ESC2019: Presidente da IPBC vota contra empréstimo para o Festival Eurovisão 2019


O governo israelita e a emissora IPBC chegaram a acordo sobre um empréstimo de cerca de 15 milhões de euros para o Festival Eurovisão 2019. O presidente da emissora, Eldad Koblenz, votou contra.


Depois da emissora estatal israelita IPBC/KAN ter manifestado a sua preocupação em fornecer o financiamento necessário para receber o Festival Eurovisão, a emissora e o Governo chegaram a acordo sobre um acordo sobre um empréstimo de cerca de 15 milhões de euros (70 milhões de shekels) para a organização do evento. "A colocação de cerca de 110 milhões de shekels do seu próprio orçamento (que ronda os 700 milhões) em apenas três noites de transmissão, poderia prejudicar produções locais e o futuro dos funcionários (...) Realçando a grande importância para a economia e imagem do país, o Conselho da IPBC concordou em fazer um empréstimo para a realização do certame, seguindo as leis estipuladas".

Contudo, a decisão não foi unânime: Eldad Koblenz, presidente da IPBC, votou contra o empréstimo, manifestando a sua preocupação com a possibilidade da emissora não conseguir pagar os valores conforme estipulado, o que poderá "deixar a emissora vulnerável à interferência política". De realçar que, além do valor do empréstimo, a IPBC fornecerá cerca de 40 milhões de shekels do seu orçamento para a organização do certame em Telavive.

Estreante em 1973, Israel participou em 41 ocasiões na Eurovisão, totalizando quatro vitórias: 1978, 1979, 1998 e 2018. Em Lisboa, o país foi representado por Netta Barzilai e "Toy", tema vencedor da competição com 529 pontos, 2 deles oriundos de Portugal.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: eurovoix /Imagem: Google / Vídeo: eurovision.tv

2 comentários:

  1. queres atribuir à emissora o triplo do que foi atribuido à RTP
    israel quer impressionar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:34

      Portugal foi poupado (talvez mais do que devia) mas não foi mesquinho como Israel està a ser, exigindo que o dinheiro investido seja pago de volta

      Eliminar