Várias personalidades russas reagiram à vitória da Ucrânia no Festival da Eurovisão com um pedido de boicote à edição do próximo ano: "Foi uma vitória da geopolítica (...) e a Ucrânia acaba por perder com esta vitória".

A vitória de Jamala e '1944' na 61.ª edição do Festival da Eurovisão já está a causar grande polémica no Leste Europeu: várias personalidades russas reagiram mal à vitória ucraniana e alguns senadores do país já vieram a públicar apelar a um boicote à edição de 2017. Muitos garantem que foi "uma vitória política" às custas do candidato russo, que terminou na terceira posição, além de criticarem a participação da Austrália, segunda classificada da geral.

O tema, inspirado na deportação do povo tártaro da Crimeia, que foi ordenada pelo líder soviético Josef Estaline aquando da Segunda Guerra Mundial, é, segundo a Rússia, uma questão de "subentendidos políticos". "Não foi a cantora ucraniana Jamala e a sua canção que ganharam a Eurovisão 2016: foi a política que ganhou à arte" afirmou o senador Frantz Klintservitch, apelando ao boicote da Rússia na próxima edição do evento, organizado pela Ucrânia. 

Por outro lado, para o presidente do comité dos Negócios Estrangeiros russo, Konstantin Kossatchev, foi "a geopolítica que ganhou" e, segundo o senador, esta vitória irá comprometer o difícil processo de paz na Ucrânia: "a vitória vai dar assas aos dirigentes ucranianos (...) Por esse motivo, quem perdeu foi a Ucrânia! Aquilo que o país precisa, de uma forma vital, é de paz: mas o que ganhou foi a guerra" escreveu o presidente nas redes sociais.

Também o presidente ucraniano Petro Poroshenko reagiu à vitória de Jamala, saudando a "incrível vitória" da cantora em Estocolmo: "SIM! Uma prestação e uma vitória incríveis! Toda a Ucrânia te diz Obrigada, Jamala!" escreveu o presidente nas redes sociais.

Recorde, de seguida, ao tema que venceu o Festival da Eurovisão 2016:



Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: Sapo / Imagem/Vídeo: eurovision.tv

41 comentário(s):

  1. Anónimo15:04

    Russos aceitem que dói menos ..... :-)

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:05

    Mais um lugar extra final, não ficarei muito preocupado se eles boicotarem lol

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:09

    A canção deveria ter sido excluída do ESC à partida. Meter a política na Eurovisão é o que dá. Por isso a politiquice esteve "oficialmente" de fora do concurso até hoje.

    Já agora espera-se que no próximo ano haja canções sobre a migração para a Europa, os esfomeados e os miseráveis e mais tarde venham os elefantes da ´India e os tigres da Malásia...

    Pois... se não pode haver animais em palco porque há-de haver política nas canções a concurso? Ou vamos ter ainda de aturar cantigas da teoria da conspiração? Não há pachorra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este ano as cançoes da Grecia e da Bosnia eram sobre a migraçao para a Europa.Eu acho ,que no ESC ha espaço para todo o tipo de musica cantada.Animais em palco?Nao,obrigado.A politica NUNCA esteve fora do ESC.

      Eliminar
    2. Anónimo16:11

      Ah! Mas se forem da Austrália ou do "´Indico/Pacífico" já não?...

      Refiro-me ao seu comentário postado noutro sítio. :-d

      Eliminar
    3. Anónimo18:09

      Dizer que 1944 é política é falta de argumento para quem quer comentar algo totalmente irrelevante. 1944 reproduz toda a história de Jamala e sua família. Melhor canção do festival, merecedora.

      Eliminar
    4. 16:11 - Va la,separe as coisas dentro dessa cabecinha,1)tipos de cançoes 2) Areas geograficas do globo terrestre. E preciso explicar mais?Globalite aguda,e?

      Eliminar
    5. Anónimo23:17

      RG, olhe que a separar de mais está a excluir de mais... Está a cortar pontes e a não querer que "estejamos juntos", pois que "Come Together" até era a temática deste ano... :d

      Eliminar
  4. Anónimo15:17

    Rússia com as suas músicas made in Suécia não faz muita falta. Quem devia estar cá era a Turquia que aposta em músicas originais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:01

      a Turquia tambem nao é que facam muita falta...

