Yianna Terzi: "Há uma história sobre a nossa desqualificação... mas prefiro deixá-la para trás"


Em entrevista na televisão grega, Yianna Terzi recordou a sua passagem pelo Festival Eurovisão 2018 em Lisboa: "A delegação grega não foi com total apoio. Não importa quem fez isso! Prefiro concentrar no quanto o público e a imprensa nos apoiaram".

Apesar de ser uma das canções melhor cotadas na pré-temporada eurovisiva, "Oniro mou", canção representante da Grécia, falhou o apuramento para a Grande Final do Festival Eurovisão em Lisboa. Sete meses depois da participação, a cantora Yianna Terzi recordou a prestação na capital portuguesa no programa "After Midnight", apresentado por Eleonora Meleti: "A delegação grega não foi para Lisboa com total apoio. Não importa quem fez isso. Há uma história muito complexa sobre a nossa desqualificação mas que prefiro deixar para tal e concentrar-me no quanto o público e a imprensa apoiaram a nossa canção. Foi inesperado! A nossa canção influenciou o sentimento dos gregos e não quero estragar esse sentimento com o que levou à nossa declassificação".


Questionada sobre a participação no concurso, a cantora revelou que tudo aconteceu... inesperadamente: "Não havia planos para a minha participação. Compusemos algumas canções em inglês e entregámos os temas a um cantor para a Eurovisão. Nisso apareceu o anúncio da ERT e a decisão de levar uma canção em grego a Lisboa. Então resolvemos aproveitar a oportunidade e compusemos a canção em 40 minutos. Tudo aconteceu do nada... Enviámos a demo e mantive a esperança na canção. E estava correta... Em apenas dois dias após o lançamento, a canção estava nos tops das diversas plataformas." afirmou Yianna Terzi, manifestando o desejo de regressar ao Festival Eurovisão nos próximos anos "enquanto cantora ou compositora".

Estreante em 1974, a Grécia, vencedora do concurso em 2005, conta com 39 participações no Festival Eurovisão. Yianna Terzi e "Oniro mou" representaram o país em Lisboa, terminando em 14.º lugar com 56 pontos, falhando o apuramento para a Grande Final pela segunda vez na história.



Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: NewsBeast / Imagem/Vídeo: Eurovisiontv

5 comentários:

  1. Anónimo23:20

    Esta mulher é só intrigas

    ResponderEliminar
  2. Anónimo23:41

    A música era uma treta, ela desafinou que se fartou e a apresentacão em palco foi meh. Não passaram à final? Pro ano há mais...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo03:13

    Que chata esta tipa, ja nao ha paciencia

    ResponderEliminar
  4. Boa sorte Yianna Terzi. você e outros mais (Suíça, Bélgica, Portugal, Romenia,Hungria, Azerbaijão, Croácia) foram injustiçados nas semis ou final para porcarias ocuparem seus lugares. É uma pena que o povo de hoje em dia tem um gosto musical tão ruim por musicas tipo: Israel, Republica Tcheca, Austria, Alemanha, Itália, Austrália e Suécia deste ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostos são gostos, mas chamar as músicas de Alemanha (música que pessoalmente não aprecio),Austria e principalmente Itália de ruins é um bocado forçado.
      E btw,tanto a Suécia como a Austrália foram arrasadas pelo público, se há alguém a culpar é o júri que tem escolhas todos os anos um pouco...duvidosas

      Já a Grécia,Azerbaijão e Bélgica tinham músicas bem interessantes mas não acho que a não qualificação tenha sido injusta.As intérpretes não estiveram a altura das músicas e isso também é importante.A actuação grega foi absolutamente um desastre.Demasiada coisa a acontecer em palco para esconder um performance vocal fraquissima.

      Em relação a Israel e Republica Checa, as músicas podem ser banais e desinteressantes mas foram bem defendidas. A prova disso é que o júri português (normalmente ultra-conservador) pontuou Israel.Provavelmente porque a Netta até tem uma boa voz e carisma em palco, o que "abafou" um pouco a porcaria da canção dela.

      Eliminar