O diretor geral interino da NTU admitiu, numa entrevista televisiva, que as preparações para o Eurovision Song Contest 2017 estão um mês atrasadas.


O diretor geral interino da NTU admitiu que as preparações para a Eurovisão 2017 estão um mês atrasadas. Em entrevista à TSN, Aleksandr Kharebin disse que quando assumiu funções o atraso era de três meses e que a Ucrânia estava perto de perder a organização. Desde então, o atraso foi diminuído para um mês.

Aleksandr Kharebin afirmou que "no início de outubro, a União Europeia de Radiodifusão, como dona da marca Eurovisão, deu um cartão vermelho às preparações e à interrupção das preparações para a Eurovisão". Segundo o diretor interino da NTU, as razões para esse cartão vermelho foram burocráticas, legislação inadequada e atitudes de desprezo de alguns funcionários para com o concurso. Kharebin substituiu Zurab Alasania, no lugar de diretor geral da NTU, depois deste se ter demitido em protesto contra a falta de fundos do governo ucraniano.

A imprensa do país tem escrito que a decisão final quanto à realização da Eurovisão 2017 em Kiev será tomada a 8 de dezembro. Nesse dia realizar-se-à a reunião anual da União Europeia de Radiodifusão.

A Ucrânia tem enfrentado uma série de obstáculos na organização do concurso. Os fundos prometidos pelo governo foram atrasados, sendo que todos os aspetos do processo têm de seguir um rigoroso e demorado escrutínio público, de acordo com a lei. Há ainda alguns rumores de que os responsáveis da arena que receberá o ESC2017 ainda não assinaram o contrato final. 

43 países competirão no Festival Eurovisão da Canção de 2017. Portugal e Roménia voltam ao certame, depois de um ano de interregno, e a Bósnia-Herzegovina é a única a retirar-se. O concurso está marcado para 9, 11 e 13 de maio.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: eurovoix / Imagem: oikotimes

0 comentário(s):

Enviar um comentário

Temas em Destaque

 
Top