Portugal: Depois da Eurovisão, “O Jardim” alcança as tabelas de streaming

A prestação de Cláudia Pascoal e de Isaura na final da Eurovisão, no passado sábado, não se traduziu apenas na classificação final de “O Jardim”. Contudo, a canção que representou Portugal ocupa os tops de streaming de todo o Mundo, estando em n.º 31 do top viral mundial do Spotify. 



No momento em que escrevemos este artigo, “O Jardim” encontra-se em Portugal em n.º 17 do Spotify, serviço onde a canção é escutada mais de 10 mil vezes por dia, tendo já ultrapassado 1 milhão de streams. No iTunes, logo após a final da Eurovisão, atingiu o top 5, com as duas canções vencedoras e encontra-se agora em TOP 10. 


O videoclipe da canção, estreado no final de abril, ultrapassou também 1.300.000 de visualizações e pode ser visto ou revisto aqui:


 


Ao todo, só no YouTube, entre todas as interpretações oficiais de “O Jardim” - semi-final do Festival da Canção, Final do Festival da Canção, Semi-Final da Eurovisão, Final da Eurovisão, Vídeo Oficial da Eurovisão, Videoclipe Oficial, Versão Acústica Oficial, “O Jardim” conta com mais de 8 Milhões de visualizações. 


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: UNIVERSAL MUSIC / Imagem: EUROVISION / Vídeo: YOUTUBE

43 comentários:

  1. pois..mas o resultado foi o último lugar para Portugal...algo que aconteceu pela 1ºvez!! ( das outras vezes ficamos em último empatado com alguém)..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:28

      Não. Ficámos em 26 de 43 canções e pelo menos 2 ou 3 que ficaram à frente da nossa achei bem fraquinhas... Fazer o quê? A Ucrânia organizou o ano passado e ficou em ante penúltimo. E a Áustria parece que ficou em último com 0 pontos. Fenómenos da eurovisão

      Eliminar
    2. Anónimo16:15

      Não pode ver assim, isso era se tivéssemos que passar as meias finais

      Eliminar
    3. ficamos em último entre as 26 que estavam a concurso...sendo assim os big5 nunca ficam em último...
      Olhemos para os resultados da final a canção portuguesa foi completamente atropleada...infelizmente

      Eliminar
    4. Anónimo16:53

      A Surie deveria ter ficado em ultimo, mas aquela invasao fez com que recebesse uns pity votes e ficámos nós no lugar dela.

      Eliminar
    5. Anónimo17:14

      Sendo que os pity votes nos favoreceram a nós o ano passado...

      Eliminar
    6. Não concordo que a Surie devia ter ficado em último....

      Eliminar
    7. Anónimo17:40

      17:14 Sendo que nao favoreceram a russia este ano. Nice try though.

      Eliminar
    8. Anónimo17:45

      Anonimo 17:14 deixe-me adivinhar, é mais um que insultava o Sobral a torto e a direito, dizendo que parecia um mendigo, etc. Tem alguma prova do que diz? Adorava ver essa sondagem sobre os votos. Pity votes ao rapaz que mesmo antes de ganhar, só fazia criticas à eurovisao e cançoes fast food? Que manteve uma postura arrogante o tempo todo? hummm sure, sure. Tambem favoreceram quando, depois do Fdc, ele ficou em altas nas apostas? Quase ninguem sabia da doença nessa altura. Aqueles comentários todos de estrangeiros?? A rapariga ao contrario dele, era bem simpatica. Mas quero esse estudo sobre os pity votes, pff. As meninas da holanda fizeram publicidade sobre a doença da mae, ao contrario de nós, e nao foram favorecidas. Mas ha quem goste de viver na ilusão.

      Eliminar
  2. Anónimo16:22

    Ao contrário de muita gente, penso que o atual processo de escolha de compositores para apresentarem uma canção da sua autoria no Festival funciona, e que, gostos á parte, a qualidade tem sido razoável. Por outro lado, parece-me que amioria desses autores não conhecem (nem são da área) a Eurovisão, e a partir do momento em que é feita a selecção nacional, devem ser devidamente assessorados em relação á preparação da prosposta para o grande evento. Algo que me parece que aqui não aaconteceu, quer devido à intransigência da isaura, quer pelo desinteresse da RTP e da produção, que este ano tinham muito em que pensar. A prova disso foi o facto de não haver uma promoção decente á canção por parte da RTP. Durante a final, os dois comentadores falaram de Alexander Riybak durante todo o postcard de Portugal, e nunca apelaram ao voto na canção portuguesa, o que achei muito estranho.

