Ontem, 11 de julho, a popular artista Claudisabel (FC2010) voou até aos Açores, mais concretamente até à ilha Terceira, oferecendo um espectáculo recheado de ritmo, beleza, carisma e voz! Carlos Carvalho esteve em Angra do Heroísmo e traz-nos as suas impressões do concerto.


Que Claudisabel é uma mulher bonita e atraente, todos nós já sabíamos; que sabia cantar, também não constituiu novidade, mas que Claudisabel, ao longo de mais de uma hora de concerto, tem uma qualidade e resistência vocal intactas do início ao fim, foi a grande surpresa da sua atuação em terras terceirenses! Com duas exeções, o alinhamento apresentado foi unicamente preenchido por temas ritmados, visitando os álbuns “Preciso dum herói” (1999), “Meu sonho azul” (2001) e “Preto no Branco” (2006), relembrando os seus maiores sucessos, como o tema título do álbum de 1999 e o inevitável “Não vou voltar a chorar”. Mas não se pense que os terceirenses facilitaram a vida à artista continental. Num misto de timidez e cepticismo, o público não aderiu de imediato ao concerto, exigindo por parte de Claudisabel constantes tentativas de conquista, oscilando entre graças relacionadas com os temas e piadas com produtos locais, como o “Queijo Vaquinha”. A prova foi indubitavelmente ganha, estando, tema após tema, um maior número de pessoas a assistir ao espectáculo. Quanto às falhas de som, Claudisabel não “chorou”, saindo de forma airosa das falhas que lhe eram alheias, contando com o apoio do público que, entretanto já estava conquistado. 

Dos pontos altos, destacam-se a interpretação do tema “De mãos dadas”, originalmente lançado em 1997, que contou que a presença de várias crianças de São Bento no palco, de mãos dadas, influenciando o público adulto a fazer o mesmo em nome de um desejo pela Paz Universal. O agradecimento a Ricardo Landum (compositor, letrista e produtor da maioria das canções de Claudisabel) foi também dos momentos mais bonitos da noite, demonstrando agradecimento e humildade; e o final com chave d’ouro através de uma interpretação brilhantemente sentida e vocalmente potente de “One moment in time” (original de Whitney Houston)! 

20 anos depois de se ter dado a conhecer ao grande público com o seu segundo álbum, “Pensei com o Coração”, Claudisabel demonstrou, ontem, porque continua a ser um dos nomes da música portuguesa a ter em conta: carisma, beleza e voz e um reportório do agrado do público. No entanto, cremos que um disco novo, na mesma linha dos seus sucessos, e/ou uma participação num programa de televisão do género “A tua cara não me é estranha”, revela-se urgente e uma possível mais-valia para elevar merecidamente o nome de Claudisabel ao patamar dos mais mediáticos artistas nacionais.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem: FACEBOOK CLAUDISABEL / Vídeo: YOUTUBE

2 comentário(s):

  1. Rui Ramos08:30

    Das artistas do seu género que mais gosto.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo10:43

    Contra tudo e contra todos vou lutar

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top