[AO VIVO] Noa “enfeitiça” em mais uma grande noite de cultura em Braga


Noa, nome artístico de Achinoam Nini, foi a protagonista de três concertos na semana passada em Tavira, Aveiro e Braga, perante um público que quis ouvir aquela que é considerada a mais internacional das cantoras de Israel. O ESCPORTUGAL esteve no Theatro Circo, em Braga.

Pouco passava das 21h30 de sábado e eis que Noa surge só no palco do Theatro Circo, em Braga, logo seguida pelo diretor musical e guitarrista Gil Dor. Uma dupla que se mantém firme há 27 anos, inclusive ao escrever e compor em 2009, em conjunto com Mira Awad, a canção “There Must Be Another Way” com a qual participaram no Festival Eurovisão. Uma enorme salva de palmas deu as boas-vindas a uma das mais bonitas salas do país. E assim permaneceram, Noa e Gil, durante cerca de duas horas, oferecendo ao público uma seleção cuidada de um conjunto de canções cantadas em hebraico e em inglês, a maioria publicada nos últimos álbuns de estúdio da artista.

Foi em hebraico que Noa abriu a noite, com “Shalom”, apenas voz e guitarra. Shalom significa literalmente “paz”, na tradução para o português. Este é um termo bastante utilizado entre os judeus, principalmente como uma forma de saudação ou despedida. A emoção na voz transpareceu para o público que, no final, não rogou uma nova salva de palmas. Só depois de “Ilanot” e “Mishaela” Noa dirige-se diretamente ao público, agradecendo em português correto: “Obrigada, Braga!” E, cantando em inglês, diz: “Deixem que vos diga o quanto estou feliz por estar aqui convosco esta noite!”
Noa transborda talento, é uma artista com letras maiúsculas, apresentando-se com uma autenticidade, uma pureza pouco habituais e uma ternura fascinante. Não é por acaso que, não obstante a casa contar com uma grande moldura humana, foram vários os momentos que a plateia se manteve em total silêncio, a desfrutar sem dúvida do momento. Noa não tem medo de arriscar e de exprimir em público a sua emoção, brinca com a voz e o seu talento vocal quase não fronteiras.


Além do conforto que temas como “Ilanot” e “Pokeash” proporcionaram, outros carinhos foram oferecidos, como “Uri” ou “Yuma”, esta sobre a vida dura de uma mulher do Iémen, país que faz parte das suas raízes. Noa foi intercalando com breves diálogos com o público, mostrando também um apurado sentido de humor. Um dos momentos mais especiais do concerto foi a interpretação sentida e empolgante de “Look at me”. Uma palavra para os países em guerra, como a Síria ou a sua Israel, sem esquecer as causas nas quais acredita, nomeadamente os direitos das mulheres em tantas regiões no globo, ainda uma causa que urge acreditar a lutar. O concerto fechou com “Keren Or”, uma canção cheia de luz e que mereceu uma salva de palmas efusiva do público de pé.

Já no encore, dois dos momentos mais especiais da noite: a canção “Avé Maria”, com a artista a recordar que a interpretou para três Papas no Vaticano, bem como uma “surpresa” - como fez questão de dizer - para o público português: “No teu poema”, canção de autoria de José Luís Tinoco originalmente interpretada por Carlos do Carmo no Festival da Canção de 1976. O ESCPORTUGAL gravou esse momento especialmente para os nossos leitores:


Alinhamento:
1. Shalom
2. Ilanot
3. Mishaela
4. Pokeash
5. I don’t know
6. Boker
7. Yuma
8. Uri
9. Look at me
10. Little lovin’
11. Vertigo
12. Oh Mamma
13. Badinerie
14. Child of man
15. Keren Or
16. No teu poema
17. Beautiful that way
18. Ave Maria

VEJA MAIS IMAGENS DO CONCERTO NO INSTAGRAM DO ESCPORTUGAL AQUI

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: ESCPORTUGAL / Vídeo: ESCPORTUGAL

1 comentário:

  1. Minha querida, tive muita pena de não poder ir ver-te, mas fica para muito breve! Um beijo!

    ResponderEliminar