[AO VIVO] Conan Osíris levou os ritmos futurísticos a Braga

Num Theatro Circo quase cheio não houve quem ficasse indiferente aos ritmos futurísticos de Conan Osíris. O ESCPORTUGAL esteve lá e conta-lhe como foi o concerto.


O Theatro Circo, bem no centro de Braga, recebeu o último concerto da era "Adoro Bolos" de Conan Osíris. O rapaz do futuro, como é designado, levou os seus ritmos até à cidade nortenha e, mais uma vez, não deixou ninguém indiferente.

Foi uma sala praticamente repleta de espetadores de todos os quadrantes aquela a que assistiu a este concerto. A primeira música da noite foi um dos seus maiores êxitos: "100 Paciência". De imediato a reação do público foi notória com toda a gente a abandonar as suas cadeiras e a preferir dançarem, tal como a música convida. "Borrego" e "Adoro Bolos" foram também dois dos temas que mais entusiasmo geraram no público mas "Titanique" foi um dos momentos altos da noite. Os ritmos do "Malhão" puseram a audiência a bater palmas e a dançar sincronizadamente numa breve viagem aos ritmos mais tradicionais. 





Neste concerto, Conan fez-se acompanhar do bailarino Guilherme Leal. João Moreira, o seu habitual companheiro, estava lesionado mas não deixou de marcar presença no final, em palco, ainda que de muletas. Para além de Guilherme Leal, estiveram também em palco o grupo Bolo de Arroz, o flautista bansuri Sunil Pariyar e o tocador do instrumento tradicional chinês ehru Cheong. 

Num dos momentos mais intimistas da noite, Conan Osiris decidiu prestar homenagem a Gabriela, mulher bracarense que foi morta pelo marido em mais um caso de violência doméstica que chocou a cidade. O público fez-se ouvir numa salva de palmas e cantar "Amália":

"Tu sabes que a saudade bate forte
Bate bem mais forte que a sorte
Tu sabes que a saudade anda aos beijos com a morte
Sabes que a saudade anda aos beijos com a morte"




O concerto fechou com "Telemóveis", a canção que levou Conan Osíris ao estrelato no último ano. Mas o cantor não ficou por aqui e viu-se obrigado a voltar ao palco mais duas vezes. A primeira para cantar "Clitóris", após forte insistência do público e diretamente do Spotify pois o momento não estava planeado, e depois novamente "Pró Baralho". 




Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte e Imagens: ESCPORTUGAL

3 comentários:

  1. Luis Andre Santos20:23

    "Telemóveis" foi considerada a canção nacional do ano, pelo site da "Comunidade Cultura e Arte" e Conan Osíris a figura do ano, pelo site "Espalha Factos".

    ResponderEliminar
  2. Anónimo23:36

    Pelas fotos, o espectáculo em Braga foi parecido com o do Coliseu

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:38

    Ele só cantou estas músicas?

    ResponderEliminar