Islândia: Hatari querem "usar o palco da Eurovisão para protestar contra Israel"


O grupo techno islandês Hatari, um dos favoritos à vitória no Söngvakeppnin 2019, querem atuar no Festival Eurovisão 2019 para "protestar contra a política israelita em relação aos palestinianos".

Apontados como uns dos favoritos à vitória no Söngvakeppnin 2019, o grupo techno islandês Hatari conquistou, ontem, o apuramento para a Grande Final do certame islandês com "Hatrið mun sigra". No entanto, o grupo quer utilizar a sua possível participação no Festival Eurovisão para mostrar o seu descontentamento com a situação da Palestina: "Usaremos o palco do Festival Eurovisão para protestar contra a política israelita em relação aos palestinianos" afirmaram em entrevista a um site do país.

Apesar de terem sido uns dos signatários da petição contra a participação da RÚV em Telavive, os elementos da banda reconhecem que "a Islândia irá participar num concurso organizado num país que viola os direitos humanos". Porém, admitem que poderão ser desclassificados até maio: "As nossas possibilidades de chegar lá são baixas (...) porque canções e acções políticas são proibidas no certame".

Recentemente, o grupo Hatari já havia estado em destaque na imprensa do país, ao desafiar o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu para um duelo de Gliman, uma luta tradicional da Escandinávia. Em caso de vitória, o grupo queria a regulamentação de uma sociedade BDSM na costa do Mediterrâneo sendo que, em caso de derrota, o político receberia o arquipélago das ilhas Westmannaeyar, depois das "mesmas serem esvaziadas de pessoas, com medo de expulsão de Benjamin".


 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: TimesofIsrael / Imagem e Vídeo: RUV

9 comentários:

  1. Anónimo19:12

    Hatari a ensinar à europa como se deve protestar na Eurovisão.
    Os meus parabéns, espero que ganhem a final, nem que seja para o governo Israelita fazer o mesmo que o Ucraniano fez à Yulia, talvez a venda caia aos europeus que acham Israel um país democrático e queerfriendly

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:55

      Concordo com a sua opinião. Esta canção tem uma letra que é uma bofetada de luva branca à paz podre e vendas que há entre os altos responsáveis. Espero que ganhe e, assim sendo, quiçá, mesmo "Nadie se Salva" no ESC.

      Eliminar
    2. Anónimo12:30

      Claro, caro anónimo democrata é a Palestina e outros países árabes onde as eleições são frequentes...e queerfriendly então nem se fala. Experimenta passear por lá com uma bandeira arco-iris e logo vês
      Falam mas nunca lá puseram os pés...
      A paz podre é dos dois lados ou vocês não sabem que para os árabes, Israel nem devia existir?
      tenham um pouco de honestidade, sff

      Eliminar
    3. Anónimo15:09

      Anónimo das 12:30, o típico discurso dos Netayahus deste mundo.
      Só porque há países piores não devemos criticar Israel?
      Criticar Israel não é apoiar outros países. Criticar o governo Israelita não é dizer que o governo da Coreia do Norte é melhor.
      Israel, Egipto, Irão, Arábia Saudita são todos países sem democracia e onde os direitos da comunidade lgbt são negados, o que me revolta no governo Israelita é a propaganda usada para vender o país como queer-friendly quando não é e quando quem governa é uma coligação de extrema-direita que aparentemente é amiguinha de diversos ditadores deste mundo (investigue como Israel recebeu Duterte no país para perceber o que estou a falar)

      Eliminar
  2. Epah por amor de deus, o palco da Eurovisão não é lugar para políticas e sim pra música, as pessoas não percebem isso. Força estraguem a Eurovisão se isso qie querem

    ResponderEliminar
  3. Anónimo20:20

    A ensinar? Vao e ser drsclassificados com uma pinta... As coisas fazem se em segredo. Ganhavam e iam a Israel e depois na atuaçao diziam o que tinha a dizer. Agora assim ja firam

    ResponderEliminar
  4. Ricardo21:01

    Já foram então. Ousar protestar contra o estado israelita? Já foram mesmo.

    Mas aplaudo-os por se manterem fiéis às suas ideias.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo21:31

    Cheira-me que a Eurovisão este ano ainda vai trazer muita confusão. A ver vamos o drama que pr`aí vem.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:43

    Isto é coisa para ir à eurovisão e arrasar!

    Tem uma estrutura de canção bem ao estilo eurovisiva (uma estrutura semelhante aos melhores schalggers nórdicos), mas com uma sonoridade muito diferente.

    A apresentação, para uma final nacional como a islandesa, já está muito boa!

    ResponderEliminar