[ESPECIAL] Curiosidades sobre a semifinal 2 do Festival Eurovisão 2019


Dezoito disputam, esta noite, a segunda semifinal do Festival Eurovisão 2019. O ESCPORTUGAL recolheu algumas curiosidades da gala desta noite.

A Albânia é o único país a concurso na semifinal 2 que não utilizará o inglês, defendendo a sua canção integralmente em albanês. As restantes dezassete canções cantam integralmente ou parcialmente em inglês: a Dinamarca canta em inglês e francês, com a canção a ter algumas palavras em alemão e dinamarquês; a Croácia canta em inglês e croata e a Noruega canta em inglês com alguns excerto em sami.


Além da Albânia, Irlanda e Malta são os únicos países que cantam integralmente nas suas línguas nativas.


Dos dezassete países a concurso, nove marcaram presença na última Grande Final do Festival Eurovisão, com destaque para a Suécia, país que está há mais tempo sem falhar o apuramento para a Grande Final: a única vez que o país ficou de fora foi em 2010.


Esta é a primeira participação do Azerbaijão, Roménia e Rússia depois de terem ficado de fora da Grande Final do Festival Eurovisão 2018.


De entre os países que falharam presença na Final de Lisboa, a Macedónia do Norte é o país que está fora da Grande Final há mais tempo: a última presença aconteceu em 2012. Suíça apurou-se em 2014, Letónia, Malta e Rússia disputaram a última Final em 2016, enquanto Arménia, Roménia, Croácia e Azerbaijão estiveram na Grande Final de Kiev.


Sergey Lazarev, terceiro classificado no Festival Eurovisão 2016, está de regresso ao concurso em representação da Rússia. Esta é a segunda vez que o país aposta num cantor repetente: Dima Bilan foi o único cantor a representar a Rússia por duas ocasiões, terminando em segundo lugar em 2006 e vencendo a edição de 2008.


Onze anos depois de ter representado a ARJ Macedónia (agora denominada Macedónia do Norte), a cantora Tamara Todevksa está de regresso ao Festival Eurovisão. Backing singer das atuações de Toše Proeski e Tijana Dapčević (sua irmã) em 2004 e 2014, respetivamente, a cantora esteve na semifinal de 2008 ao lado de Vrčak & Adrian, tendo ficado de fora da Grande Final por decisão do júri.


Também Jurij Veklenko está de regresso ao Festival Eurovisão. O cantor da Lituânia foi backing singer das participações do país em 2013 e 2015.


Jacques Houdek, representante da Croácia no Festival Eurovisão 2017, está de regresso ao concurso enquanto compositor de "The Dream", sendo também backing singer de Roko em Telavive.


Destiny Chukunyere, vencedora do Festival Eurovisão Júnior de 2015, integra a comitiva de Malta no Festival Eurovisão 2019 enquanto backing singer. Esta é a segunda vez que uma vencedora da versão infantil atua na competição: as Tolmachevy Sisters venceram em 2006 e representaram a Rússia em 2014.


A Noruega será representada pelo grupo KEiiNO e "Spirit in the Sky", canção que é interpretada parcialmente em Sami. A última vez que a língua marcou presença no concurso foi em 1980 quando Sverre Kjelsberg & Mattis Hætta defenderam "Sámiid ædnan".


A artista plástica Kseniya Simonova está de regresso ao Festival Eurovisão. Depois de ter integrado a comitiva da Ucrânia em 2011 onde fez desenhos em areia, a artista ucraniana volta a ser a responsável pelas imagens de palco, sendo que desta vez utilizará neve para a atuação da Moldávia. Recentemente, a artista esteve a concurso no America’s Got Talent: The Champions, onde terminou em 3.º lugar.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL / Imagem/Vídeo: Eurovisiontv

Sem comentários