Eurovisão.
      "Os resultados Resultados júri abaixo foram declaradas válidas de acordo com as Regras do Festival Eurovisão da Canção 2016. Os resultados televoto foram declaradas inválidas. De acordo com as regras, o televoto deste país foram substituídos por um resultado médio de um grupo representativo de resultados de televoto de outros países."

      Eliminar
  7. Anónimo17:06

    Mas a que votações, de que países terão dado mão para atribuírem um terceiro lugar à Lituânia, um quinto à Letónia e um sexto à Austrália? Que dez países consideraram as canções da Lituânia e da Letónia superiores à da Austrália? E a da Hungria (um ponto) superior à da França (zero)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:54

      A canção da Lituânia para mim era das piores desta edição, não sei o que viram na canção, mas enfim.

      Eliminar
    2. Anónimo22:10

      a cancao lituana era muito má mas a performance do Donny Montell o deixou num nivel muito superior, a diferenca que um artista faz e inmensa...

      Eliminar
  8. Anónimo17:07

    Nesta situação, o mais indicado a fazer seria colocar os resultados do televoto iguais aos do juri, ou seja, os pontos de São Marino seriam a dobrar...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo22:10

    RIP eurovision....

    ResponderEliminar
  10. Anónimo22:46

    Ahahahahahah

    E as televisões públicas são pagas pelos nossos impostos. De todos os televotantes (porque não participam TVs privadas).

    Ahahahahah

    E não se queixem. O que lá anda a fazer S. Marino? Hihihihi

    A lixar Portugal...

    Pwahahahahah

    =p~ =p~ =p~

    ResponderEliminar
  11. O pior de tudo é que o próprio canal de são marino e o chefe de delegação nsabiam disto! Alias se fosse eu o supervisor executivo encontrava uma solução para eles poderem votar.... Neste momento se eu fosse o chefe de delegação de São Marino retirava-me da Eurovisão no próximo ano em forma de protesto contra o sistema de votação!

    ResponderEliminar
  12. Anónimo09:13

    Uma coisa me intriga: parece que houve televoto, mas depois invalidado. Refere-se (e não duvido) que S. Marino não tem uma rede móvel própria. Mas há telefones fixos, dos quais se fazem chamadas de S. Marino para S. Marino. Por que é que os votos expressos por rede fixa não foram contabilizados?

    ResponderEliminar
  13. Anónimo16:11

    E lá vão continuar as teorias de conspiração contra a canção ucraniana ... o que esta gente faz para valorizar a música pimba russa ... bem pelo menos a canção da Austrália passa nas discos gays non stop ... que esquizofrenia meu deus LOL

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top