A organização do Festival Eurovisão da Canção de 2016 decidiu proibir o uso de qualquer bandeira regional ou local dentro da Globen Arena. Os bascos não gostaram de ver a sua bandeira comparada à do auto-proclamado Estado Islâmico.


A organização do Eurovision Song Contest 2016 elaborou um documento onde constam as bandeiras proibidas de entrar no recinto do evento, a Globen Arena. Entre as bandeiras proibidas encontram-se, por exemplo, a do auto-proclamado Estado Islâmico e a da região basca, em Espanha. Este facto gerou uma onda de contestação e o presidente do governo basco chegou mesmo a pedir a retirada de Espanha do certame europeu.

A TVE não parece ter acedido ao pedido do chefe de governo basco mas emitiu um comunicado onde pede explicações à União Europeia de Radiodifusão e exige a retirada da ikurriña, nome pelo qual é conhecida a bandeira basca, da lista das bandeiras proibidas. O ministro espanhol do Exterior, José Manuel García-Margallo, pediu uma retificação urgente desta situação e afirmou ser intolerável um ataque destes a um símbolo constitucional.

Recorde que a UER lançou ontem um documento onde proíbe o uso de todas as bandeiras regionais e locais dentro da Globen Arena. Para dar o exemplo, o organismo recorreu a 9 bandeiras: a da região basca, Kosovo, auto-proclamado Estado Islâmico, Palestina, Chipre do Norte, Nagorno-Karabach, Crimeia, República Popular de Donetsk e Transnistria. 


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte e Imagem: El País

8 comentário(s):

  1. Mais uma vez a Suecia a armar-se em arenque de corrida...next!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13:48

    Este ano são polémicas atrás de polémicas... Parabéns Suécia e EBU...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:02

    Ja agora tbm tiram as bandeiras lgbt nao??? Os outros e que sao injustiçados.... Ainda por cima no ano em qie o slogan e come together..... Vergonha SVT

    ResponderEliminar
  4. Nuno16:25

    Só Política. E ainda dizem que o Esc é um concurso Apolítico. LOl

    ResponderEliminar
  5. Anónimo20:17

    Por acaso nunca lembrei da ideia de ver a bandeira do Estado Islâmico na Eurovisão.
    Ainda bem que não baniram a bandeira de Portugal xD!
    Portugueses (ou não), caso forem assistirem a Eurovisão em Estocolmo, façam-me o favor de erguer os vossos braços com a bandeira de Portugal!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:31

    Aliás, todas as bandeiras nacionais deveriam ser banidas. As canções representam as televisões não os países. E na União Europeia nem se justificam as bandeiras nacionais. Mas que treta de bandeirismo bairrista de outros tempos. Um telespectador quer ver o espectáculo e só vê bandeiras nas mãos de parvos que pensam que não conhecemos bandeiras e que votamos porque as deles esvoaçam mais alto. Que ridículo!

    ResponderEliminar
  7. Eu - Oh Zé?
    Zé - Que foi?
    Eu - Olha, tu vais ao ESC este ano?´
    Zé - A tecla do teclado?
    Eu - Não, a Eurovisão, oh Palhaço!
    Zé - Ah, sim, vou, porquê?
    Eu - É só para te dizer que se levares a bandeira com o brasão de Loures, poderás ter eventualmente consequências!
    Zé - Porquê?
    Eu - Porque os príncipes da Globe Arena andaram a beber de mais na tasca do Sr. Fernando...
    Zé - Na Fernandaria não se pode exagerar...
    Eu - Bem, arranjamos uma bandeira do Estados Federados da Micronésia e toca a andar!
    Zé - Realmente, era bom por a Suécia confusa...
    Eu - #EurovisionForLife
    Zé - #SVTForLife

    ResponderEliminar
  8. Anónimo01:10

    Esta noticia também têm haver com os tamanhos permitidos das bandeiras este ano por causa desse inconveniente que é estar a ver o ESC na Tv e de repente num plano de câmara levarmos com uma bandeira a tapar tudo xD

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top