Segundo o plano de atividades da RTP para 2018, o Festival Eurovisão da Canção deverá representar uma despesa para a estação pública de 12 milhões de Euros, avança o Correio da Manhã.

O Festival da Eurovisão da Canção, que se realiza em Lisboa em maio de 2018, deverá custar cerca de 12 milhões de euros aos cofres da RTP. Este é o custo estimado pela empresa pública e inscrito no Plano de Atividades para o próximo ano, documento ao qual o jornal Correio da Manhã teve acesso. Segundo a mesma fonte, este é um "compromisso de grande alcance que a RTP irá gerir numa lógica de eficiência, mas que implica requisitos técnicos e encargos de envergadura". Contudo, o montante total dos gastos com o maior certame da música europeia só ficará fechado no fim do ano, já que ainda decorrem negociações com os parceiros, segundo o Correio da Manhã. O jornal terá contactado a RTP, que não quis adiantar qualquer outra informação para além do que está escrito no Plano de Atividades.

Recorde-se que na passada terça-feira, a RTP e a UER/EBU levaram a cabo a conferência de imprensa de apresentação do logotipo e slogan do Festival Eurovisão 2018. Na sua intervenção, o presidente do conselho de administração da RTP, Gonçalo Reis, afirmou que este será "o festival mais económico dos últimos dez anos, mas com um alto nível de sofisticação".

Para além do montante inscrito no plano de atividades e orçamento da RTP, a Câmara Municipal de Lisboa e o Turismo de Lisboa vão financiar o evento com 5 milhões de euros e o Turismo de Portugal também irá contribuir com uma verba não especificada. O orçamento total não deverá exceder os 23 milhões de Euros, revela o mesmo jornal.

Tendo como fonte o artigo publicado pelo ESCPORTUGAL em maio passado, e a confirmar-se os dados publicados hoje pelo Correio da Manhã, podemos estar perante uma a edição mais barata dos últimos anos. A edição de 2017 em Kiev terá custado 30 milhões de Euros, a SVT em Estocolmo terá despendido 14 milhões de Euros e em 2015 Viena 26 milhões.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: CORREIO DA MANHà/ Imagem: EUROVISION

25 comentário(s):

  1. Anónimo12:05

    Está a nível de Malmö 2013 e Estocolmo 2016 certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:38

      2016 - 16 Milhões

      Eliminar
  2. Anónimo12:53

    É claro que o nosso tinha que ser o mais barato porque somos os pobres de serviço ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui Ramos12:55

      Menos dinheiro não significa pobreza, mas sim eficiencia. Vejamos se é isso que vai acontcer

      Eliminar
    2. Anónimo13:11

      Os Jogos olímpicos do Rio também tiveram como lema "fazer mais com menos" e foi um sucesso a meu ver.

      Eliminar
  3. Anónimo13:51

    e tanta gente a passar fome...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:30

      Na minha casa não entram sequer 1000€/mês e não é por isso que me sinto "ofendido/atacado". A RTP vai gastar 12M com o ESC, e então? Tem dinheiro para isso (à partida devem ter), e o ESC que eu saiba não é organizado todos os anos cá, além de que apesar de não serem obrigados a "matar a fome" dos portugueses, costumam haver por aí várias linhas de apoio à solidariedade de isto ou daquilo, através da RTP.

      Eliminar
    2. Bobby15:10

      13:51: Acha que tem razão? Muito bem, então o ESC'18 não deveria ser em Portugal. Que tal na Austrália, prefere?

      Eliminar
    3. Teresa Malheiro16:02

      Ai Bobbi Bobbi, concordo!

      Eliminar
    4. Anónimo16:35

      quantos milhões a RTP dedica todos os anos à promoção da cultura e da música Portuguesa e à emissão programas com música ao vivo?

      Eliminar
    5. Anónimo16:45

      A hipocrisia da nossa sociedade moderna: gastam-se milhões para ostentar o brilho e lustro em programas televisivos, mas em troca oferecemos linhas de apoio à solidariedade e concertos para angariar ( pedinchar ao povo ) pouco mais de 1 milhão para matar a fome aos Portugueses e reconstruir as vidas daqueles que perderam tudo... Infelizmente na Austrália ou em qualquer outra parte do mundo duvido que fosse diferente. Batam as palmas e toquem os gongos.... e rezem à nossa senhora de Fátima por mais milagres!!

      Eliminar
    6. Anónimo19:22

      Tanta gente a passar fome, mas com grandes telemóveis.

      Eliminar
    7. Anónimo19:58

      19:22, verdade!!!

      Eliminar
    8. Anónimo00:02

      23 milhões eram capazes de construir e requalificar muitas casas, recuperar muitas empresas, limpar muitas florestas, reflorestar muita da área ardida, restituir muitos postos de trabalho... mas em vez disso é melhor mostrar como somos todos muito solidários a oferecer a nossa esmolinha e assim aliviar as nossas conturbadas consciências... seguir e andar... além disso aqueles mandriões iam gastar tudo em telemóveis... Siga a festa vamos mas é mostrar ao mundo que somos um grande País!!

      Eliminar
    9. Anónimo00:30

      Concordo com a Bobby em tudo, menos na parte em que ela diz: "a RTP dedica todos os anos à promoção da cultura e da música Portuguesa"

      Eliminar
  4. Anónimo18:00

    OMG. vejam o palco do FC 2010 e vejam se vos lembra alguma coisa... a RTP já sabia desde 2010..... omg omg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:24

      O que quer dizer com isso?
      :o

      Eliminar
    2. Também não percebi o que quiseste dizer

      Eliminar
    3. Anónimo23:17

      Parece uma concha 😰😰😰

      Eliminar
    4. Anónimo00:27

      ai que parvoice de comparação...

      Eliminar
    5. Anónimo00:29

      Afinal é 12 ou 23 milhoes? se é 23 ja nao é o mais barato

      Eliminar
    6. é so OMG OMG da tua parte...vives com o credo na boca e cheio de teorias rocambolescas heehhehe

      Eliminar
    7. Anónimo16:38

      Eu vivo com o credo ja tu....

      Eliminar
  5. Anónimo19:51

    Vão investir muito dinheiro, se tudo correr bem vão lucrar mais que o gasto.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo12:33

    Afinal nao esta muito longe dos investimentos suecos :)

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top