19 de maio de 2019

ESC2019: Polémica em torno da votação do júri da Bielorrússia


Depois da polémica em torno do júri da Bielorrússia na semifinal, a EBU/UER decidiu dispensar o painel bielorrusso e obter uma nova votação através da média de cinco jurados de outros países... que causou ainda mais polémica.

Após a primeira semifinal do Festival Eurovisão 2019, os elementos do júri da Bielorrússia revelaram, em entrevista, os seus favoritos da competição, algo que não é permitido pela organização. Deste modo, a EBU/UER decidiu dispensar o painel para a Grande Final, obtendo a votação do júri do país pela média de cinco jurados escolhidos aleatoriamente pela EBU/UER e pela KAN.

Contudo, a votação está a causar polémica, visto que Israel, país anfitrião, recebeu a pontuação máxima da Bielorrússia, sendo a única votação obtida pelo país na votação dos jurados. Nas redes sociais, muitos internautas criticaram a votação, baseando-se também nas restantes pontuações atribuídas pelo painel. Sérvia (19.º), Estónia (20.º), Alemanha (21.º), São Marino (23.º), Reino Unido (24.º) e Espanha (26.º) terminaram na parte inferior da tabela de votação dos jurados, mas foram pontuados pelo júri bielorrusso, sendo que a Austrália, sexta na votação do júri, foi a única canção do top10 a ser pontuada pelo painel cuja votação surgiu da média de cinco júris.

Votação do júri da Bielorrússia
12pts Israel
10pts Estónia
8pts Alemanha
7pts Noruega
6pts Espanha
5pts Reino Unido
4pts São Marino
3pts Sérvia
2pts Islândia
1pt Austrália


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv 

6 comentários:

  1. Desde que esta votação atípica não tenha influenciado, como me parece que não, a vitória do homem do piano não há problema nenhum e siga a dança.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:42

    Se o "júri" Bielorruso não tivesse dado os 12 a Israel eles teriam tido um resultado pior que Portugal teve o ano passado

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17:31

    Os 12 pontos foram realmente muito "convenientes" porque se não o país anfitrião acabaria com zero pontos do juri...

    ResponderEliminar
  4. eu topei logo a jogada deles...Deram pontos a todos os que estavam a zero ou com menos pontuação. Só a nós quando fomos organizadores é que não nos calhou nada assim ahahahah
    Foi patético mas foi a sorte de Israel ser poupado a uma vergonha

    ResponderEliminar
  5. Eu acredito que esse ano muita gente teve seus votos modificados para que as canções já marcadas para vencer fossem beneficiadas. Acredito na potência e na apresentação de Duncan Lawrence e sem querer tirar seu mérito, acredito que os fãs não dariam tão poucos votos para o Chipre, Portugal, Sérvia, República Tcheca e outros candidatos que vinham disparando à frente nos "pols" de votação. Como o Lake Malawi que nem era meu favorito, mas vinha disparado entre os fãs veio a receber 7 pontos numa final? Como os fãs não votaram tanto no tal Conan Osíris que era um dos favoritos à vencer...? Em quase 16 anos que venho acompanhando o festival pelas redes, nunca vi roubalheira maior. Esse foi o ano com maiores modificações agudas nas votações. Quem merecia ter vencido era a Tamta, a Tamara, a Kate, o Lake Malawi e outros com boas apresentações. Infelizmente esse é o meu registro de insatisfação com a Organização Israelense do Festival esse ano. Estou muito triste, não com o resultado, mas sim com as repentinas mudanças que afetaram à muitos bons candidatos de forma ruim.

    ResponderEliminar