A RAI decidiu fazer algumas alterações ao regulamento do Festival de Sanremo, que vai para a sua 68.ª edição.


A participação de Itália no Festival da Eurovisão 2018 ainda não foi confirmada mas, se a RAI decidir seguir os planos dos últimos anos, o Sanremo servirá como final nacional do país. A televisão pública italiana revelou hoje o regulamento do Festival e este trouxe algumas surpresas. A principal prende-se com o facto das editoras discográficas poderem agora sugerir os cantores que querem ver participar, ficando assim com maior influência sobre o concurso.

Já na categoria de Novos Talentos, as inscrições estão abertas até ao próximo dia 6 de outubro. Claudio Baglioni, conhecido cantor e compositor no país, será o diretor artístico das três galas e também o novo apresentador, substituindo Carlo Conti no cargo.


Vencedor do Festival de Sanremo 2017, Francesco Gabbani representou Itália em Kiev com Occidentali's Karma. Apesar de ser o grande favorito à vitória, o cantor ficou na 6.ª posição na grande final com 334 pontos (6.º no televoto com 208 pontos e 7.º no júri com 126 pontos), tendo recebido apenas 4 pontos do televoto português.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: escdaily / Imagem e Vídeo: eurovision.tv

9 comentário(s):

  1. Anónimo20:52

    O efeito Salvador So... oh, esperem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo10:30

      não, não é

      Eliminar
    2. Anónimo20:09

      10:30 ILUDE-TE!!! LOL Ainda me estou a rir do facto do Francesco ter sido um flop

      Eliminar
    3. Anónimo11:19

      Anónimo 20:09, pelo facto de utilizar o termo "flop" nota-se que está a dar os primeiríssimos passos no universo ESC, Deste os "tempos imemoráveis" que se fala da máquina/política do ESC, como igualmente se associa este termo ao desporto rei, o futebol. Inclusive neste ano festivaleiro, pré e pós-ESC 2017, esta temática não foi excepção, aqui no nosso ESCPortugal, quer em artigos de opinião, quer nos comentários de fãs. É claro que quando uma música é construída com determinada duração, que supera os 3 minutos regulamentares, o facto de cortar a letra a torto e a direito, como aconteceu com a nossa representação de 1994, fica algo bizarro, mesmo para quem a ouve por primeira vez. Foi o que aconteceu com a representação italiana deste ano. Felizmente, a classificação "menos boa" (até ficou em uma boa posição esta obra prima!), não se espelhou na carreira do Francesco Gabbani, que está a ter um rotundo sucesso com esta música e com o álbum que lançou na véspera da sua partida para o ESC, 2 semanas antes da sua participação. Lembro que este novo álbum, Magellano, anda à volta da aventura da Circum-navegação do nosso Fernão de Magalhães, continuando crítico e activista! Um grande orgulho para qualquer lusitano que se prece! Pode ser ouvido gratuitamente no seu Canal Oficial: https://www.youtube.com/channel/UCjvWQUDUP2qaXZndN9eNKKQ/
      Como curiosidade, uma proposta para Sanremo pode passar pelo Fabio Rovazzi: https://www.youtube.com/watch?v=VmZjfnK0lLk

      Eliminar
    4. Anónimo13:35

      Pois eu acho que o Francesco está a rir e à grande de todas as mentes tacanhas, limitadas e medíocres que como o anónimo riem do "flop" da sua participação no ESC. Dizem que quem ri por último ri melhor. OK é por uma larga margem a canção eurovisiva com mais visualizações na história do ESC, tendo conquistando 5 discos de platina ( o último conqusitado depois da final ), o álbum Magellano e o segundo single também certificados com disco de platina e um Tour com 45 datas sold out, aclamado pela critica e sobretudo conquistando a cada etapa o carinho e admiração do público. A Rai e a Itália estão tão interessadas em ganhar a Eurovisão que nem este ano alteraram a duração permitida para as canções a concurso. Ao contrário de Portugal não necessitam ganhar lá fora para prestigiarem os seus artistas. Acrescento uma citação do próprio Gabbani numa das muitas entrevistas em que comentava o seu favoritismo "La competizione è l'essenza della corsa persa in partenza.Il premio è la gioia condivisa." ( a competição é a essência da corrida perdida à partida, o prémio é a alegria partilhada. ) Sortudos aqueles capazes de superar as criticas superficiais e simples, os preconceitos e foram capazes de descobrir um artista a 360 °, um músico ecléctico e genial, um performer excepcional, com uma criatividade e originalidade, que eu comparo em Portugal a um António Variações.

      Eliminar
  2. Anónimo21:56

    Claudio Baglioni foi nomeado como director artístico do festival e não como apresentador.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo21:58

    O nome dos apresentadores ainda não está definido.

    ResponderEliminar
  4. Mandy03:38

    "...editoras discográficas poderem agora sugerir os cantores que querem ver participar, ficando assim com maior influência sobre o concurso". Desculpe, mas isso é uma característica de Sanremo desde, hum... sempre. Muitos merecidos vencedores do festival, assim como alguns artistas, recebiam (e ainda recebem) esse apoio das gravadoras. A mídia italiana acusava a existência deste "favorecimento" em alguns resultados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:40

      Exatamente. Por exemplo na categoria das novas promessas sempre foram as editoras a apresentar as suas propostas e na categoria Big os convites são atribuidos pelo director artistico a artistas já conhecidos no panorama musical Italiano. A informação que foi divulgada no site do festival informa apenas que as candidaturas na categoria novas propostas estão abertas até dia 6 de Outubro e não existe neste momento qualquer alteração aos moldes apresentados em anos anteriores.

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top