ESC2019: Roger Waters pede a Conan Osíris para boicotar o Festival Eurovisão 2019


O cantor e compositor Roger Waters revelou, nas redes sociais, que pediu a Conan Osíris para boicotar o Festival Eurovisão 2019: "Expliquei que a Eurovisão poderia ser um ponto de inflexão". O cantor português ainda não respondeu ao pedido.



O  músico, cantor e compositor inglês Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, revelou, através das suas redes sociais, uma carta aberta a Conan Osíris e aos outros 41 finalistas do Festival Eurovisão. No texto, Roger Waters, conhecido pelos seus sucessos boicotes e apelos de boicote a Israel, apela a que o cantor português aproveite a oportunidade para se juntar à causa palestiniana, boicotando o evento: "Há alguns dias escrevi uma carta ao jovem e talentoso cantor português Conan Osíris (...) Foi-me dito que ele não tinha a certeza se iria a Telavive ou não. Escutei a canção dele e consegui uma tradução da letra, onde ele falava sobre usar o telemóvel para fazer perguntas sobre a vida, morte e amor. Foi bastante profundo (...) Escrevi-lhe e sugeri-lhe a oportunidade de falar pela vida sobre a morte (...) e mostrar solidariedade aos 189 manifestantes desarmados mortos a tiro em Gaza".

Contudo, o britânico revela que "até agora não há resposta de Conan", frisando que, na carta, explicou-lhe "que a Eurovisão poderia ser um ponto de inflexão". Além disso, o cantor garante que "fontes confiáveis" lhe garantiram que a Comunidade Criativa pela Paz, associação que garante "ser um desdobramento das organizações de propaganda apoiadas pelo governo de Israel", abordou "pessoalmente o cantor", persuadindo-o a participar no evento. 

Até ao momento, Conan Osíris ainda não reagiu às declarações de Roger Waters.



Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: RogerWaters/ Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

22 comentários:

  1. Anónimo21:32

    E pk nao pede a outro?? Expliquem me

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:41

      Realmente

      Eliminar
    2. Anónimo21:45

      Está bem claro no artigo, que ele pediu a todos os participantes, o Conan foi um deles.

      Eliminar
    3. Anónimo21:46

      Já tem assinado varias cartas abertas para boicotar a Eurovisão em Israel, em tudo caso não acho que o Conan renuncie porque já não pode fazer

      Eliminar
    4. Ele pediu a todos

      Eliminar
    5. Não sei se será bom ...mas se for eentao que se cumpra a promessa da pax

      Eliminar
  2. Anónimo21:54

    E porquê o Conan? O Roger Waters não é britânico? Por acaso fui ao facebook dele e de facto ele só se dirige ao Conan, talvez por causa da letra. Ele que faça pressão junto do representante britânico e deixe o Conan em paz.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo22:55

    Pelo comentários é óbvio concluir que o Roger Waters está a agir mal e se ele tiver sucesso apenas vai conseguir prejudicar a causa Palestina na praça da opinião pública.
    Não é o Conan ou outros dos artistas que devem boicotar, mas são o Roger Warers e as pessoas que partilham da opinião dele que devem aproveitar a situação, este momento em que tantos olhos vão estar voltados sobre Israel para informar o público sobre o que está realmente a passar na Palestina.
    Se eu fosse o Roger Waters organizava um concerto alternativo à eurovisão como forma de protesto

    ResponderEliminar
  4. Luis Andre Santos00:28

    epá ... deixem jogar o Mantorras ! ! ! ... Parte 2 ... eh eh eh ... GO CONAN GO ... TO TEL AVIV! ! ! make music, not war ... já inventei aqui uma data de hashtags

    ResponderEliminar
  5. Anónimo03:34

    Esta nuvem apareceu e continua a pairar porque a RTP e Conan Osiris não foram claros assim que a duvida apareceu. Confesso que ficaria possuído da vida se não formos a Israel.

