Malta: Philip Vella e Gerard James Borg contra a utilização do X Factor para o Festival Eurovisão


Responsáveis por 6 canções de Malta no Festival Eurovisão, a dupla Philip Vella e Gerard James Borg terão manifestado o seu desagrado com a utilização do X Factor como final nacional em 2019: "É uma garantia de fracasso no concurso europeu".


Fora da Final desde 2016, a emissora de Malta anunciou recentemente que utilizará o The X Factor como final nacional do país para o Festival Eurovisão 2019 em detrimento do habitual Malta Eurovision Song Contest, conforme pode recordar AQUI. Apesar do entusiasmo dos eurofãs, alguns compositores participantes em edições anteriores do evento terão manifestado o seu desacordo com a mudança de planos da PBS.

"O MESC já havia deixado de ser uma seleção de canções para uma seleção de cantores e a mudança para o X Factor só servirá para consolidar o processo" afirmou Philip Vella, responsável por seis candidaturas de Malta no Festival Eurovisão (2000, 2002, 2004, 2007, 2008 e 2017) e da Rússia em 2014, ao site Lovin Malta. Este responsável criticou, indiretamente, a polémica em torno da final nacional do país em 2016. "Temos um número limitado de cantores, compositores e recursos em Malta. A única maneira de saber se a canção é certa para o cantor é o método de tentativa erro (...) O Walk on Water, da Ira Losco, é um exemplo claro: era um tema incrível em estúdio, mas que não funcionou em palco". O compositor vai mais longe nas críticas e garante que a mudança tem "a garantia de fracasso". "No final, o escolhido competirá com outros 42 bons cantores na Eurovisão" frisou.

Gerard James Borg, colaboradr de Philip Vella nas participações eurovisivas, acredita que o novo processo fechará as portas internacionais aos compositores malteses: "Este formato limitará os compositores, a menos que haja uma chamada aberta para as canções do vencedor... Somos um mercado pequeno e o Festival Eurovisão é uma das poucas oportunidades que temos para difundir o nosso trabalho". 

Também Paul Giordimaina (Malta 1991) reagiu à mudança, prevendo que o The X Factor colocará os compositores e cantores conhecidos fora do Festival Eurovisão em 2019, enquanto que Elton Zarb e Cipriano Cassar lamentaram o fim do MESC, algo que "limitará o mercado dos compositores de Malta".

Estreante em 1971, Malta conta com 31 participações no Festival Eurovisão, sendo atualmente o país mais antigo a concurso sem qualquer vitória. Segundo classificado em 2002 e 2005, o país está fora da Grande Final desde 2016. Em Lisboa, Christabelle representou Malta com o tema "Taboo", terminando em 13.º lugar com 101 pontos, falhando o apuramento para a Grande Final devido à votação do público, tal como acontecera em Kiev.



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: EurovisionSpot/ Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

1 comentário:

  1. Anónimo20:22

    Há "Concerto Eurovisão" hoje às 20h30 (hora de Lisboa) em Madrid, com várias representantes espanholas no ESC (onia Madoc, Micky, Betty Missiego, Eva Santamaría, Anabel Conde, Lucía Pérez, Karina, Baccara y Barei), durante 3h30! Transmissão: http://telemadrid.es/emision-en-directo-laotra

    ResponderEliminar