[ZONA DE DISCOS #97] Lena d'Água - "Desalmadamente"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. 
Esta semana, a análise recai em "Desalmadamente", o novo álbum de Lena d'Água.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.


Lançamento: 10 de maio de 2019
Nota: 8,5/10
“Nuclear Não, Obrigado”, “Demagogia” e, obviamente, “Sempre Que O Amor Me Quiser” são temas que sobreviveram ao teste do tempo e imortalizaram Lena d’Água. Beleza, voz, talento que, a partir dos anos 90, desapareceu do campo mediático e pouco ou nada se ouviu falar. Culpa da própria, de um sistema que nos ultrapassa ou de ambos, não sabemos ao certo, mas a verdade é que foram vários os sinais que Lena d’Água foi dando nos últimos anos que queria regressar ao grande público. O primeiro passo foi dado no Festival da Canção 2017, com "Nunca Me Fui Embora", um dos temas mais fracos a concurso, que provavelmente não merecia a final mas que apresentou um facto incontornável, a voz de Lena d’Água estava imune à passagem do tempo! Tinha de haver oportunidade a um novo reportório e a primeira boa-nova deu-se com “Electrifciados” (2018), principal tema da série de ficção da autoria de Nuno Markl, “1986” (vale a pena ver!), e, um ano depois, eis o tão esperado novo disco: “Desalmadamente”.
“Desalmadamente” não é um trabalho de mutação, mas sim um disco revestido por um inteligente sistema de actualização e servido por um timbre jovial que irá funcionar em simultâneo como nostalgia (para os admiradores de sempre) e descoberta agradável (para o público mais jovem). Uma nostalgia e uma descoberta que, para além de sincrónicas, estão accionadas no tempo presente. Um disco assumidamente 2019 que conta com a colaboração de, por exemplo, João Correia, António Vasconcelos Dias  e Benjamim.
No novo disco há ‘know how’ assumido, irreverência e até o arcar de algumas inseguranças em modo interrogativo. “Opá”, o tema de abertura, é dream pop, um ambiente pouco explorado na discografia lusa. “Enquanto assim for” (#2) assume contornos indie e os temas que se seguem,  “Queda para voar”(#3) e “Minutos” (#4), vivem sobretudo das letras, a primeira, em registo alegre, relata os percalços da vida de palco e, a segunda, as interrogações que surgem num artista momentos antes de pisar o esse mesmo palco. A partir do “Hipocampo” (#5) – tema leve e com toque a verão assente num jogo de palavras –, “Desalmadamente” entra na sua melhor parte, existindo uma comunhão quase perfeita entre música e letra. “Grande festa” (#6) – o primeiro single – é irreverência pura; “Voltas trocadas” (#7) visita ambientes indie e alternativos e “Formatada” (#8), numa letra que lembra muito Carlos Paião,  oferece-nos um dos pontos altos do disco. Um novo álbum que, sem grandes cerimónias, é uma grande celebração de um nome que fecha o atual registo com dois grandes momentos, o tema título “Desalmadamente” (#9) e o simpático “Bem que vos avisei” (#10).
Sem exageros e artes adivinhatórias – embora com toda a legitimidade para desacordos – estamos perante um disco que, sem dúvida, foi do melhor que apareceu no mercado português na primeira metade de 2019 e que, com toda a certeza, irá figurar nas listas do melhor do ano (que irão aparecer a partir de meados de novembro). Mas há ainda muito trabalho a ser feito, principalmente em termos promocionais de modo a não relegar, a médio prazo, este “Desalmadamente” à categoria dos esquecíveis. Para já, o disco está num bom caminho para isto não acontecer, com 7 semanas no top nacional de vendas, teve entrada direta para o #2 logo após o seu lançamento.

Vídeos e temas promocionais
Grande festa

Hipocampo


Alinhamento
Opá
Enquanto assim for
Queda para voar
Minutos
Hipocampo
Grande festa
Voltas trocadas
Formatada
Desalmadamente
Bem que vos avisei


Temas destacados por Carlos Carvalho: “Opá” e “Hipocampo”


A ver: Lena d'Água - Hipocampo | Ao Vivo na Antena 3 | Antena 3


Pode ouvir o disco AQUI.
Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

1 comentário:

  1. Anónimo17:50

    Curiosidade:

    Pedro da Silva Martins é o compositor e produtor do álbum "Desalmadamente" e foi graças ao convite realizado pela RTP em 2017 para o festival da canção que ele colaborou pela primeira vez com a Lena D'Água.

    Tenho só a lamentar que a música apresentada em 2017 não teve a qualidade e alegria que as músicas deste álbum têm

    ResponderEliminar