    Os resultados, sendo muito piores que imaginava, não serão assim muito de surpreender, e espero que sirvam de reflexão a alguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:57

      Concordo com algumas coisas. Os autores nao percebem. Mas não consigo concordar que isto seja só para este circulo de convites, devia haver outra semi final para todos também. Nao esquecer que esses autores famosos ja foram desconhecidos. Faz parte.

      Eliminar
    2. Anónimo17:17

      Os comentadores não apelaram ao voto na nossa canção porque em Portugal não podemos votar na canção portuguesa... :P

      Eliminar
    3. eu nunca vi a canção da casa ser tão mal promovida e apresentada...vergonha por parte da RTP

      Eliminar
  3. Anónimo16:27

    a PONTUAÇAO de zero de Espanha a Portugal tem uma explicaçao. O ano passado tambem nao lhes demos nada...só no televoto. Ou seja, foi vingança, embora o Jardim seja muito melhor que a cançao do Manel. Mesmo assim ficámos demos 5. Benditos sejam os nossos emigrantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:04

      Provavelmente não nos deram pontos para desempatar com eles no bottom, e tbm ouvi dizer que os comentadores espanhóis refilaram por termos dado 2 pontos no júri...

      Eliminar
    2. Anónimo20:34

      19:04 TINHAM a conchita no juri, que nos pos em 22º. Um senhor de radio pos-nos em ultimo. Ironicamente, a compositora do LO MALO pos Portugal na melhor posiçao, em 4º.

      Eliminar
  4. Anónimo16:29

    O televoto portugues tem de mudar. Não sei o que se passa, mas estao sempre a escolher errado. 12 a espanha, 12 aos VIVAL LA DIVA e 12 a isto, quando tínhamos melhores cançoes. Bah. A RTP devia dar mais valor ao juri.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:07

      Catarina Miranda também não iria destacar, com muita pena minha :(
      Mas espero vê-la como Emmy Curl no FdC

      Eliminar
  5. Anónimo17:00

    Concordo com algumas coisas. Mas devia haver outra semi final para pessoas fora do circulo de convites, até porque com a vitória do sobral muita coisa mudou, temos musicos e outro tipo de gente que voltou a ficar interessado no festival. Nao custa tentar.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo17:22

    Isto é estranho....então é o menos votado do televoto e depois no dia a seguir fica nos 50 mais virais do mundo nas tabelas(de streaming)? Manipulação de votos? Hmmm...esquisito. Não dá pra entender...

    ResponderEliminar
  7. Anónimo17:24

    A querida Irlanda deu-nos 8 pontos, que bela surpresa <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 6....e a Lituania 7 que foi quem deu mais

      Eliminar
    2. Anónimo18:00

      17:38 ERRADO. França e suiça deram 10 /8

      Eliminar
    3. ERRADO isso foi no televoto. Estou a falar do juri

      Eliminar
  8. Anónimo17:26

    @ESCPORTUGAL, quando sai a informação individual dos pontos atribuídos pelos nossos jurados a cada canção? Adorava saber quem deu pontos a israel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:19

      https://eurovision.tv/event/lisbon-2018/grand-final/voting-details/portugal

      Eliminar
    2. Anónimo20:27

      O BENJAMIN DEU 7º LUGAR A ISRAEL. MORRI. OMFG AAAAAAAAAA . A CONCHITA POS-NOS EM 22. Ainda dizem que o sobral nao teve influencia xD nao sei nao. Em compensaçao a compositora de lo MALO pos-nos em 4º

      Eliminar
    3. Anónimo20:38

      Acho engraçado como os jurados portugueses puseram suecia nos ultimos, e os suecos puseram portugal nos ultimos tambem...e o nosso juri odiou a moldava, nada de novo...

