Suécia: Måns Zelmerlöw ambiciona regresso ao Festival Eurovisão


Måns Zelmerlöw, vencedor do Festival Eurovisão 2015, revelou que ambiciona igualar Johnny Logan no número de vitórias no concurso internacional.

Vencedor do Festival Eurovisão 2015 e apresentador da edição de 2016, o cantor sueco Måns Zelmerlöw está de regresso ao Eurovision Song Contest em 2019 para participar no interval act da Grande Final, ao lado de Eleni Foureira, Conchita Wurst, Verka Serduchka e Gali Atari. 

Em entrevista ao jornal britânico Metro, o artista manifestou-se animado com a sua participação em 2019: "Perguntaram há alguns meses e eu achei que era uma ideia brilhante. Ainda por cima, a canção que me calhou, "Fuego", era a minha favorita do ano passado e eu definitivamente poderia fazer uma óptima versão dela (...) Irei apresentar uma versão contemporânea de ritmo médio, sem dança e sem extensões de cabelo".

Questionado sobre um eventual regresso ao Festival Eurovisão, Måns Zelmerlöw garante que o seu objetivo é igualar Johnny Logan no número de vitórias no concurso: "Ah sim, claro que sim. O Johnny Logan ganhou duas vezes pela Irlanda e este é o meu objetivo. Um dia voltarei... mas não por agora".




 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Metro/ Imagem: Google / Vídeo: Youtube

6 comentários:

  1. Anónimo19:41

    Nunca gostei muito deste tipo...acho-o demasiado arrogante... Espero que participe outra vez...para verificar que não é mais que ninguem.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo20:31

    Johnny Logan foi um injusto vencedor, até vou mais longe, o vencedor mais injusto na história da Eurovisão. Em 1980 tinha e tem a pior canção desse ano, não só não devia ter ganho como devia ter ficado em último lugar (19º lugar) só com 2 ou 1 ponto. Em 1987 ainda é pior, pois a sua segunda canção ainda é mais horrível e também devia ter ficado em último com 0 pontos (22º lugar).
    Em 1992 como participou na Eurovisão como compositor e não como intérprete, esta canção também não é mar de rosas nenhum, também foi injusta a vitória, embora reconhecendo nesta um pouco de melhor qualidade em comparação com a de 1980 e 1987.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo20:36

    Christer Björkmann quer a todo o custo tornar-se o Jon Ola Sand da Eurovisão e mandar naquilo tudo ... para tentar esquecer o vergonhoso 22.º lugar obtido em casa em 1992. E a sétima vitória sueca para igualar a Irlanda não é mais do um desejo meramente egotistico sem fundamento ...
    Agora este Måns Zelmerlöw também não larga a "pilinha" eurovisiva com aparições por tudo e por nada ... ao ponto de querer tentar igual o Johnny Logan como se a vida dele dependesse disso ...
    Esta gente não tem carreiras e público? Ou são pseudo-reality-TV-stars que vivem na dependência da Eurovisão como um concorrente dependente de fama num reality show?

    ResponderEliminar
  4. José Luis22:30

    Adoro a musica dele e acho o Måns um querido, penso que será até uma das musicas da década...sobretudo quando comparamos com Alemanha 2010 e Ucrânia 2016, que ganharam a Eurovisão, a canção dele parece uma masterpiece por comparação!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:20

      A Ucrania em 2016 para mim foi uma masterpiece

      Eliminar
  5. O meu feeling diz-me que ele está a gozar com as perguntas. Até porque ele tem ar de inteligente.

    ResponderEliminar