      Eliminar
    2. Anónimo18:03

      pois eu creio que se a Russia se retirasse do festival seria uma grande perda ja que sao dos que mais botam empenho no concurso

      Eliminar
    3. A Turquia continua a ser o pais de que tenho mais saudades de ver e ouvir no ESC.

      Eliminar
    4. Anónimo20:44

      Ninguém tem pachorra para as pimbalhadas turcas de abanar a anca que nao significam nada ... a essência da música étnica turca não se espelha nas escolhas que o país opta por levar la fora ... para isso vemos um domingo à tarde na TVI que vai dar ao mesmo.

      A Rússia tem o ego ferido e não suporta a humilhação em praça pública ... não suporta ser confrontada com as verdade histórica sobre um crime cometida pela sua falecida "maezinha" soviética de quem tantas saudades tem .. e que insiste em imitar em todos o sentidos.

      Boicotar a Eurovisao é tão infantil e imaturo como os pais que em Portugal querem que os filhos fiquem nos colégios privados para salvaguardar as suas notas excelentes e a possibilidade de nunca terem que se misturar com a diversidade humana e socioeconomica que nos rodeia, nao vao os meninos ficar traumatizados e lá se vai uma media altíssima para entrar na Universidade. Hipocrisias mundiais e nacionais em todos os âmbitos.

      Eliminar
  5. Anónimo15:17

    A canção ganhou bem porque é excelente. Já quanto a Rússia... Boa viagem e pode levar as ex províncias todas com eles.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo15:25

    A canção da Ucrânia nem sequer devia ter sido admitida à luz do regulamento da EBU para a Eurovisão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:04

      mas a EBU faz vista grossa quando lhe interesa....

      Eliminar
  7. Anónimo15:37

    Se estão assim tão mal com a vitória da Ucrânia, simples: retirem-se para o ano e voltem em 2018! Dá mais que tempo para irem preparando uma musica perfeita para ganharem e tudo, não? Confesso que a música da Ucrânia não era nenhuma das que eu gostava mais, longe disso, no entanto acho um exagero esta "azia", apesar de saber que não deveriam ter junto a política com a eurovisão naquela letra... mas já está, já está.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:07

      o que eu creio que mais pesou foi o fato de ser uma letra muito direta e que pode ser vista como um ataque além de a Jamala ter usado a historia de sua bisavó para se promover e a EBU nao ter feito absolutamente nada a respeito e da russofobia eu ja nem falo...

      Eliminar
  8. Anónimo15:56

    Apesar de eu não gostar da musica da Ucrania, concordo plenamente com a letra da sua canção. Acho que a Austrália e a Rússia, apresentaram uma canção muito forte que mereciam uma vitória. Leio tantas críticas a respeito dos países, afinal este evento é um concurso de competição de músicas, ou interesse político????? Acho falta de consideração pelos concorrentes e pelos países. Limpam as vossas mentes e vivem em paz, como apela a canção vencedora.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo16:04

    Coitados estão com dor de cotovelo, têm bom remédio, adeus eurovisão... Força Jamala

    ResponderEliminar
  10. Anónimo16:05

    Acho bem, e não deveria ser só a Rússia. A cançaõ não deveria ser admitida ao ESC. Ou acham que se nao fosse o atual momento geopolitico vivido na região que isto venceria? E depois não é a política a comandar as coisas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:12

      quando fiquei a saber que a Ucrania voltava ao esc ja tinha certeza que no minimo ficariam no top3 só por causa da situacao politica atual do país e a crescente russofobia do continente (e mais ainda num país tao russofobico como a Suecia onde atualmente moro) e por isso nem criei expectativas

      Eliminar
    2. Anónimo20:34

      A Russofobia não é desculpa para a canção pobre Russa não ter vencido. Tenha juízo!

      Eliminar
  11. Anónimo16:08

    Os Homens da Luta, os gregos em 2013, entre outras... também não tinham mensagens políticas em suas letras? E nem por isso foram desclassificadas... E agora anda tudo preocupado por esta... é de rir!
    Em 2009 a Geórgia foi obrigada a retirar a música porque Putin reclamou, que reclarmasse antes do festival pela 1944 à EBU. de certeza que a EBU retirava a música. Agora que aguentem.. E se para o ano não participarem... será mais um lugar para um páis na final, já que TRússia tem lugar cativo na final... mesmo nao sendo um BigFive

    ResponderEliminar
  12. A Rússia tem bom remedio... Não participe no próximo ano.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo16:43

    A Rússia e as suas novelas!!! Todos os anos é a mesma coisa!!! Não há pachorra para tanto mau perder!