    ResponderEliminar
  6. Gente verdadeiramente ignorante. Este inglês que se preocupe com o brexit. Se o homem pensasse em política não teria concorrido ao FC porque quem ganha sabe que tem o destino certo da Eurovisão. Ninguém vai com uma canção a concurso a pensar que não tem hipóteses de ganhar.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo15:29

    Isto parece de malucos, sinceramente. Alguém diz alguma coisa sobre os cristãos que são mortos, raptados, convertidos forçadamente ao islão(especialmente raparigas menores no Egito) nos países árabes? E a Turquia? Que matou e/ou expulsou todos os cristãos(Gregos, Arménios, Georgianos) para poder ficar com as suas terras e casas? Já agora Espanha que ocupou Olivença, se calhar também não devemos participar para protestar isso. Quando Israel foi fundado em 1948 os países árabes expulsaram todos os judeus e ficaram com as suas casas e outros haveres, estas pessoas não tinham qualquer culpa que o estado de Israel tivesse sido fundado. Existem muitos mais dados sobre o que se passa na região basta ler e estudar um pouco para perceber um pouco melhor o que se passa. Não defendo tudo o que Israel faz mas acho que há que ter em atenção quanto a conspirações e propagandas sem usar pensamento crítico e ir a trás de ideologias políticas ou outras. Segundo as regras a Eurovisão o concurso deve se afastar posições políticas e o mesmo digo aos concorrentes, neste caso específico ao Conan.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:28

      A questão israelo-palestina é muito mais complicada que muçulmanos vs. judeus.
      E o BDS parece centrar-se em causas erradas, no apartheid israelita (que existe, as populações não judaicas têm as mesmas leis e direitos mas Netayahu faz questão de dizer que são cidadãos de segunda e existe um favorecimento institucional para com os cidadãos judeus) e depois a questão da faixa de Gaza, denominada a maior prisão a céu-aberto, que é um território sub o dóminio do Hamas e não da autoridade Palestiniada, na verdade quando se fala da Palestina falamos de duas Palestinas distintas, a faixa de gaza, governada pelo Hamas e da cisjordânia, um território parcialmente ocupado por Israel e administrado pelo governo israelita e o resto gerido pela autoridade Palestina.
      A questão é existem leis diferentes entre as duas Palestinas, por exemplo, enquanto que na faixa de Gaza a homosexualidade é ilegal (punível com 10 anos de cadeia) na Cisjordânia não o é (apesar de não haver reconhecimento legal), por isso a causa Palestina não é uma, mas são duas.
      Sendo, a meu ver, a mais importante a da Cisjordânia, já que desde a ocupação que a população Palestina têm perdido cada vez mais e mais território. Basicamente o que aconteceu na Turquia com o cristãos está a acontecer no território Palestino, por exemplo, aquele jogo de futebol que a Argentina cancelou era para se realizar num estádio num terreno onde antes existia uma aldeia Palestina. Mas à que dizer a verdade, neste conflito não à bons ou maus, a expulsão de Judeus em 48 não justifica a expulsão de Palestinos, estamos aqui a falar de cidadãos comuns cujas vidas são destruídas pelas decisões de políticos que tomam as suas decisões baseados em livros com séculos de antiguidade e narrativas pós-colonialistas de nacionalismo.
      Qualquer mudança que realmente aconteça, neste momento, só acontecerá com uma mudança de governo em Israel, a coligação de extrema-direita de Netayahu têm como objetivo assimilar a Cisjordânia aos poucos e poucos e apagar a Palestina do mapa, sendo que, a maior razão que ele dá para manter-se no poder é que um novo governo pode retomar as negociações que existiam entre Israel e Palestina em 99 (último ano que a eurovisão foi organizada em solo israelita).
      Para mim o que Roger Waters devia fazer, como forma de protesto e imitando o senhor da Virgin Records no caso da Venezuela é organizar um concurso/concerto nos mesmo dias da eurovisão, com o objetivo principal de angariação de fundos para a população Palestina.
      Aproveitar a situação para expôr aquilo que considera negativo por parte do governo Israelita e fazer algo concreto que ajude a Palestina.

      Eliminar
    2. Anónimo17:08

      Queria só esclarecer que quando falei de "causas erradas" perdi-me um bocado na linha de pensamento e não quero dizer que as situações descritas não devam ser faladas ou defendidas, mas acho que em vez de se centrarem nas questões políticas, a BDS devia centrar-se em causas sociais, em concreto ajuda humanitária na cisjordânia e faixa de gaza.

