O Arcebispo de Malta foi duro nas críticas ao Festival Eurovisão da Canção durante uma entrevista a um programa de rádio local.


O Arcebispo da Arquidiocese de Malta, Charles Scicluna, criticou a estação de televisão pública do país por gastar "fortunas" na participação no Festival Eurovisão da Canção 2016, que decorreu em Estocolmo em maio passado. O alto responsável falava durante o programa de rádio, mostrando conhecer alguns pormenores da atuação de Ira Losco. "Gastaram milhares de Euros num holograma que acabou por não ser usado por problemas técnicos", criticou.

Mas os reparos não se ficaram por aqui. O envolvimento de altos responsáveis políticos também mereceu o sublinhado do Arcebispo Scicluna  "Isto só acontece em Malta ou, deixem-me dizer, também na Rússia: que outro país tem um Presidente da República que a visita a 'Eurovisão' durante os ensaios? Aconteceu em Malta em 2014 durante o Festival Eurovisão Júnior e em Moscovo, quando Vladimir Putin apanhou todos de surpresa quando visitou a arena da Eurovisão em 2009".

Não é a primeira vez que as despesas suportadas pela televisão PBS e governo de Malta são merecedoras de críticas. Antes mesmo do festival, a imprensa relatava que o orçamento teria duplicado em relação à edição do ano passado, tal como escrevemos AQUIDepois do festival, a PBS anunciou que as receitas de publicidade cobriram todas as despesas. Recorde AQUI.

Recorde-se que Malta foi, este ano, representada por Ira Losco. Na final do Festival Eurovisão, classificou-se em 12.º lugar com 'Walk on Water'. 



Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCXTRA, ESCPORTUGAL / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

6 comentário(s):

  1. Anónimo10:07

    Que vá mas é lá para a igreja e deixe o festival em paz.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo10:10

    Tanta coisa para ficar em 12º lugar.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo11:28

    Se tivessem sido as Ekklesia Sisters as escolhidas, ele até pagava do seu dinheiro [-(

    ResponderEliminar
  4. Depois da farsa que foi a escolha da representante maltesa para o ESC 2016,as palavras e reparos deste arcebispo tem razao de ser.As despesas com o ESC nao podem subir em espiral continua,tanto a nivel nacional como internacional.Bom senso,precisa-se.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16:14

    Acho muito bem investirem a Rússia para ter bons resultados também teve de investir. A Malta não teve sucesso no televoto mas teve no júri e acabou por ser recompensada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Investir sensatamente e uma coisa,esbanjar euros ao vento e outra.Malta organizou aquele megaprocesso de preselecçao,para depois ficar tudo em nada.Isso e esbanjar dinheiro!Recompensada? um 12º lugar vale de recompensa?! Ja agora ficar acima do bottom5... :-)) talvez seja recompensa...

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top