ASC2021: Revelados mais detalhes sobre o 'American Song Contest'


Jon Ola Sand, em comunicado, revelou mais detalhes sobre o American Song Contest, formato que foi apresentado esta manhã em Telavive.


Depois da informação ter sido avançada pela imprensa sueca, como pode recordar AQUI, a produtora sueca Brain Academy organizou, esta manhã, uma conferência de imprensa para revelar mais detalhes sobre o American Song Contest, spin-off do Festival Eurovisão nos Estados Unidos da América. O contrato foi assinado nas últimas duas semanas, com o lançamento previsto para 2021.

"Mal podemos esperar para apresentar esta maravilhosa competição ao maior mercado televisivo do mundo. O público de televisão/vídeo está cada vez maior, então este é o momento perfeito para levar este espetáculo ao público americano" frisou o CEO da Brain Academy, enquanto Jon Ola Sand, supervisor executivo da EBU/UER, reagiu ao lançamento através de um comunicado. "Por mais de 6 décadas, o Festival Eurovisão, desenvolvido pela mídia de serviço público, juntou todos com os seus valores de diversidade, universalidade e inclusão. Como parte da estratégia geral da EBU/UER de aumentar a marca, chegou a hora do Festival Eurovisão rumar aos Estados Unidos da América para alcançar ainda mais espectadores. Estamos muito satisfeitos que este crescimento seja supervisionado por algumas pessoas que criaram alguns dos seus momentos mais brilhantes" frisou, garantido que mais detalhes serão revelados em breve.

De realçar que, em 2006, a organização avançou que a NBC havia adquirido os direitos da competição nos Estados Unidos da América. Contudo, os planos para a realização do evento nunca avançaram e o concurso europeu foi transmitido pela primeira vez em 2016, através da Logo TV.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte:Eurovoix / Imagem: Eurovisiontv



7 comentários:

  1. Anónimo14:47

    Brasil e os outros país do sul do continente também são América.
    Devia ser EUA Song Contest

    ResponderEliminar
  2. money money....must be funny..in a rich´s man world

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:15

    Não me admira nada esta notícia de criarem um novo certame. Se os Estados Unidos fossem um país pobre, a EBU/UER estava-se nas tintas para este país. O que faz o dinheiro. São todos países, portanto a EBU que PARE IMEDIATAMENTE DE FAZER INJUSTIÇAS, sou contra a existência do Big5 na Eurovisão, mesmo sabendo que estes 5 países financiam mais o certame, mesmo assim, acho que são todos países, portanto a REGRA É IGUAL PARA TODOS. Não concordo com muitas atitudes que a EBU toma em relação á Eurovisão, uma delas, foi que em 2015 convidou a Austrália para participar no Esc e ainda por cima, para piorar mais as coisas, teve entrada directa na final, isto é um exemplo de prova que a EBU tem simpatias por uns países e antipatia por outros. Não é justo. Já para não falar que a Austrália nesse ano teve uma péssima canção e este ano o mesmo cenário repete-se, passou á final e não devia ter passado. Uma das piores da noite passada. Suécia, Rú´ssia e Austrália passarão sempre á final do Esc e outros países será muito difícil passarem á final. Portugal já lá vai com 9 falhanços da passagem á final.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo08:43

      A Rússia o ano passado não passou...

      Eliminar
  4. Anónimo17:05

    Sim sim.. Tambem nao iam fazer o Asia vision? Onde esta ele?

    ResponderEliminar
  5. Anónimo20:56

    Money Money Money

    ResponderEliminar
  6. Anónimo22:44

    Mais um passo para o Worldvision Song Contest. Gostaria de o ver antes de morrer. As diferenças horárias é que são um problema... esta Terra é redonda e enorme, tão pequena sendo. Hihihi Vai ser nos Açores o primeiro festival euro-americano. lol

    ResponderEliminar