[OPINIÃO] Deverá a Islândia ser penalizada pelo protesto dos Hatari?


O protesto dos Hatari durante a votação do Festival Eurovisão 2019 foi um dos momentos mais mediáticos da última edição do concurso. Deverá a Islândia ser penalizada pela EBU/UER? Conheça a opinião dos leitores do ESCPORTUGAL.

Desde a sua escolha na final nacional que o grupo Hatari havia prometido utilizar a sua participação no Festival Eurovisão 2019 para apelar à causa palestiniana. Com as regras da EBU/UER a proibirem qualquer conteúdo político durante a transmissão eurovisiva, o grupo esperou pela revelação da sua votação no televoto para levantarem várias bandeiras da Palestina, tornando-se num dos momentos mais mediáticos da transmissão.

Depois da transmissão, a EBU/UER reagiu à polémica com um pequeno comunicado revelado pela BBC, onde garante que "as consequências dessa ação serão discutidas pelo conselho executivo do evento", relembrando que o grupo já havia sido notificado porque "tinha atingido o limite da tolerância da EBU/UER para o evento no que diz respeito às declarações políticas".

Apesar de ter sido garantido que os elementos da delegação não terem sido avisados das intenções do grupo, a emissora estatal da Islândia poderá sofrer sanções da União Europeia de Radiodifusão, podendo mesmo ficar de fora da próxima edição do Festival Eurovisão, visto que viola uma das regras do concurso: "nos espectáculos não são permitidas mensagens que promovam qualquer organização, instituição, causa política ou outra, empresa, marca, produtos ou serviços". 

Contudo, apesar das regras contemplarem esta sanção máxima, é pouco provável que tal venha a acontecer: em 2016, a delegação da Arménia festejou o apuramento com a bandeira de Nagorno-Karabakh, região disputada pela Arménia e pelo Azerbaijão, levando a protestos da comitiva azeri e a EBU/UER a ultimar a delegação do país, prometendo sanções após o concurso. No entanto, a ARMTV, emissora arménia, apenas levou uma sanção escrita pelo ato de Iveta, não tendo sido afastada do concurso nem sancionada financeiramente.

Quem também não concorda com as possíveis sanções da EBU/UER à emissora RÚV devido ao ato dos Hatari são os leitores do ESCPORTUGAL que deram a sua opinião através de uma votação colocada no Facebook. 73% dos mais de 400 votantes estão contra a possibilidade do país ser sancionado, contra 27% das pessoas a votar a favor. Também nos comentários, alguns seguidores defenderam a sua posição.



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv 

2 comentários:

  1. Anónimo20:51

    Sou totalmente a favor de a EBU penalizar as emissoras por irem contra as regras, o problema é que já o deviam estar a fazer há anos atrás.
    Se não a Netta não foi desclassificada por ter uma música que vai contra as regras de "originalidade" a Islândia também não deve ser penalizada pela bandeiras e, já agora, vão penalizar de alguma forma a Madonna?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo10:07

    Meus amigos, se há regras pré-estabelecidas e todos as conhecem e concordam com elas a partir do momento em que aceitam participar, só tem de aguentar as consequências. Tão simples como isso e vale para tudo e para todos
    E já agora Madona incluida

    ResponderEliminar