ESC2019: EBU/UER recusa repetição da atuação da Noruega no 'jury show' da Grande Final


A EBU/UER recusou o pedido da delegação da Noruega para a repetição da atuação dos KEiiNO no jury show da Grande Final do Festival Eurovisão 2019.



A delegação da Noruega no Festival Eurovisão 2019 garantiu que apelou junto da EBU/UER para uma repetição da atuação no jury show, mas o pedido foi recusado pela União Europeia de Radiodifusão. "Em duas ocasiões, a câmara ficou preta quando os KEiiNO cantavam. Quando voltou a imagem, o camera men estava na imagem" explicou a NRK em comunicado, "Apresentámos queixa pelos erros das imagens, mas fomos informados que tal erro não teria qualquer consequência para a votação dos jurados".

No entanto, a NRK optou por nova via... que foi também recusada: "Enviámos uma reclamação formal à EBU/UER que também a recusou" explicou o chefe de delegação do país, "Este foi um erro técnico muito grave. Acreditamos que merecemos uma nova oportunidade, visto que esta é a votação do júri. (...) É claro que estamos desiludidos com a decisão e esperamos que tal não afete negativamente a votação do júri".



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: NRK/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

18 comentários:

  1. Anónimo22:38

    Isto passou dos limites

    ResponderEliminar
  2. Anónimo22:43

    Que venha o ESC 2020...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo22:52

    Esta EBU é uma burra assada!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo22:54

    Isto este ano já mete nojo...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo22:55

    Mas ninguém é responsabilizado por esta sucessão de incompetências?

    ResponderEliminar
  6. Anónimo22:55

    A organização desta Eurovisao está a prejudicar muitos países. Nunca tantos países reclamaram tanto. Agora entendo porque Lisboa foi mto boa e reconhecida pela EBU como a melhor dos últimos anos.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22:58

    Não há dúvida que estes rapazes este ano estão a conseguir fazer tudo mal

    ResponderEliminar
  8. Anónimo23:06

    Israel não pode voltar a ganhar tão cedo... Este ano o festival bateu no fundo

    ResponderEliminar
  9. Bem feito! Quiseram votar na galinha o ano passado, agora aguentem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:41

      Concordo Sra. D. Martins. Esta Eurovisão tem que mudar e não ser sobre comidas! Um ano temos galinha, no outro temos vegetais. Já chega.

      Eliminar
    2. Anónimo00:13

      Vegetal? Refere-se à alface ou ao espinafre chamado Conan!

      Eliminar
    3. Anónimo03:39

      Concordo, andaram a falar mal de Portugal e da sua organizaçao pois agora vao provar o proprio veneno. Terão os proprios países prejudicados. SENTA E CHORA, EUROPA

