ESC2019: EBU/UER reage à polémica na atuação de Madonna no Festival Eurovisão 2019


Madonna atuou na Grande Final do Festival Eurovisão 2019, onde deixou uma mensagem política com dois bailarinos a ostentarem uma bandeira de Israel e da Palestina. "A Eurovisão é um evento não político e a Madonna foi informada disso" comunicou a EBU/UER.


Apesar dos apelos de boicote, Madonna atuou, a noite passada, na Grande Final do Festival Eurovisão 2019, onde cantou "Like a Prayer" e "Future", canção do seu próximo trabalho e que defendeu juntamente Quavo. Contudo, a participação da cantora ficou marcada por um momento político: dois bailarinos, um com a bandeira de Israel e outro com a bandeira da Palestina apareceram no final da atuação, abraçando-se enquanto, no palco, apareceram as palavras "Wake Up" ("Acordem", em português).

Este momento escapou à organização que tentou, sem sucesso, mudar os planos das câmaras, visto que não são permitidas demonstrações políticas no evento. "Na transmissão ao vivo, dois bailarinos de Madonna usaram, num curto espaço de tempo, bandeiras de Israel e Palestina nas suas roupas. Este elemento do desempenho não fazia parte dos ensaios esclarecidos com a EBU/UER e a KAN. O Festival Eurovisão é um evento não político e a Madonna foi informada" informou a EBU/UER em comunicado enviado à EBU/UER.

Recorde a atuação a partir dos 2:45:06:



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix/BBC/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv 

18 comentários:

  1. Anónimo02:14

    Esta foi a melhor Eurovisão de sempre, Isreal queria fazer uma Eurovisão memorável e conseguiu, só não sei se foi pelos melhores motivos...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo02:56

    E a seguir veio a Islândia com os cachecóis...QUE BOMBA ali caiu!!!Adorava que eles tivessem ganho ia ser o fim do mundo =D Mas estou um bocado preocupada...espero que ainda estejam vivos :/
    Israel/KAN neste momento devem estar em brasa com toda esta Eurovisão...ao menos pro ano sempre é num lugar melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente andar com a bandeira gay na mão e o cachecol da Palestina noutra mão é bizarro...
      nos países muçulmanos homossexualidade é crime e gay é apedrejado. Os meninos da islandia não têm muita noção do ridículo

      Eliminar
    2. Anónimo14:14

      Eles não apoiam diretamente o regime palestiniano, mas sim querem demonstrar solidariedade para com as famílias que vivem em péssimas condições e são destruídas pelas forças israelitas. Por isso, isso de apoiarem tanto os LGBT (sendo que penso que apenas o dançarino que é de facto gay andou com a bandeira, embora acredite que os outros também apoiem esta causa) como as pessoas palestinianas é uma não questão. Pelo menos os dois vocalistas visitaram povos palestinianos e certamente estão cientes do que viram. E concordo que estes meninos por vezes são irritantes com as historinhas que contam e o troll que fazem, mas mesmo não sendo fã das personagens, reconheço que de burro não têm nada, de vez em quando dizem umas coisas bem acertadas (principalmente um dos vocalistas, o Matthías?) e planearam muito bem todos os pormenores do que vieram à Eurovisão fazer. No fundo, apoiaram a mesma causa que certamente muitos dos outros concorrentes e não só também apoiavam e tiveram a coragem de fazer o que os outros não fizeram. Podiam ter feito as coisas de outra maneira? Talvez, mas não teriam o impacto que tiveram. Ganharam o meu respeito por isso, independentemente de partilhar da mesma opinião deles ou não.

      Eliminar
  3. Chamem-na agora de velha,caquética,desafinada,ultrapassada...

