Michael Rice: "Se fosse o Gary Barlow ou o Elton John também ficariam em último lugar"


O cantor Michael Rice, representante do Reino Unido em Telavive, culpou o Brexit pelo último lugar alcançado na competição: "Eu sempre soube que ficaria neste lugar por causa do Brexit".


O Reino Unido igualou, em Telavive, o seu pior resultado de sempre no Festival Eurovisão, terminando em 26.º (e último) lugar com apenas 16 pontos. Contudo, o resultado parece não ter surpreendido o cantor de "Bigger Than Us": "Eu sempre soube que ficaria neste lugar por causa do Brexit" afirmou o jovem, referindo que "se fosse o Gary Barlow ou o Elton John também ficariam em último lugar". No entanto, um mês antes da competição, o britânico descartara a possibilidade da saída do Reino Unido da União Europeia afetar a sua participação em Telavive: "É uma competição de música que une as pessoas. O Brexit não afetará nada".


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: TheSun/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

9 comentários:

  1. Anónimo13:10

    Alguém que avise este puto que está na hora de crescer um bocadinho

    ResponderEliminar
  2. O rapazinho tem a memória curta, mas sabe bem desabafar. Como alguém já disse "a culpa é sempre do outro" e enquanto assim for está-se bem.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:09

    A culpa não é do brexit mas também não merecia ficar em último se o John lundvik tivesse escolhido o "bigger than us" para ele certamente não ficaria tão mal classificado. O Michael Rice não esteve mal pelo contrário mas o trabalho da delegação não foi suficiente.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo15:18

    Se a canção fosse da Suécia não ficavas em último, de certeza. Ficavas bem mais acima

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16:33

    Ahaha continuem a culpar o BREXIT em vez de mandar boas musicas...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo16:44

    Culpa é da BBC que insiste em mandar musicas rejeitadas do melodifestivalen tendo em conta a enorme indústria musical do Reino Unido

    ResponderEliminar
  7. Anónimo18:47

    G. Barlow e E. John provavelmente cantariam melhor e teriam escrito a canção que fossem interpretar, sem pedirem a três suecos e uma canadiana para o fazerem. Quanto à política, existe no ESC (o caso Arménio-Azerbaijão é o mais flagrante), mas… Então, e a Itália, com um governo tão criticado em vários países europeus? E a Hungria (é certo que não chegou à final este ano, mas passou em vários anos consecutivos) que desde há quase uma década tem um primeiro-ministro que se opõe a quase tudo na UE? E a Alemanha terá mudado de política no ano passado, quando conseguiu um quarto lugar?

    ResponderEliminar
  8. Anónimo23:05

    Não merecia ultimo.

    ResponderEliminar
  9. Não ponho as mãos no fogo pelo Gary Barlow, mas o Elton John provavelmente não levaria para o ESC um produto em que não estivesse 100% convicto. E não, a Suécia não levaria esta canção — o John Ludvik teve a oportunidade e considerou que "Bigger Than Us" era o seu lado B para 2019, caso contrário dava ele o corpo ao manifesto.

    ResponderEliminar