Fechou-se o pano do Eurovision in Concert, o maior evento promocional do Festival Eurovisão da Canção 2017. 34 artistas subiram ao palco e deram o seu melhor!


Foram mais de 3000 os espectadores do Eurovision in Concert 2017, levado a cabo na sala Melkweg no centro de Amesterdão. 30 minutos bastaram para que os bilhetes esgotassem já no final do ano passado. O maior número de artistas, 34, preencheram um programa que ultrapassou as três horas de duração. Para além dos fãs da Eurovisão, dos muitos media acreditados e de várias estações de televisão, destacava-se uma grande equipa da televisão da Ucrânia, que realizou diversos blocos de reportagem. Também altos responsáveis da EBU/UER estiveram presentes, sendo que este ano ficou claro e visível o patrocínio da Eurovisão para a organização deste evento. Portugal, como se sabe, foi dos poucos países que não se fez representar pelo seu artista representante ou por qualquer elemento da RTP.

O artista mais ovacionado, aplaudido e requisitado para entrevistas foi o italiano Francesco Gabbani, o favorito para ganhar esta edição da Eurovisão segundo as casas de apostas. Veja o vídeo da sua atuação da noite:



O ESCPORTUGAL esteve presente neste fim-de-semana de eventos eurovisivos, apresentando de seguida um compacto de 20 minutos com alguns dos melhores momentos da noite. Refira-se que, ao alinhamento previsto, faltou a representante da Bélgica, por motivos de doença. Para as atuações completas, recomendamos esta página AQUI ou AQUI




Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem: EIC / Vídeo: ESCPORTUGAL

29 comentário(s):

  1. Ricardo Alves11:20

    Ta visto. Milão 2018

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:44

      Na edição passada era Paris 2017

      Eliminar
  2. Anónimo11:35

    A Italia e mesmo fantastica. E a minha favorita a vitoria no entanto penso que nao ira ganhar devido a este avoritismo todo. Quem vai ganhar vai ser alguem assim menos obvio que esteve mais ao menos a meio dos tops e no top 10 das apostas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:32

      Portugal, portanto...

      Eliminar
  3. Anónimo11:50

    Que pena Portugal ignorar estes eventos que ainda por cima são patrocinados pela Eurovisão. Esperemos que não nos saia caro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:01

      Pois, e além disso passam a vida a dizer q o Salavador tem de descansar... mas se tem de descansar porque passa a vida a dar concertos em Portugal? Não é por uma viagem de 2 dias a Amsterdão q vai ficar pior...

      Eliminar
    2. Anónimo13:10

      exactamente, anónimo das 12:01... essa desculpa da doença é mesmo "esfarrapada", porque se é para descansar então tb deveria descansar e não meter os pés em concertos cá

      Eliminar
    3. Anónimo14:45

      Não sei onde viram essa desculpa da doença, eu ouvi-o numa entrevista a dizer é que não se identificava com festas, que não tinha interesse nelas e por isso mesmo não participaria...

      Eliminar
    4. Anónimo19:29

      Anonimo das 14:45 tambem vi isso. No e tanto condeno totalmente essa atitude. O Salvador nao foi ao Festival da Cancao com o intuito de ganhar nem vai a Eurovisao para representar Portugal dignamente. Ele vai para promover o seu trabalho... E é isto que condeno.. Ele so quer ficar conhecido e como tal como esta a ter a sua fama no país nem vai as festas eurovisivas porque naoq uer saber disso para nada. Apesar de achar que nos vai representar muito bem e que tem uma cancao muito boa, ele tem outras intencoes com a sua participaçao que nao ganhar e representr bem o país. Sepois quando chegarla vai ficar de boca aberta com a imensidao daquilo.

      Eliminar
    5. Anónimo20:08

      Anonima das 19.29, tenho de concordar em parte. Não querer ir às festas, não sou contra, sou da opinião que nem perde muito, agora afirmar em entrevista que não tem qualquer interesse em ganhar o festival... Nunca gostei tanto de uma canção portuguesa como esta, mas essa atitude de desprezo pode prejudicar a opinião do público europeu, espero que não repita essa opinião nas entrevistas em Kiev...

