Israel: Compositores de "Toy" assinam acordo com a Universal Music


A imprensa israelita avança que os compositores de "Toy" chegaram a acordo com a Universal Music sobre a polémica em torno de um eventual plágio, atribuindo à gravadora norte-americana parte das receitas do tema vencedor do Festival Eurovisão.



A polémica estalou no início de julho: a Universal Music contactou Doron Medalie e Stav Beger, compositores de "Toy", tema vencedor do Festival Eurovisão, sobre um eventual plágio de "Seven Nation Army", do grupo The White Stripe. Contudo, segundo a imprensa israelita, a dupla de compositores israelita chegou a acordo com a gravadora norte-americana sobre as acusações. De acordo com a Ynet, Medalie e Beger darão à Universal Music parte das receitas do tema vencedor do Festival Eurovisão, resolvendo as reividicações de violação de direitos autoriais. 

"O acordo deve ser assinado nos próximos dias. O Medalie esteve nos Estados Unidos recentemente para terminar com a polémica" avança o jornal, segundo uma fonte próxima aos compositores de "Toy". De realçar que as alegações de violação dos direitos de autor poderiam ter colocado o tema como ilegível para participar no Festival Eurovisão 2018 e/ou destituir Israel de vencedor do certame, o que por sua vez poderia fazer com que o país perdesse o direito de organizar a edição de 2019.



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Ynet / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

6 comentários:

  1. Anónimo16:57

    Então se assinam esse tal acordo é porque concordam, em parte, com as acusações...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:08

    Se "Medalie e Beger darão à Universal Music parte das receitas do tema vencedor do Festival Eurovisão, resolvendo as reividicações de violação de direitos autoriais", isto não é a confirmação de plágio, para ser "colocado o tema como ilegível para participar no Festival Eurovisão e/ou destituir Israel de vencedor do certame, o que por sua vez poderia fazer com que o país perdesse o direito de organizar a edição de 2019"?

    ResponderEliminar
  3. Anónimo19:31

    Há alguém formado em copyright que saiba responder às dúvidas aqui colocadas?

    O acordo assinado implica uma admissão de culpa por parte da dupla de compositores?
    O senso comum diz-me que sim, mas a linguagem legal têm muitas nuances

    ResponderEliminar
  4. Anónimo20:35

    Incrível aquilo que o ser humano faz só para ficar bem na fotografia e não pintar de negro a imagem pós-vitória por isso vamo aqui arranjar uma forma de colocar o lixo debaixo do tapete e continuar a sorrir como se nada fosse.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo12:33

    Isto é só ridículo!!! Desde quando é que uma é plágio de outra?! Só por musicalmente se encaixarem, não significa que seja plágio. Com quantas músicas no mundo isso acontece?! É que nem se quer são parecidas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:46

      Talvez o anónimo não tenha lido a notícia, mas a dupla de compositores vai ter que pagar parte dos royalties à Universal.
      Há muitos casos de semelhanças musicais, mas poucos são os casos em que alguém têm que pagar para não ir a tribunal

      Eliminar