O canal estatal russo, Channel One, acaba de anunciar a retirada da Rússia do Festival Eurovisão da Canção 2017. Este anúncio vem ao encontro da recente polémica da proibição da entrada de Yulia Samoylova na Ucrânia por parte do governo local. 


Após semanas de especulação, o canal estatal russo revelou através dos seus espaços noticiosos, a desistência do país na competição deste ano. De acordo com este órgão noticioso, a recusa da entrada da artista russa em território ucraniano causou a impossibilidade da representação do país na edição deste ano do certame. Por sua vez, a UER ofereceu a possibilidade aos responsáveis pela delegação russa de o país ser representado através de uma atuação via satélite, tal como, a mudança de artista na representação do país sem qualquer penalização. Pode recordar todos os artigos que publicámos sobre esta polémica seguindo este LINK.

Ainda assim, de acordo com a estação russa, 'a intenção da Ucrânia em politizar o certame quebrou aquilo que se tem feito ao longo de 62 anos, ou seja, unir os povos. Desta forma, não existem condições para a participação da Rússia em Kiev'.

A retirada da Rússia do certame irá também ter consequências quanto à transmissão do mesmo por parte do Channel One, sendo que, desta forma, este ano, não haverá transmissão do Festival na Rússia.

Nas próximas horas, a UER deverá lançar um comunicado oficial acerca desta situação. 


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCKaz / Imagem: GOOGLE 

21 comentário(s):

  1. pois...quem semeia ventos...colhe tempestades...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:39

    Enfim... Pena que a politica seja mais forte que a espirito eurovisivo. Então com o slogan deste ano!!! Claro que a Ucrania fica mal vista e de modo errado. Foi uma jogada da Russia na escolha desta cantora. Sai a Ucrania prejudicada por ficar com a imagem errada e por nao poder actuar nos proximos anos! E a Russia n]ao actua este ano mas fica a rir!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17:40

    Naaaaaoooooo

    ResponderEliminar
  4. Anónimo17:51

    Já se esperava...Não sei porque o choque de tanta gente, o ego da Rússia é demasiado grande para eles escolherem outro representante...

    ResponderEliminar
  5. Até que enfim. Farta desta novela provocada, que até hamburgers já metia ao barulho.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo17:56

    Apoio a Ucrânia, a Rússia sabia muito bem o que estava a fazer... O facto de a música em si ser mediana leva-me a supor que eles já sabiam que isto ia acontecer. Para o ano a Julia volta com uma música a sério (como a Rússia sabe muito bem fazer) e com uma performance em palco magistral com umas bocas subtis à Ucrânia que vão surpreender todos o que estarão no Pavilhão Atlântico a assistir à Eurovisão 2018. E vai rebentar o televoto, mas não vai ser com o meu voto, não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei o teu comentário!!! "Supreender todos os qie estarao no pavilhao atlantico a assistir à Eurovisão 2018" Isso mesmo estou contigo

      Eliminar
    2. Anónimo18:11

      Acreditas muito que Portugal vai ganhar

      Eliminar
    3. Anónimo18:29

      Ahahahah =)) Adorei essa do Pavilhão Atlântico, mas não se esqueça q agora é MEO Arena ehehehe...A esperança é sempre a última a morrer, há q ter FÉ!!!

      Eliminar
    4. Anónimo19:45

      até me vieram lágrimas aos olhos por me rir nessa parte do pav. atlântico xD

      Eliminar
  7. Shevek18:11

    Cinismo total por parte da Rússia. Se alguém divide os povos, é o Sr. Putin. Tenho pena, mas que regressem quando se virem livres do ditador que os governa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo01:56

      Qual ditador? Foi eleito democraticamente e o seu partido domina a Duma, o Parlamento russo.

      Eliminar
    2. Eleito democraticamente???
      O tipo literalmente enfiou votos nas urnas a favor do partido dele. E se não achas que limitar a imprensa russa a escrever artigos que só o favorecem não é cariz de um ditador, não sei se sabes o que é um ditador.

      Eliminar
  8. Julia Julieta18:50

    Viva a Ucrania livre e unida!

    ResponderEliminar
  9. Não lamento e espero que não regressem enquanto a situação política e mundial permanecer igual

    ResponderEliminar
  10. Anónimo19:14

    Caso a Rússia não transmita o certema este ano, para o ano também não poderá participar. São regras impostas pela ebu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa regra já deixou de existir há uns anos

      Eliminar
    2. Anónimo19:50

      então se por exemplo Portugal não tivesse transmitido o ESC o ano passado, como queriam fazer se não me engano, também não poderiamos participar este ano?

      Eliminar
    3. Anónimo01:13

      Sim essa regra existe... É obrigatório a transmissão do festival para puder participar no ano seguinte... (Por isso sempre que Portugal não participa transmite o festival para puder participar o ano seguinte...)
      Mas visto que existe uma regra que o pais onde o festival vai ser realizado tem de permitir que todos os paises possam participar no concurso e dar vistos para a entrada no pais e a Ucrânia não o fez, ja que se quebra uma regra pode se quebrar a outra e permitir que mesmo a russia nao transmita o festival para o ano possa participar no proximo ano...

      Eliminar
    4. Pedro Carvalho01:21

      Essa regra já não existe. Acabou há uns anos na tentativa que a Turquia regresse, mesmo nao tendo transmitido o ESC no ano anterior

      Eliminar
  11. Anónimo09:48

    Nada mas nada mesmo substitui a soberania de um país.... Ucrânia com uma bolas do tamanho do país. ..well donne

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top