[ESPECIAL 2019] Os acontecimentos mais marcantes de 2019


Continuamos a fazer um balanço do ano de 2019 e, desta vez, vamos recordar os acontecimentos que mais marcaram o ano que terminou, enquanto decorre a votação do Acontecimento e Personalidade do Ano. Vamos recordar:

Conan Osíris e "Telemóveis" triunfam no Festival da Canção
Depois do mega Festival da Canção em 2018, a RTP voltou a apostar no modelo anterior para o concurso, convidando 14 compositores aos que se juntaram 1 do concurso Masterclass e 1 do concurso público. A Final do concurso teve lugar em Portimão, com Conan Osíris e "Telemóveis" a vencerem o certame com a pontuação máxima do júri e do público, algo inédito desde 2012.


Erro inédito na votação da Final do Festival Eurovisão
Após a polémica do júri da Bielorrússia na semifinal, a EBU/UER abdicou do júri do país para a Grande Final do Festival Eurovisão 2019, obtendo a votação através de um conjunto de júris de outros países. Contudo, a votação levantou alguma suspeita, visto que Israel recebeu a pontuação máxima da Bielorrússia... e não foi pontuado por mais nenhum júri. Dias depois, após um utilizador português no Twitter, a EBU/UER revelou que a votação foi mal calculada e apresentada ao contrário, levando a uma mudança de resultados com trocas de posições e a vitória da Macedónia do Norte na votação dos jurados.


Holanda vence o Festival Eurovisão 2019
A Holanda (atualmente designada como Países Baixos) conseguiu, em Telavive, a sua primeira vitória desde 1975, pondo fim a um dos maiores períodos sem vitórias no concurso. Duncan Laurence e "Arcade" arrecadaram 498 pontos, mais 26 que Itália, tendo sido a segunda mais votada pelo público e a terceira na votação do júri. Portugal foi o país que mais pontuou a canção com 20 pontos: 12 do júri e 8 do televoto.


Hungria anuncia retirada do Festival Eurovisão 2020
Representada por Joci Pápai e "Az én apám" em Telavive, a Hungria ficou de fora da Grande Final do Festival Eurovisão 2019 pela primeira vez desde 2009, pondo fim a um período de oito apuramentos consecutivos. Após meses sem qualquer revelação de pormenores sobre a participação em 2020, a MTVA revelou que o A DAL 2020 não seria utilizado como final nacional. Posteriormente, a EBU/UER revelou que o país não participaria no certame internacional, com a imprensa internacional a avançar que a retirada baseou-se na conotação LGBTIQ+ do Festival Eurovisão.


Pedidos de boicote ao Festival Eurovisão 2019 em Telavive
Após o triunfo de Netta Barzilai e "Toy" em Lisboa, várias associações apelaram ao boicote do Festival Eurovisão em Israel devido à questão da Palestina. Em Portugal,  José Mário Branco, Olga Roriz, Maria do Céu Guerra ou Alexandra Lucas Coelho foram signatários de algumas das petições. Contudo, Roger Waters foi o maior entusiasta ao boicote do concurso tendo feito diversos pedidos nas redes sociais, um deles dirigido a Conan Osíris. Contudo, no Final, nenhum dos países boicotou o concurso, que foi alvo de protestos e mensagem sobre a questão palestiana pelos Hatari e Madonna.



Polémica na Ucrânia leva a saída tardia do Festival Eurovisão 2019
Tal como nos anos anteriores, a Ucrânia realizou o Vidbir 2019 para eleger os seus representantes no Festival Eurovisão 2019. O concurso ficou marcado pela polémica entre Jamala e MARUV, com a vencedora do concurso de 2016 a abordar a concorrente sobre a questão da Crimeia. MARUV e "Siren Song" venceram o concurso, mas a emissora exigiu o cancelamento dos concertos da cantora na Rússia. Após a sua recusa, MARUV anunciou a sua desistência, com a UA:PBC a abordar outros candidatos, que recusaram também a participação. A Ucrânia anunciou a sua retirada do Festival Eurovisão 2019 e alterou as regras para a edição de 2020, proibindo a participação de candidatos que atuaram na Rússia depois de 2014.








Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem: ESCPortugal

Sem comentários