O programa A Praça desta manhã, emitido na RTP1, teve um segmento dedicado ao Festival da Canção e ao Eurovision Song Contest. O ESCPortugal foi um dos convidados.


A Praça de hoje teve um segmento dedicado à vitória portuguesa no Festival da Eurovisão. O programa das manhãs da RTP1 recebeu Carla Bugalho, chefe da delegação portuguesa, Joana Martins, responsável pelos conteúdos multimédia do Festival da Canção, e Nuno Carrilho, editor do ESCPortugal.

A conversa centrou-se sobretudo à volta de Salvador Sobral, que com a sua personalidade e espontaneidade foi conquistando os europeus e tornou-se um fenómeno das redes sociais. Joana Martins apontou o facto do representante português não ter um discurso programado como a principal razão para ser adorado por todos os jornalistas presentes em Kiev. Salvador Sobral recebeu imensos pedidos para entrevistas, de tal forma que a delegação portuguesa teve de selecionar os mais importantes, pois o tempo não era suficiente para todos.

Carla Bugalho afirmou que a delegação portuguesa estava longe de pensar que iam vencer. Estavam até receosos, pois o país não se qualificava para a grande final desde 2010. Mas, depois da qualificação, as expetativas foram sempre subindo e começaram a pensar em vôos maiores.

Nos bastidores da Eurovisão, Salvador era também bastante acarinhado pelos outros participantes. Manel Navarro, representante espanhol, "passava a vidda a ir ao nosso camarim. Os bielorrussos queriam tirar fotos com ele. A cantora da Arménia chorava sempre que ele cantava", conta Carla Bugalho.

A chefe da delegação portuguesa afirmou ainda que nunca houve a possibilidade de Luísa Sobral substituir o seu irmão. Foi apenas uma salvaguarda para os ensaios, com a autorização da organização. 

Nuno Carrilho, editor do ESCPortugal, disse que nunca esperou ver Portugal vencer o Festival da Eurovisão. E que, se até agora era difícil largar um pouco a Eurovisão, isso tornou-se impossível com esta vitória. Contou ainda que as visitas ao site do ESCPortugal dispararam e foram atingidos recordes históricos. Mesmo agora, mais de uma semana depois da vitória de Salvador Sobral, o interesse continua a notar-se.

Carla Bugalho falou ainda da organização do Festival da Eurovisão no próximo ano e relembrou que há uma série de infraestruturas que acompanham o evento. Não se trata de receber apenas duas semifinais e uma grande final, mas sim de acolher milhares de visitantes na mesma cidade e criar um centro de imprensa, um Euroclub, uma Eurovillage e o Eurocafé. 

Á RTP têm chegado convites para que Salvador Sobral vá a vários programas lá fora. Destacam-se os convites de Jimmy Fallon, do Good Morning Britain e dos reis da Suécia.

Pode ver o programa completo AQUI (a partir do minuto 15:20).

Esta e outras notícias também no nosso Facebook. Visite já!
Fonte e Imagem: ESCPortugal

9 comentário(s):

  1. Rui Ramos14:51

    Fiquei muito contente por ver o escportugal neste prograna

    ResponderEliminar
  2. Anónimo16:14

    Dona Carla Bugalho a dar a entender que as outras cidades que querem sediar o ESC não têm hipótese nenhumas. Ainda bem! :-) Adeusinho ESC 2018 Saint Marie of Fair, Olá ESC 2018 Lisbon :-)

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:44

    Eles disseram que receberam um convite de Jimmy Fallen. Vão aceitar ir ao programa dele?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo17:50

    então eles dizem que foi convidado pelo jimmy fallon e pelos reis da suecia e o programa do uk e não dizem mais nada sobre o assunto?! wtf.
    ele de certeza que não vai está-se mesmo a ver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:08

      De que é que isso interessa? O Salvador cumpriu as suas responsabilidades às quais se submeteu, agora ele faz o que quer da sua carreira e só a ele lhe diz respeito, ou vai ser um cão de trela de Portugal? credo que mentalidades!

      Eliminar
    2. Anónimo22:39

      22:08 - Ninguém decerto nega que cumpriu as suas responsabilidades e que é dono da sua vida e da sua carreira. As pessoas não lhe querem mal por sentirem que ele podia aproveitar certas oportunidades. Na conferência de imprensa pós-vitória, uma jornalista perguntou-lhe o que pensava fazer a seguir, sugerindo-lhe uma digressão pela Europa. Ele respondeu que gostaria duma digressão pela América do Sul. A verdade é que eu acredito que, pelo menos, clubes de jazz da França e da Alemanha o acolheriam de bom grado. Duvido que na América do Sul, onde o ESC é praticamente desconhecido, o convidem. Desejar que ele vá mais longe não significa sugerir que faça o que não quer. Pessoalmente custa-me que um bom intérprete, que fez alguma diferença no ESC, não aproveite para tentar levar a sua música mais além. Claro que há (esperemos que por pouco tempo) questões de saúde, mas, enquanto persistirem, com certeza que uma estada na América do Sul seria menos aconselhável do que atuações na Europa.

      Eliminar
  5. Anónimo23:19

    Muito bem Nuno Carrilho. Representantes muito bem.o site

    ResponderEliminar
  6. Anónimo10:54

    OMG, Ele tem de ir ao Jimmy Fallon!!!!!!!!!! Era incrível e em termos de carreira era muito bom para a internacionalização..

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:26

    Eu vi a entrevista e eles não falaram em ir ao jimmy fallon. Onde foram buscar essa informação?

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top