    Mas esta mulher tem e sempre teve mais "tomates" que muita gente.Ao invés de simplesmente boicotar (como muitos histéricos o pediam), foi mais mais longe...foi lá e espetou na cara de 200 MILHÕES a hipocrisia que é estar a festejar e a dançar quando ha pessoas a passar fome,a ter os seus familiares presos e torturados.Ah e tal "blah blah eurovisão não é política".Tretas.Faz-me a lembrar a situação do Salvador em 2017.Que tipo de mundo é este em que vivemos em que num espetaculo que promove supostamente "união","diversidade" e mais não sei quantos slogans ridiculos e falsos; mensagens como a ajuda aos refugiados ou entendimento entre Israel e Palestina é considerado "político"??Não se trata simplesmente de algo minimamente humano desejar que todas as pessoas vivam em paz?

    Não está em causa ser pro-Palestina ou pro-Israel.O que ela disse no palco foi bem claro:" vocês são bem inocentes se acham que não sabemos dos vossos crimes"; "nem toda a gente aprendeu com o passado/nem toda a gente que está aqui vai durar" e principalmente "ACORDEM".

    Tenho orgulho de ser fã desta mulher e apesar de ter sido dos mais cépticos quanto à sua presença e às origens da mesma (pago com dinheiro do milionario israelita etc), depois do que vi, valeu tudo a pena.Ela sacrificou a sua popularidade junto dos israelitas /judeus e causou polémica por um bem maior que discos e streamings...Por mais artistas como a Madonna ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo07:23

      Tenho que concordar fui super corajosa e consciente. Sabe que é nestes momentos que se passa a mensagem e que se faz a diferença. Grande Madonna! "Acham que não sabemos os vossos crimes??"

      Eliminar
    2. Anónimo10:11

      É verdade!

      Eliminar
  4. A 1ª parte da atuação da madonna com aquelas escadas. Precisavamos de algo assim para a actuaçao do Conan. :(

    ResponderEliminar
  5. Anónimo06:21

    A Madonna devia see proibida de cantar. Ja não tem voz e tem Manis que é melhor que os outros

    ResponderEliminar
  6. André Gomes09:20

    Mas não ninguém que fale na mega desafinação e fora de tom desta senhora? Ah e tal, it's Madonna. Mas que a cena final foi em grande!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo09:49

    Desde quando mostrar a bandeira de um país é proibido na ESC? Vejo bandeiras de diversos países que não entram na ESC todo o tempo como a bandeira do Brasil por exemplo. Até vejo bandeiras interventivas na política dos países como a bandeira LGBT. Por isso não entendo porque raio seria proibido ostentar a bandeira da Palestina.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo10:35

    Ela desafinou na primeira canção, sem playback, e a segunda interpretou-a em playback. A voz já não dá para mais acrobacias nas cordas. Curiosamente, é estratégico da parte dela ter-se associado ao Quabo. Sozinha já não vai lá.

    Os comentadores suíços, que não apreciaram nada a intervenção dela, resumiram numa frase: "em todo o caso não seria ela que ganharia a Eurovisão deste ano!".

    lol

    ResponderEliminar
  9. A mulher foi paga a peso de ouro, deu um mau espetáculo e ainda gozou com a EBU e Israel. Grande Madonna!!!!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo13:51

    Vergonha de Prestação da Madonna para além DDa total desafinacão em Palco ,so tinha que ter respeito pelo país anfitrião que recebeu a Eurovisão deveria ser penalizada ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela faltou ao respeito a Israel em que medida?Explique-se.

      Disse mal de Israel e do seu povo?Não.
      Cuspiu ou pisou a bandeira de Israel?Não.
      Promoveu a causa palestiniana dizendo que Israel é o "mau da fita"?Não

      Ah espera... colocou as bandeiras de Israel e Palestina juntas e pediu que se entendessem de uma vez por todas?Que coisa horrível e sem noção mesmo (ironia)!!!

      Eliminar
    2. Anónimo16:22

      Como é que a EBU vai penalizar a Madonna? O único país que podem multar é Israel, porque foram eles que a convidaram.
      Por outro lado se israel proibir a Madonna de entrar no país, como "penalização", isso vai mostrar como no país não há liberdade de expressão e será abertamente um ato de censura

      Eliminar
  11. Anónimo14:21

    Também notei desafinação na primeira canção, a segunda correu bem com a performance.

    ResponderEliminar