      Eliminar
  8. Anónimo15:54

    Já agora deve acrescentar-se que este senhor elogiou muito recentemente Maduro, cuja política na Venezuela tem tido os resultados de que vamos sabendo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:41

      Ele e o Putin estão no mesmo fã club, aliás, haver esta pressão para os outros representantes saírem do concurso seria muito bom para o Sergey

      Eliminar
  9. Anónimo17:08

    Gaza também tem fronteira com o Egito e eles também não abrem as portas, tendo muito mais afinidades com esse povo. Os palestinianos têm sido usados como arma contra Israel pelos Árabes, porque mantêm-nos em campos de refugiados uma vez que quando decidiram eliminar israel do mapa por rádio disseram à população para deixarem as casas que depois da vitória poderia voltar? O mal foi que perderam a guerra. Depois existe esse problema da 'ocupação' nunca vi um país que conquistasse terras numa guerra e tivesse que as devolver, por exemplo Portugal teria que devolver muita terra se assim fosse, com este raciocínio teríamos que dar razão ao Daesh quando quer vir reclamar o que foram uma vez terras sob o domínio muçulmano aqui na península Ibérica. Para além disto Israel no princípio dava trabalho aos palestinos e eles tinham boas condições de vida e para criar os filhos mas devido à religião e fundamentalismo islâmico os palestinos começaram a rebentar bombas em israel, em restaurantes, autocarros, sem se importar quem morria desde crianças a idosos. Israel teve que fazer alguma coisa para evitar isso, acho que qualquer país faria. Tem feito mal, certamente que muitas vezes mas há que tentar entender um pouco o que se passa(va). Uma vez que Israel concordou em sair da Cisjordânia então tem que fazê-lo e os colonatos são ilegais, mas como já disse num post acima, a coisa não é tão simples como parece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:47

      "nunca vi um país que conquistasse terras numa guerra e tivesse que as devolver"

      Relativamente a isso estou a pensar na Alemanha depois da segunda guerra mundial, a união soviética depois da queda do muro de Berlin, França e Inglaterra depois de Waterloo (e ainda hoje os espanhóis reclama Gibraltar de volta), Portugal na altura da descolonização, os Estados Unidos depois de invadirem o Iraq e Afganistão...
      Hoje em dia entrar por um país adentro e anexar territórios está muito mal visto, mas em todo o caso a desculpa história não faz muito sentido. Porque se fosse a coroa espanhola poderia reclamar o território português (usando o período Filipino e o período pré-Afonsino como justificação), talvez até a coroa francesa poderia declarar portugal como parte do seu império, talvez a casa real brasileira é que têm realmente direito sobre o nosso país, ou então vamos voltar a ser um califato como bem disse, ou então vamos juntarnos com outros países e recontruir o império romano, ou então declarar o nosso país como um colónia da grega, talvez da Fenícia ou será dos Celtas?
      Onde é que devemos parar na árvore da história para decidir quem é dono do quê?
      Lembro que a última vez que alguém pensou nessa questão e quis reconstruir o Império Germânico e o Império Romano deu-se a segunda guerra mundial.

      Eliminar
  10. Anónimo18:55

    Calma gente, O Conan não pode renunciar nem porque ele quiser, já o praço para cambiar cançoes já passou e se ele se retira a RTP poderia ser multada gravemente (que isso vai pasar com Ucrania por ter ser retirado), ademas acho que o propio Nuno Galopim tera explicado aos convidados que iriam Israel se algum deles ganhaba

    ResponderEliminar
  11. Anónimo23:40

    A SIC deu destaque a esta noticia...assim como a RTP e frisou que Conan ainda não se prenunciou sobre o assunto. Vamos pedir ao Conan para não ceder a este pedido...isto não é justo para os portugueses que depositaram nele o voto de representar Portugal. Todos ja sabiam onde ía ser realizado o Festival....

    ResponderEliminar
  12. Anónimo01:31

    Esta situação irrita-me profundamente, o Roger Waters está a implicar que o Conan é cumplice do que se passa em Israel! Ele é sensível, se o chantageiam desta forma temo que ele possa vir-se abaixo... :(

    ResponderEliminar
  13. Anónimo09:58

    Façam também um movimento para pedir ao Conan para não se deixar influenciar sobre essas questões que não é um tema que ele possa resolver. Existem outras identidades com mais poder que não conseguem fazer nada por isso não é justo e tolerável pedir um esforço desses a um artista que vai ter a grande oportunidade de divulgar o seu trabalho internacionalmente. Conan nós te elegemos e tu não vai resolver um problema que é universal. Conan foste o eleito para ir a ISRAEL! Os portugueses votaram em ti...

    ResponderEliminar