      Eliminar
    6. Anónimo20:37

      anónimo das 14:45, onde é que viste o salvador a dizer que nao se identificava com festas, já agora? e por amor de deus, acha que independentemente de alguem nao se identificar com festas, quando se trata de promover a sua canção que vai promover o pais na eurovisão, a pessoa deixa de ir simplesmente? aliás, aquilo nem é só festas... eles ficam la hospedados no sitio que vai haver a festa, mas tambem fazem mais coisas... em israel andaram a plantar arvores, por exemplo... pode ser também uma quota parte de "borga" mas acha mesmo que é o objetivo principal...? vou dar um exemplo... o ano passado, a Kaliopi (Macedonia) promoveu a canção neste tipo de festas, e embora eu nao querer entrar em preconceitos, acha que ela com 49 anos que tinha na altura, tinha assim tanto gosto por festas, como se calhar alguns dos que estavam lá tinham? e ela não deixou de ir... portanto isso para mim e para muitos outros são só desculpas e razões infundadas por parte do Salvador, é pena ele não querer ir e andar a dar concertos por cá, o que não percebo, tal como também não aparecia nos ensaios para a final do FC como se tornou publico, mas nessa mesma altura andava apto para dar concertos no pais. há desculpas e desculpas...

      Eliminar
    7. Anónimo22:48

      Anónimo das 20.37, não sei se o ESC Portugal permite links, mas aqui vai, foi na entrevista dada ao blog Wiwibloggs:
      https://youtu.be/QatReA_BdeE?t=3m1s
      E eu apenas comentei por estarem a afirmar que a razão que o leva a não participar é a saúde.
      Cumprimentos

      Eliminar
  4. nop nada disso...o factor surpresa...está tudo a aguardar a atuação ao vivo.... e ele tem de se resguardar pois a situação não é fácil para ele. Qdo começarem os ensaios vamos ver... e se bem me recordo é a primeira vez q a Suécia faz promoção...certo??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:41

      Que factor surpresa?? A atuação vai ser igual a do Festival da Canção

      Eliminar
    2. Anónimo19:31

      Nao vai ser igual.. A propria luisa disse que ja tinha uma ideia para a apresentaçao e para que todos possam saber a letra

      Eliminar
    3. Anónimo00:10

      Pelo que percebi, vão mudar a dicção.

      Eliminar
    4. Anónimo09:44

      E o casaco já agora :-)

      Eliminar
  5. Pedro Carvalho12:42

    A rtp ainda não gastou 1 segundo a promover a canção. Nada. Nem um micro site em inglês, nem uma página no face.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:30

      Tas sempre com o micro site em ingles.. De facto isso e uma ideia tao boa que nenhum pais faz isso... Isso promove a cançao imenso sem duvida (ironia)

      Eliminar
    2. Anónimo19:54

      E já viste que mesmo assim, vamos sendo um dos grandes candidatos ao Top 3?

      Acreditem na estratégia feita pela RTP e pelo irmãos Sobral.

      Eliminar
    3. Anónimo20:17

      Os outros países não precisam porque a estratégia é outra: participam em concertos na Europa, respondem a entrevistas, fazem sessões de fotos, videoclip promocional.. etc etc. Há quem faça também uma grande dinâmica das suas páginas de facebook Twitter e insta. Da rtp não vejo nada. Apenas esperar pela sorte e pelo trabalho do artista

      Eliminar
    4. Anónimo22:28

      Se a RTP pretende participar e, perante um resultado menos positivo, vir com a desculpa de que é tudo política e influências de editoras discográficas, então a estratégia está a ser a melhor. Se a isso acrescentarmos um intérprete que acha que não está a participar com o intuito de ganhar, então temos a estratégia reforçada. Que ele não se sinta à vontade em festas em que haja maior contacto com os fãs do ESC, admite-se; que vá participar num evento em relação ao qual se mostra visivelmente desinteressado (nunca se lhe ouviram umas palavras que fosse de entusiasmo ou apreço por ir ao ESC), já não é tão admissível. Que se deseje levar uma canção em português, é uma decisão respeitável; que nem se faça uma versão em inglês (o que até nos anos 60, 70, 80 e 90 se fazia) e, no entanto, S. Sobral tenha um cd com temas em inglês, só mostra displicência. A RTP escolheu um ótimo aliado neste seu "empenho" por uma boa classificação no ESC...

      Eliminar
  6. Madalena23:12

    Concordo totalmente com a opção do Salvador, ou seja lá de quem tenha sido, de não estar presente nesse tipo de festas. Uma canção intimista como aquela não faz sentido nenhum naquele tipo de contexto, só ia banalizar a nossa apresentação, é a minha opinião. Esta nossa apresentação só tem a ganhar se ficar resguardada até à altura que realmente interessa. Faz-me confusão que as pessoas que estão a criticar não percebam a diferença entre, por exemplo, o "Quero ser tua" que é um tipo de música que já acho que faz todo o sentido neste tipo de festas e a Suzy, na altura, fez omeletes sem ovos, fez tudo o que podia e muito bem, mas esta canção que vai representar-nos agora não tem nada a ver, não é para andar nesse tipo de andanças, só perdia com isso, não acham que esta canção, para brilhar, também precisa do ambiente certo? Acham mesmo que tinha alguma coisa a ganhar com aquela barulheira à volta dos palcos das festas, não acham que só podem vir a ganhar alguma coisa, nessas festas, as músicas para dançar ou pelo menos não tão intimistas, ou é só mesmo vontade de dizer mal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo00:12

      Não é, com certeza, só vontade de se dizer mal - aliás, como diz, Suzy participou neste tipo de eventos e nunca houve uma intérprete de quem, em Portugal, se dissesse tanto mal... É apenas a vontade de se ver a canção e o intérprete chegarem, de forma mais próxima, a algum do público do ESC. É simplesmente o desejo de se aproveitar a oportunidade para se divulgar mais a canção de um país perante o qual - por muito que custe, é verdade - há, logo à partida, a ideia de que nunca vencerá, de que é sempre um "outsider". Veja-se a atitude do intérprete italiano, que tudo está a fazer, nas entrevistas que dá, para eliminar a ideia de que a Itália não liga ao ESC. Na verdade, as pessoas não estão propriamente a criticar - estão talvez mais receosas de que uma boa classificação escape por uma má (ou nula) estratégia de promoção. Não há um vídeo simples, mas sem expressões algo deslocadas do cantor (indecifráveis até para quem percebe a língua), não há uma versão em inglês, não há um "site" que, de modo apelativo, chame a atenção para a melodia e a riqueza instrumental, para o currículo do intérprete, para o sentido da letra, não há uma habituação dos espetadores da RTP Internacional à canção... Espera-se que S. Sobral chegue a Kiev e sobressaia, exatamente por ter aparecido tão pouco. E se não estiver preparado para as entrevistas e insistir no desprendimento em relação ao ESC? E se continuar a mostrar alheamento em relação a todo o evento? E se os comentadores das estações de televisão veicularem essa atitude de desinteresse? Não será que é uma oportunidade que se perde de, enfim, se ter uma participação bem-sucedida?

      Eliminar
    2. Anónimo00:12

      A minha opinião, tal e qual. Só perderia ao ir a estas tretas. No entanto, não foi uma estratégia, mas simplesmente fruto de falta de importância dada ao ESC.

      Eliminar
    3. Porra, até que enfim!!!

      Eliminar
    4. Madalena23:05

      00:12, Este ano acho que podemos ter, se preferir, a atitude arrogante de quem leva uma música com qualidade e eu acho que, mesmo que não seja propositada, acaba por ser uma excelente estratégia de promoção, repare, quando alguém se preocupa em fazer uma grande canção e não usa o "Para o que é bacalhau basta ou vamos dar-lhes mais do mesmo" já está, à partida, a valorizar e por isso mesmo "a ligar", a respeitar os eventos onde já participou e aquele aonde ainda vai participar, como li por aí várias vezes, escrito maioritariamente por gente dos países nórdicos, de Espanha, Itália, e França, li mais ou menos isto: "Obrigada/o Portugal por levarem música a sério à Eurovisão" e a elogiarem o facto de adivinharem o que quer transmitir e conseguirem emocionar-se com a canção só pela melodia e pela interpretação sem perceberem a letra, o que prova, precisamente, que quando uma música é boa consegue passar a emoção e adquirir o tal carácter universal, todos dizem que ser cantada, precisamente, na nossa língua só lhe aumenta o charme, daí não haver, acho eu, necessidade nenhuma duma versão em inglês, mais uma vez acho que seria retirar-lhe o factor "diferença", para além de que muitos portugueses já fizeram por aí e bem a tradução para inglês. Ainda lhe digo que estou convencida de que as pessoas que estão atentas à pré-época eurovisiva são as mesmas que vão aos sítios, onde as mesmas estão disponíveis, ouvir as músicas todas antes das semi e da final o que poderá tornar esse tipo de promoção, eventos, apenas interessantes para futuros contactos profissionais para os artistas que neles participam e não para uma futura boa classificação, mas admito estar totalmente enganada...

      Eliminar
    5. Madalena00:51

      * mas admito "poder" estar totalmente enganada...

      Eliminar
  7. Anónimo09:04

    Obrigado escportugal por nós trazerem estes momentos

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top