      Eliminar
  9. Anónimo17:45

    A Cláudia fez o melhor que pôde. Não dá pra dizer o mesmo dos outros...que pena.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo17:50

    e TOY no top 5 do streaming portugues ahahahha e depois dizem que o gosto dos portugueses está representado no festival. tá bem tá.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo18:03

    Eu disse que iam ser uma Leonor Andrade 2 ( em termos de resultados)...e aqui temos. Das piores cançoes que levámos à Eurovisão. Não percebo que mudanças fizeram na canção, continuava inacabada.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo18:05

    Acham que a pobreza do videoclip influenciou? Vejam o caso de Israel, Italia... Fizeram um optimo videoclip.

    ResponderEliminar
  13. este ano toda a gente ouviu um funcionário da RTP responsavel pelo festival da canção dizer "o objectivo do fetsival da canção não é escolher uma canção para a eurovisão"....Com esta pérola já se percebe tudo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:32

      Certo, mas o que ele quer dizer é que escolhemos algo bom para a eurovisao na permissa que tem de ser excelente internamente. Foi o que aconteceu com o Salvador Sobral, eu era um dos que sempre achou que Amar pelos Dois nao era música de Eurovisão. Aliás ainda mantenho essa posição apesar do resultado obtido.

      Eliminar
    2. Anónimo19:27

      Eu era uma das pessoas que pensava que tínhamos de escolher algo Eurovisivo e esse era o caminho. O que é certo é que não existe um caminho. Este ano ganhou a pimbalhada eurovisiva do costume, mas nos anos anteriores não... os clichés da Eurovisão têm sido relegados para fora da vitória consecutivamente e isto mostra que, havendo qualidade, muito provavelmente haverá um bom resultado. Se a música é boa de facto, haverá algum tipo de reconhecimento.

      Agora se me disser que a definição de qualidade da RTP é discutível, aí já poderei concordar. Há muita música e melhor a ser feita em portugal, para além das fracas amostras que temos tido no FC (com alguma, poucas, exceções). Isso é o que deve mudar, pressionar os compositores a criar músicas com verdadeira qualidade e propósito. Isto de vir para o FC salvar a música em Portugal com trabalhos de segunda e músicas de gaveta não me parece ser o caminho indicado.

      Eliminar
    3. Anónimo23:32

      19: 27 Falou tudo. Sem tirar nem por. Eles precisam ouvir isso.

      Eliminar
  14. Anónimo19:08

    " É difícil fazer uma dobradinha, mas gostaríamos de chegar ao top 5."

    Claudia e Isaura, ha umas semanas atrás hahaha

    ResponderEliminar
  15. Anónimo19:16

    Este ano Portugal era o país anfitrião. Com a exceção da Suécia (que por alguma razão é sempre exceção no que toca à Eurovisão), o país anfitrião nos últimos anos fica sempre com a batata quente e acaba com um mau resultado. Parece-me algo a analisar, em vez de atirar apenas ao ar que a música portuguesa não prestava e que se levássemos A ou B ia ser melhor (algo que não sabemos, de todo). Estive em Lisboa durante a semana e falei com imensa gente de outros países, na sua maioria fãs, que afirmaram que até gostavam da nossa música mas não iam votar porque já tínhamos ganho e queriam ir a outro país para o ano... não que isto seja a regra, mas parece-me um fator um pouco determinante no que toca ao resultado. Ou levávamos algo estrondoso (não tínhamos nada no FC a esse nível este ano) ou estávamos destinados a este resultado. Último lugar parece-me excessivo, até porque havia piores canções na final (opinião pessoal), mas isso em nada tira o mérito da Cláudia e da Isaura.
    Além do mais, não ficamos em último. Na final sim, ficamos no final da tabela, mas no total eram 43 países... e mesmo que queiram insistir na questão das semis, houve países que terminaram com menor pontuação. O resultado não foi o melhor, mas não ficamos em último. E mesmo que fosse o caso, não é isso que deve ser realçado. Nem para nós somos bons!
    Portugal vem de uma vitória histórica e organizou um evento à escala internacional de forma eficaz e elogiada por muitos... esses deviam ser os pontos a elevar e esse era o objetivo principal da RTP, a meu ver.
    Temos muitos mais anos pela frente para tentar arrecadar outra vitória. Não podemos achar que lá porque ganhámos uma vez, vamos ganhar todas as outras a seguir. Ninguém consegue isso nos dias que correm, por isso não vejo argumentos para sermos diferentes. Não digo com isto que não sejamos ambiciosos, pelo contrário, mas não podemos querer tudo de uma vez nem podemos afirmar que só porque não ganhamos somos uma nódoa e devemos desistir. Todos os anos ganha apenas um, são as regras do jogo... não é o fim do mundo. É um tipo de pensamento que não é realista (e não é, de todo, a melhor forma de encarar a vida no geral) e torna a experiência da Eurovisão tóxica para quem vê de fora.
    Há coisas a melhorar? Sim, sem dúvida que existem imensas... mas isso não é razão para vir insultar e desvalorizar o trabalho de quem nos representou. Se há críticas a fazer e coisas a melhorar, a melhor forma é ser construtivo e não partir para a agressão. Não é assim que as coisas mudam nem é assim que se cria um ambiente saudável para que possa haver cooperação no futuro entre a RTP e o público como tantos anseiam.
    E digo isto a saber que metade do que escrevi vai ser ignorado a favor de um ou dois pontos que vão ser retidos, provavelmente mal interpretados e criticados de forma a desvalorizar tudo o resto. Mas ainda assim achei que devia partilhar.
    Até para o ano :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:37

