[ZONA DE DISCOS #112] Lena - "Only Love, L"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. 
Esta semana, a análise recai no mais recente disco de Lena.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.


Lançamento: 05 de abril  de 2019 / Re-edição a 06 de dezembro de 2019
Nota: 6/10
É até ao momento o parto mais difícil da irreverente Lena Meyer-Landrut. Depois de várias datas previstas e de alguns singles que acabaram por não fazer parte do alinhamento final, “Only Love, L”, o novo álbum, lançado a 5 de abril de 2019, representa o final de um hiatos de 4 anos – o mais longo até ao presente -, que teve início após o lançamento de “Crystal Sky”, em maio de 2015. A verdade é que Lena nunca desapareceu do cruel universo pop e alguns singles foram-lhe permitindo marcar presença nas diversas plataformas musicais.
A verdade é que “Only Love, L” era verdadeiramente aguardado como comprovam os números: #2 na tabela de álbuns alemã, contabilizando um total de 18 semanas de permanência; #4 na tabela de álbuns austríaca, contabilizando um total de 10 semanas entre os discos mais vendidos. Para além disso, o álbum permitiu-lhe regressar ao top 20 da Suiça, o primeiro desde 2011.
“Only Love, L” promete assim aumentar a lista infindável de prémios que Lena tem vindo a acumular desde 2010, quase 10 anos (!). No entanto, a demora e adiamentos para este novo conjunto de canções poderão indicar alguma indecisão no que concerne ao trilho sonoro que devia ser adotado. Se é verdade que Lena sempre foi sinónimo de um reportório pop contemporâneo, desde “Satellite”, “Only Love, L” permanece fiel a este princípio e o primeiro single, “Thank you”, apesar de ter a assinatura do coletivo Beatgees na produção – que já haviam colaborado com Lena em 2015 – permite-lhe entrar (ou permanecer?) no enorme e homogéneo mundo de produções à Ed Sheeran. É a pop atual de 2019 que por ser proveniente da Alemanha reveste-se de um mero pormenor, havendo ainda muito espaço temporal para transpor Lena para o universo verdadeiramente internacional.
Se “Thank You” até se torna memorável com repetições, o disco, no total, reves-te, numa primeira audição, com poucos atributos que o façam distinguir de outras mil e uma ofertas semelhantes, andando pelo universo dançante de Chainsmokers e Ed Sheeran. Mas há temas que se destacam, desde “Sex in the morning” que faz relembrar o distante “MTV HOT” da MTV Europe dos anos 90, ou as agradáveis “Note to myself” e “Private Thoughts”. O ponto alto será, sem dúvida, “Love”, atual single e uma das nossas recomendações de “Only Love, L”.
Depois do sucesso comercial do novo álbum, Lena não parou e lançou, no final de agosto, “Better”, em dueto com Nico Santos, permitindo-lhe, desde já, o maior sucesso na tabela de singles alemã desde 2015, repetindo-se o mesmo cenário na Áustria. O sucesso do novo single é o mote para uma re-edição do álbum prevista para 6 de dezembro.
Temas promocionais
Thank You

Don’t lie to me

Love

 

Temas destacados por Carlos Carvalho

“Scared”, “Love” e “Stuck Inside”


Alinhamento
Dear L
Thank you
Private Thoughts
Scared
Life was a beach
Sex in the morning
Note to mysell
Love
Don’t lie to me
Stuck inside
Skinny bitch
Boundaries
Ok


A ver

Lena - Dear L (Live NDR 2 Soundcheck Festival)


Pode ouvir o disco AQUI.
Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários