Jorge Benvinda irá cantar no Festival da Canção “Gente bestial”, mais um tratado de festa e boa disposição tão característico dos Virgem Suta, de que faz parte em conjunto com o compositor Nuno Figueiredo. A entrevista com o ESCPORTUGAL em modo boa onda


O desafio para participar no Festival da Canção foi lançado pelo músico Nuno Figueiredo, um dos 16 compositores convidados pela RTP para comporem o menu do festival deste ano. Foi, digamos assim, um convite “em família”, tratando-se ambos de membros ativos do grupo Virgem Suta e amigos de longa data. Apesar disso, “não estava nada à espera”, começou por dizer na longa, mas divertida, entrevista com o ESCPORTUGAL. “Fiquei muito contente mas ao mesmo tempo apreensivo. Não gosto nada de defraudar as expectativas, tenho a minha timidez, prezo a minha intimidade, tenho os meus receios por causa dos aspetos negativos de uma competição. Acabei por dizer ‘sim’ ao Nuno Figueiredo porque não se diz ‘não’ a um pedido de um amigo”

O Festival da Canção diz-lhe muito. E nesta conversa informal aproveitou-se o tempo também para recordar festivais de outros tempos. “Para mim o festival é uma coisa de miúdos. Agora fizeste-me lembrar o tempo que eu gravava as músicas do festival diretamente da televisão, com microfone, para uma cassete, para depois poder ouvir quando quisesse” (risos). Apesar deste lado saudosista mas emotivo, o Festival da Canção não deixa de ser um concurso e o lado competitivo de que falava atrás é o que menos gosta. Em tudo na vida e não só aqui. “A única competição que faço é comigo mesmo”, reconhece. “Não tenho audácia em vencer algo a alguém”. Contudo, “quando o Figueiredo me falou do festival, da lista de músicos e artistas envolvidos, isso cativou-me por ser uma espécie de altruísmo para fazer crescer algo em Portugal”.

“Gente bestial” é o título da canção que irá defender. Em português. “Os portugueses são gente bestial”, disse sem antes esboçar um sorriso. “Temos um povo perfeito que vive com muita imperfeição (risos)” Esta canção é , assim, um hino “aos portugueses! O nosso povo em geral tem um lado fantasioso, irónico e brincalhão. No fundo, a canção é isto! Sem ferir nada nem ninguém, enaltecemos aqueles que sabem viver com as diferenças, que choramos, que rimos. É uma canção ritmada, energética, tem um jogo fonético muito forte, feliz e sempre divertida”. No entanto, “não fala da história, dos descobrimentos… é uma canção nossa, mas não entra por aí”, esclarece. 

O palco já está todo estudado. “Vou estar com os meus amigos Nuno Figueiredo e Bruno Vasconcelos, para além de back vocals”. Não podendo ainda revelar mais detalhes, quisemos que nos destacasse uma das canções dos Virgem Suta que melhor pudesse inspirar os leitores para a sua canção do festival. Jorge Benvinda não quis fazer esse tipo de associações, preferindo que fossemos nós próprios a escolher uma. Arriscamos esta: 


Expectativas para o festival? “Vejo este estado emocional das coisas, sentir a música como fazendo parte de uma festa! É uma vitória incrível cantar e tocar com eles!”

Recuando no tempo, a canção que destaca dos festivais de outrora é “Playback”, de Carlos Paião. “Tem muita energia, é boa onda e divertida! Por isso, os Virgem Suta têm uma versão que fazemos questão de tocar em todos os concertos”. Recuperamos um dos vídeos desses momentos: 


Jorge Benvinda é, podemos dizer, o homem dos sete ofícios. Para além de integrar os Virgem Suta, banda que já editou três álbuns e faz concertos em todo o país (em breve vai estar no Centro Cultural de Belém em Lisboa e na Casa da Música no Porto), em 2007 abriu a Galeria do Desassossego na sua cidade-natal Beja, um espaço de comida e bebida informal aliado à música (de momento em fase de remodelação). Em 2014 inaugura a Casa de Cante, também em Beja, associação de promoção do Cante Alentejano, que tem como principal atividade a divulgação deste cantar regional que é, segundo a UNESCO, Património Imaterial da Humanidade. O sonho é criar uma rede impulsionadora condigna e bem articulada “da nossa cultura. Estamos cientes - explica- de que com o tempo as Casas de Cante serão importantes polos de atracão turística e locais privilegiados de contacto e interação com a identidade da região.”

Em jeito de rodapé, podemos dizer que esta entrevista começou de uma forma inusitada. Jorge Benvinda apenas aceitou falar com o ESCPORTUGAL quando percebeu que não fazemos entrevistas por escrito e enaltecemos e reconhecemos a identidade de cada artista e músico.“Não gosto de entrevistas por escrito, ainda para mais iguais para todos”, frase que serviu para mais um momento de humor. Já depois de terminada a animada conversa, publicou esta apetitosa foto no facebook:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL, JORGE BENVINDA /Imagem: VIRGEM SUTA / Vídeo: YOUTUBE

11 comentário(s):

  1. Anónimo14:15

    Adorei a entrevista! Ajudaram-me a entrar no espirito. Obrigada

    ResponderEliminar
  2. Rita Martins14:18

    Não sobrou um queijinho para mim? :-) :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:38

      Espero que não façam como os homens da luta que também levaram o vinho, o pão e o queijo. Lol

      Eliminar
  3. Anónimo14:21

    EscPortugal, sabem-me dizer quando é que a RTP tenciona revelar o espaço onde vão ser concretizados os 3 espetáculos, e se vão revelar os ensaios? Obg pela atenção

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:42

      Os espaços já foram revelados! As semi-finais serão nos Estúdios da RTP em Lisboa, e a grande final no Coliseu dos Recreios em Lisboa.Quanto aos ensaios ainda não foi divulgada nenhuma informação.

      Eliminar
    2. Anónimo14:52

      Já foi revelado q a final do FC seria no coliseu dos recreios e as semifinais nos estúdios da RTP. :)

      Eliminar
    3. Anónimo14:52

      Semifinais nos estúdios da RTP e final no Coliseu dos Recreios

      Eliminar
  4. Anónimo14:22

    AMEIIIII a versão do playback!!!!! Quero assim uma coisa divertida no festival!!!

    ResponderEliminar
  5. Rui Ramos15:00

    É uma das participações nas quais guardo as maiores esperanças

    ResponderEliminar
  6. Anónimo18:37

    Entrevista gira. Até eu sorri

    ResponderEliminar
  7. Anónimo20:59

    Eu acho que infelizmente as pessoas não estão a associar o Jorge como membro dos Virgem Suta... ou pelo menos tenho essa impressão até agora. Pessoalmente, acho que ele poderá ser uma das melhores atuações da semifinal 2, confio no trabalho desenvolvido pelo Nuno e no Jorge, aliás, os Virgem Suta são das minhas bandas preferidas portuguesas e fiquei contente quando vi o nome do Nuno nos compositores e agora o nome do Jorge como intérprete! Se for preciso e as expetativas se confirmarem, até voto... boa sorte!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top