      Boa! Façamos sugestões de melhoria do processo, participemos para legitimar críticas 😉😊

      Eliminar
    2. Sandra20:19

      Concordo!

      Eliminar
  16. Anónimo19:30

    PARABÉNS ISAURA E CLÁUDIA! É isto que importa, contra factos não há argumentos! Para as más línguas que atacam estas duas inocentes e valentes miúdas, a Netta tem algo a vos dizer:

    Isaura and Cládia are not your toy (Not your toy)
    You stupid girl, boy,.. (Stupid girl, boy,..)
    You are *chiken sound*

    ResponderEliminar
  17. Anónimo21:35

    Uma canção magnífica destruída por uma péssima realização, made in RTP. Para ver um dos mais belos, se não o mais belo, cenário do ESC: https://www.youtube.com/watch?v=kAMoSWjBh4Y Namasté.

    ResponderEliminar
  18. Anónimo23:24

    Sem querer desprestigiar a actuação das nossas meninas portuguesas, acho que existem pelo menos 2 pormenores a ter (talvez) em conta:

    1º Como de forma natural tendemos a comparar determinada actuação (neste caso a de Portugal) com as restantes, criamos um contexto que leva em conta estilos de voz e música. Exemplo: Pessoalmente gostei bastante de uma meia dúzia de actuações que deitam por terra a actuação da Cláudia e Isaura (a verdade é para se dizer), mas, se esta meia dúzia de actuações que mais gostei não tivesse participado, forçosamente colocaria a Cláudia e a Isaura no pódio!

    2º Acho curioso por exemplo o que aconteceu no Eurovision na Áustria em 2015, a participação austríaca (na minha opinião um tema bastante fraco) ficou em último lugar (se não estou em erro).
    A seguir, o que aconteceu no Eurovision na Suécia em 2016, a participação suéca foi uma autêntica desilusão (quando no Melodifestivalen daquele ano havia temas de arrasar por completo o que venceu naquele evento).
    Depois no Eurovision na Ucrânia no ano passado, a participação ucraniana esteve longe de ser uma actuação que se considerasse relevante ou significativa.
    Este ano em Portugal, inserir o tema "O Jardim" num desfile de outros temas que são à partida concorrentes esmagadores, deixa que pensar.

    Não acham que existe aqui algo em comum e que se repete como uma predefinição?
    O que me parece evidente é que o país anfitrião não tem por objectivo ter uma actuação que corra o "risco" de vencer (novamente), a meu ver por razões óbvias!

    Estejamos atentos ao que poderá ocorrer (também) no próximo ano em Israel.
    Estou em crer que a probabilidade de suceder o mesmo seja muito forte. Veremos.

    ResponderEliminar