Salvador Sobral: "Não me importo por ser conhecido pelo «Amar Pelos Dois»"


Na apresentação do cartaz do NOS Summer Opening 2018, que decorrerá no Funchal em Julho, Salvador Sobral falou sobre o Festival da Canção: "Acho que vi uma semifinal em que todos desafinaram. Não pode ser".


Vencedor do Festival Eurovisão 2017, Salvador Sobral será o responsável pelo concerto de encerramento do NOS Summer Opening 2018, evento que decorre no Funchal de 20 a 22 de julho: "Quero agradecer não só o convite para o festival como o convite para vir aqui" afirmou na conferência de imprensa que decorreu hoje. Mallu Magalhães, Richie Campbell e We Bed Gang são outros dos nomes confirmados no certame que decorrerá no Parque de Santa Catarina e contará com nove concertos.

Com "muitíssima vontade de dar música", depois da ausência dos palcos por motivos de saúde, Salvador Sobral garante que "estou com muita vontade de começar outra vez". Sobre a deslocação à Madeira, ao seu estilo característico, brincou: "A mim, parece-me um bocadinho surreal convidarem-me para estar aqui cinco dias, só para dizer estas quatro palavras. Não pagar nada. É incrível. antes ninguém oferecia nada. Quando eu não ganhava bem, tocava nos bares e hotéis [ninguém oferecia nada], e agora que finalmente ganho e posso pagar, as pessoas oferecem-me coisas".

Apesar de garantir estar "um bocadinho farto do disco ['Excuse Me']", Salvador Sobral garante que "Amar Pelos Dois" é tema obrigatório do seu espetáculo: "Esse tem de ser, senão acho que as pessoas me matavam" afirmou, mencionando que Paulo de Carvalho já o avisou que se irá fartar da canção, "Até agora ainda gosto de tocá-lo [o tema], ainda por cima tocamos sempre de maneira diferente, é giro".

Reticente com o aumento do turismo em Lisboa, "tenho um bocadinho de medo que Lisboa seja a próxima Barcelona ou Paris, que perca a identidade", Salvador Sobral falou também sobre a sua sucessora no Festival Eurovisão, garantindo que "gostava" do tema por "ser diferente", elogiando também a interpretação de Cláudia Pascoal. Contudo, lamentou que os intérpretes da edição deste ano tenham "desafinado imenso": "Como é possível, supostamente os melhores cantores… Acho que vi uma semifinal em que todos desafinaram. Não pode ser. Estamos a falar dos melhores cantores que devem representar um país e toda a gente desafina, é um bocadinho triste" realçando que "o Diogo Piçarra e a Susana Travassos, foram únicos que não desafinaram".

Questionado sobre as críticas de Rui Veloso ao Festival Eurovisão, Salvador Sobral admitiu que não deve ser "muito agradável" ficar conhecido por uma só canção. "Gostava de ser conhecido por várias canções, mas as pessoas conhecem aquela e depois conhecem outras”, salientou, argumentando que "Amar Pelos Dois" é "lindíssima": "Como é uma das canções mais bonitas que alguma vez se fizeram, não me importo por ser conhecido por essa".



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Observador /Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

6 comentários:

  1. Anónimo21:00

    é um espectáculo este homem. Transparente e sem complexos no que diz e sente. Isto é o que falta a muitos artistas e Portugal.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo22:25

    Lambe botas do Salvador em 3, 2, 1...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:43

      onde estão eles? parece que se enganou. ;)

      Eliminar
  3. Anónimo14:41

    O modo como o Salvador se referiu a "O Jardim" não foi propriamente um elogio. Foi mais uma maneira educada de fugir à pergunta. Perguntaram-lhe se gostava da canção que vai representar Portugal e a resposta dele foi: "Ah! Essa pergunta é lixada, pá! Gosto... sei lá, é diferente. Ainda bem, ainda bem... é diferente. Ela canta bem... Eh pá, não sei, não sei".

    ResponderEliminar
  4. Anónimo17:12

    Presunção e água benta...

    ResponderEliminar