A televisão pública da Dinamarca - DR -  publicou o regulamento do Dansk Melodi Grand Prix 2018, final nacional  para o Festival Eurovisão 2018 a realizar em Portugal. O concurso terá algumas novas regras. 

Quem quiser submeter canções para o Dansk Melodi Grand Prix 2018, o Festival da Canção da Dinamarca, poderá faze-lo desde já e até 15 de setembro. Compositores nacionais ou estrangeiros são bem-vindos "desde que tenhaM fortes ligações com a Dinamarca". Por isso, o regulamento do festival está também disponível em inglês, como pode conferir AQUI.

Das regras, destaca-se liberdade na escrita da canção, incluindo o idioma. Um juri a selecionar  pela DR irá ouvir as canções a concurso, sem saber os nomes dos respetivos intérpretes, compositores e autores. Depois dessa audição, decidirá o número de canções a escolher. A DR poderá alterar o intérprete, caso não chegue a acordo com a equipa de autores.

Mais adiante, a DR informará o local e as datas do festival. Tudo indica que decorrerá na cidade de Aalborg, tal como informámos AQUI.

Estreante em 1957, a Dinamarca participou em 46 edições do Festival Eurovisão, tendo sido o país vencedor em três edições: 1963, 2000 e 2013. Anja Nissen foi a representante em Kiev com "Where I Am", conquistando o primeiro apuramento do país desde 2014. Contudo, a candidatura ficou longe dos bons resultados: depois do apuramento em 10.º lugar, Anja Nissen não foi além do 20.º lugar com 77 pontos. Recorde a atuação de seguida:


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte:eurovoix / Imagem: DR/Vídeo: Eurovision.tv

4 comentário(s):

  1. Anónimo13:38

    Só pode vir aí uma gritaria... Devem vir os primos dinamarqueses dos Viva la Diva. Music is feeling amores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá está mais um com a mesma história....

      A música pode ter sentimentos e fogos de artifício, uma coisa não excluí a outra, e a música da Anja falava também de sentimentos, em particular fala de alguém que têm medo de amar outra pessoa, mas decide abrir-se a certa altura e mostrar o quanto ama a outra pessoa, sem medos.

      É válido a crítica ao facto se o registo em que a Anja cantou não foi o melhor e não se adequa à voz dela (prova disso foi a necessidade de ter um coro algures nos bastidores), mas não acho válido repetir a ladainha do Salvador que as outras músicas no concurso não têm sentimento.

      P.S.: por favor, vamos começar com as criticas após sabermos quem será o representante da Dinamarca para 2018

      Eliminar
    2. Winterwind, tens razão no que diz respeito ao facto de a música poder ser sentimento, quer seja ele alegria, nostalgia ou tristeza, e, ao mesmo tempo, possuir fogo de artificio. Contudo acho que os "fogos de artificio" devem ser usados apenas como complemento, e não como a salvação duma canção (quantas vezes ouvimos que país X tem de ter um bom staging se quer ter hipótese de se sair bem na competição). Por algum motivo, isto ainda se continua a chamar Eurovision Song Contest e não Eurovision Show Contest.

      Quanto à Dinarmaca, acho que a Anja era uma das melhores vocalistas a concurso, e de certeza teria atingido o top 10 facilmente se tivesse tido uma canção melhor.

      Eliminar
    3. Anónimo19:27

      Você só perdeu tempo a escrever este comentário infinito, eu estava a brincar. Beijinho.

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top