Conchita Wurst está em Portugal como convidada da conferência "Os Direitos Humanos e os Desafios do Século XXI - Globalizar a Dignidade", que decorre na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. O ESCPORTUGAL acompanha a iniciativa e traz-lhe o relato em direto.  

Conchita Wurst, vencedora do Eurovision Song Contest 2014, está de regresso a Lisboa como oradora da conferência "Os Direitos Humanos e os Desafios do Século XXI: Globalizar a Dignidade", que decorre neste momento na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

A intervenção de Conchita Wurst integra o painel "Direitos Identitários e Individuais" que inclui três intervenções: "Identidade feminina e identidade cultural - convergências e conflitos" por Maria Luísa Ribeiro Ferreira (escritora, professora universitária de Filosofia); "Vanguardas ou párias. Disputas globais contemporâneas em torno dos direitos LGBT como direitos humanos" por Miguel Vale de Almeida (antropólogo, ativista LGBT e professor universitário); e "Um testemunho" por Conchita Wurst (cantora; vencedora do Festival Eurovisão da Canção de 2014; porta-voz dos direitos LGBT).

Este painel irá decorrer das 15.00 às 16.15 horas. Das 16h15 às 16h40 decorrerá um debate moderado pela jornalista da SIC Conceição Lino.

A conferência teve o seu início no final do dia de ontem, prolongando-se ao longo de toda esta terça-feira.  Inclui oradores diversos como Jorge Sampaio (antigo Presidente da República), Christian Felber (ativista político), Delphine K. Djiraibe (advogada e co-fundadora da Associação do Chade para a Promoção e Defesa dos Direitos Humanos), Kerry Kennedy (escritora, presidente da Robert F. Kennedy Human Rights e membro dos CA do U.S. Institute of Peace e da Human Rights First), Francisco Ferreira (presidente da ZERO) e Susana Gaspar (presidente da Amnistia Internacional).

15.00: Conchita Wurst chega ao auditório 2 acompanhada pela jornalista Conceição Lino.


15.10: A primeira intervenção pertence a Maria Luísa Ribeiro Ferreira, sobre a identidade feminina e a identidade cultural, intervenção que terá uma duração de 20 minutos. A intervenção de Conchita Wurst está prevista para as 15.50 horas.


15.32: Miguel Vale de Almeida inicia a sua intervenção. Os direitos LGBT como direitos humanos são o tópico da intervenção do antropólogo.


15.58: Conceição Lino começa por fazer algumas perguntas a Conchita Wurst. Acompanhe em direto AQUI e AQUI.

A intervenção da cantora austríaca terá como base um conjunto de questões colocadas pela jornalista da SIC. Conchita começa por agradecer o convite por se sentir honrada por estar em Portugal para debater esta temática. Em resposta à primeira pergunta, Conchita afirma que se sentiu descriminado, pela primeira vez, em pequeno, ainda como Tom, mas depressa sentiu que era a sociedade, que não o aceitava, que estava errada. Questionada sobre o facto de poder "dar mais nas vistas pelo aspeto" do que por aquilo que está a dizer ou a cantar, Conchita responde: "Gosto daquele momento de confundir as pessoas, porque as fará pensar, abrir mentes! Há pessoas que, depois de falarem comigo, dizem-me. 'Ah, afinal não és estupido!' Toda a gente pode mudar as opiniões e isso satisfaz-me."


Sobre a Eurovisão, Conchita afirma que, antes da sua vitória, a Áustria estava a leste do concurso e de si, como artista. "Ninguém queria saber de mim, a Eurovisão ajudou-me muito nesse aspeto".

Conchita reconhece que gosta de falar na temática dos direitos LGBT, mas confessa que preferia que isto não fosse assunto, porque deveria ser natural. "Eu tive de aprender muita coisa, porque sou simplesmente uma cantora pop".

Sobre a sua orientação sexual, "tive de ser paciente quando falei sobre isso com os meus pais... mas também tenho de compreender que eles não têm de entender tudo num instante".

"As pessoas vivendo perto do mar, são mais abertas, mais «open minded»", começa por afirmar quando convidada para falar da sua avó, que viveu em Lisboa na sua infância. Foi a sua avó que ajudou Conchita, ainda como Tom, "a sair do armário".


Conchita reconheceu ser, por vezes, difícil ser abordada por muitos jovens, em lágrimas, e que já quiserem cometer o suicídio. "Lembro-me daquilo que os meus pais me ensinaram: «Tens de acreditar que o amor te irá encontrar»", diz-lhes muitas vezes.

Conceição Lino recordou todos os comentários e atitudes que ocorreram na Rússia aquando da vitória na Eurovisão 2014. "Se eu sou tão relevante nas suas vidas... só tenho de dizer: Obrigado!", retorquiu Conchita, seguida de uma gargalhada coletiva da plateia.

"Teremos de trabalhar duro para globalizar a dignidade", concluiu Conceição Lino. "Não me cansarei de dar a opinião e de defender o que eu acredito ser justo", sublinhou Conchita.

16.16: O auditório da Fundação Calouste Gulbenkian está cheio. Segue-se uma ronda de perguntas do público.


"46% das vítimas de discriminação não apresentam queixa", afirmou um dos assistentes. Outra intervenção focou-se no facto da homossexualidade estar inserida numa conferencia sobre direitos humanos. "Não devia ser necessário, deveria ser normal e natural tal como o é a heterossexualidade".

"Porque será assim tão difícil, para muitas pessoas, aceitar simplesmente que os outros devem ser aquilo que são, aquilo que querem ser", foi a mais recente pergunta de uma pessoa do público. "A sociedade tende a moldar os outros", reconheceu Maria Luísa Ferreira.

16.46: A conferência terminou. Foi um prazer ter estado com os nossos leitores durante estas duas horas. Esperamos que tenha sido do vosso agrado.

Pode ver ou rever os dois vídeos gravados em direto, sem qualquer edição, AQUI e AQUI.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte/Imagens/Vídeo: ESCPORTUGAL

11 comentário(s):

  1. parabéns Conchita. Não a homofobia! Aqui no Brasil precisa urgentemente de uma conferência dessas no nosso Congresso Nacional e no país todo...

    ResponderEliminar
  2. parabéns Conchita. Não a homofobia! Aqui no Brasil precisa urgentemente de uma conferência dessas no nosso Congresso Nacional e no país todo...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:04

    Quando põe aquela notícia a dizer onde se pode ver a 1ªsemifinal?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo16:40

    Estou a AMAR assistir a esta conferencia atraves do vosso video em directo. Obrigada

    ResponderEliminar
  5. Ricardo Alves16:45

    A Conchita é uma senhora, sabe o que diz

    ResponderEliminar
  6. Anónimo16:49

    Excelente!! Bravo Conchita

    ResponderEliminar
  7. Anónimo21:49

    Obrigada escportugal por terem estado presentes

    ResponderEliminar
  8. Rui Ramos09:14

    Conchita ser reconhecida pelo meio academico em Portugal é mto bom.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo23:01

    Por acaso não sabem se (e quando) é que vão voltar a decorrer este tipo de eventos por cá? Gostava de ver a Conchita presente em conferências deste género.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro leitor das 23.01: Neste momento, não está prevista qualquer participação de Conchita Wurst em Portugal. Na nossa Agenda, presente na coluna à direita do ecrã, atualizamos diariamente os eventos em cartaz.

      Eliminar
    2. Anónimo23:20

      Obrigada pela rapida resposta :)

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top