    ResponderEliminar
  14. Bye bye Russia Desapareçam que nao fazem falta, e parabéns á Grande Jamala e Ucrania e Australia pelo Primeiro e segundo lugar merecido!
    Nunca eu experienciei um Festival tão emocionante como este ano!
    SEM DUVIDA UM DOS MELHORES

    ResponderEliminar
  15. Anónimo17:28

    "foi a política que ganhou à arte" como se a canção da Rússia fosse uma grande obra de arte, ou sera que estão se a referir à arte gráfica? :d

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo17:55

      deve ser a 2ª opção claro ahah

      Eliminar
    2. Anónimo23:23

      Terá sido o que faltou a Portugal em 2015?... :-?

      Eliminar
    3. Anónimo07:37

      O que? a arte gráfica? Talvez, mas é pena que valorizem coisas como quem leva mais coreografia e a tal arte gráfica e não a música e o artista em si.

      Eliminar
  16. Anónimo18:13

    O festival foi criado para unir nações, daí quando um perde fica com esse choro todo, gente chata. Se não gostou só esperar que ano que vem tem mais.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo18:46

    Numa coisa tenho que concordar com a Rússia, esta não foi a melhor da noite. Não digo que não merecia ganhar, mas para mim havia músicas com outro nível de qualidade muito superior como a Australia e a Bulgaria, sendo que esta para mim só não ganhou devido ao país que representava.

    ResponderEliminar
  18. Anónimo21:02

    Se a Russia nao venceu em 2015 achava que ia ganhar em 2016
    No inicio era a minha favorita mas depois de ver a semifinal....
    Polina Gagarina muito melhor que Sergey Lazarev. A million Voices a minha favorita de 2015

    ResponderEliminar
  19. Anónimo22:20

    Se a Rússia quer boicotar, fixe! Será da maneira que não haverá (tanta) máfia nas votações do ESC de 2017. Dizer que "foi a política que ganhou à arte" é ignorância/burrice na sua forma mais bruta, ganhou a Arte (uma mesma mulher fez a letra, a música, interpreta a canção e é a responsável pela encenação/dramaturgia), ou melhor dizendo: ganhou o Artivismo (usar o activismo através da Arte), chamando a atenção para um facto histórico que remonta a 1944, mas que poderia chamar-se de "2016", pois a letra da Jamala é muito actual. Parabéns Jamala!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 22:20 -Obrigado pelo teu excelente texto,com o qual concordo a 100%.

      Eliminar
    2. também concordo plenamente com seu texto

      Eliminar
  20. Anónimo23:03

    A mais política das canções a serem apresentadas no ESC foi a da Grécia de 1976, mas, tal como sucede com "1944", a letra oscilava entre o lírico e o metafórico, pelo que não seria possível à EBU, de forma minimamente coerente, proibi-la. Pode não se gostar (para mim, em comparação com as outras que ouvimos ontem, é apenas mediana), mas a verdade é que a letra da canção ucraniana se pode aplicar a qualquer situação de conflito em que uns se superiorizam e humilham outros: "1944" poderia ser "1939", "1956", "1968", "1991" e tantas mais datas - infelizmente! Recordo também aqui a letra da canção jugoslava de 1974. Uma coisa seria um texto panfletário, outra a preocupação de se ir além de "tic tocs", "shines" e 2dreams come true".

    ResponderEliminar
  21. Anónimo00:39

    LOL boicote por parte dos Russos?? Mas a quem é que vão fazer falta? Sim porque a Russia é o pais mais ODIADO na Eurovisão ou pensam que são mais que outro pais ou "indispensáveis"??? LOOL ja vão TARDE.

    ResponderEliminar
  22. chora na cantareira Rússia :-)

    ResponderEliminar
  23. mimimimi de quem não aceita perder. aceita que dói menos Rússia, sua canção e apresentação não era grande coisa pra tal pirraça. 3° lugar foi até bom

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top