      Eliminar
  10. Anónimo23:56

    Quem sabe a Noruega ou o Azerbaijão poderiam lutar pela vitória? E o que fazem? Problemas técnicos. à Noruega muito "acarinhada" por muitos eurofãs, foi crasso o erro, a imagem preta e filmar o cameramen, ao Azerbaijão, descer o coração a laser até à virilha? what?
    Ou seja, fala-se muito da Austrália, da Suiça... então há que juntar e ainda colocar Espanha... Ou seja toca a enjoar o público, ficar confuso, e anular estas entradas.
    Depois fazer asneira noutros como Noruega e Azerbaijão.
    Colocar outros como por ex. Malta bem lá no início.
    E o que sobra? Claro Suécia, Rússia e Holanda. Um deles ganha. O taco a taco este ano irá ser entre os dois.
    No entanto colocar a Holanda depois de Chipre e antes de Grécia, é enfim fazer uma espécie de efeito de acalmia em palco e fazer sobrassair ainda mais a canção. Tipicamente o que Salvador Sobral teve.
    Já a Suécia, depois de uma forte mensagem da Macedónia do Norte, não vá emocionar demasiado o espetador e então colocar alegria, que tal gospel e depois uma secante Eslovénia. Logo a Suécia tem tudo, animar depois de algo forte e deixar os mais sensíveis angustiados, e continuar a ser falada com a entrada esquecível da Eslovénia.
    Por fim outro que irá batalhar pela vitória e que quiçá repetir o resultado em 2016, a Rússia vem a seguir de uma Alemanha que ninguém aprecia, é a última nas apostas e pasme-se... com aquele staging a desmontar e colocar a enorme cadeira da Dinamarca, claro um mini intervalo... que tal pôr o espetador a comentar toda a atuação russa por largos minutos.
    O restante pode ficar no top mas não irão beliscar estes dois: Islândia, Itália, França nenhum deles conseguirá convencer o suficiente.
    Claramente por mais que digam ser independentes bla bla bla, a Eurovisão por culpa da EBU/UER não e isenta e tudo é feito à medida. Quem quer ganhar este ano? Candidatos? Pronto... depois devem escolher aquele que mais lhes enfia no bolso.
    O que mais me estranha é o "senhor disto tudo" "Olá Areia" ser norueguês, recusar novo ensaio da Noruega e não levar com que a NRK volte a organizar o Eurofestival. Talvez porque a NRK foi das poucas que gastou muito pouco com o festival. Ah e só usou luzes tal como Portugal, e não leds!! E que certo ganhar outra vez não esbanjaria como a KAN em leds e depois nem dinheiro tem para organizar e contratar uma produção de nível superior que um espetáculo destes exige.
    Pro ano digam olá Amesterdão 2020, Moscovo 2020 ou Estocolmo 2020. Talvez aposte em Gotemburgo 2020. Afinal a SVT quer igualar a RTE no número de vitórias e já demonstrou que quer variar as cidades que sediam o festival.
    As teorias da conspiração eurovisivas confirmaram-se já amanhã!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já tinha reparado nisso. A EBU e a suecada querem a vitória da Suécia ou da Holanda. Mesmo que a Suécia não consiga vencer, pelo menos fica no 2º lugar, porque a Suécia, leve a porcaria que levar, tem obrigatoriamente que ficar bem classificada. Os outros países, mesmo que se tenham esforçado e trazido uma boa musica, que se lixem.
      Por causa dessas manobras é que eu defendo o alinhamento via sorteio.
      E as delegações vêem essas coisas e calam-se.
      É todos os anos a mesma coisa, mas este ano é por demais evidente.
      A minha esperança é que o televoto faça justiça, e como no ano passado coloque a Suécia no lugar que ela merece.

      Eliminar
    2. Anónimo13:31

      Vamo lá lavar a Boca quando se fala na Suécia

      Eliminar
  11. Anónimo03:41

    Não so a noruega, outros tambem tiveram problemas como chipre. Vergonhoso. Mas devo dizer que me da um bocado de prazer e até agradeço que Conan nao esteja na final pois tambem ia levar com isto e provavelmente acabar no bottom 5 injustamente.

    Queriam LEDS, queriam confettis e festa, pois agora aguentem. E isto tambem vai acontecer na final...preparem-se

    ResponderEliminar
  12. Anónimo10:53

    Também sou da opinião que a culpa é dos que votaram na galinha choca o ano passado, mas sobretudo da EBU(rra), que voltou com a palavra atrás ao não retirar o prémio à mesma, quando se provou que era uma canção plagiada, motivos mais que suficientes para o ESC nunca poder ser realizado em Israel! Os paises que organizam o ESC têm culpa nas falhas técnicas que prejudicam as actuações, mas mais culpa é da EBU(rra)! É chegada a hora dos dirigentes que lá estão, na EBU(rra), serem corridos por justa causa! As televisões europeias que se juntem para terminar com esta vergonha, que já vão tarde!

    ResponderEliminar
  13. Anónimo17:27

    Toca a votar em massa na Noruega! Justiça seja feita!

    ResponderEliminar