ESC2019: Membro da delegação da Estónia garante que foi "maltratado" no aeroporto


Liam Clark, porta-voz da delegação da Estónia no Festival Eurovisão 2019, garante que foi maltratado no aeroporto do país: "Fui interrogado por mais de uma hora e confiscaram o meu computador".


O australiano Liam Clark, porta-voz da delegação da Estónia no Festival Eurovisão 2019, revelou, em entrevista ao Channel 12, que foi maltratado no aeroporto Ben Gurion depois da competição internacional. "Nunca mais quero voltar a Israel. Fui interrogado por 70 minutos na sala de embarque, com uma tradução hebraica das minhas declarações, que não foram disponibilizadas na versão original, em inglês" começa por dizer Liam Clark, garantindo que o seu computador foi confiscado pelas autoridades portuárias, "Eles levaram-me para a área de segurança e revistaram-me as malas todas. Confiscaram-me o computador e só pararam o interrogatório na hora de embarque. Parecia que eles estavam chateados por eu ser australiano e estar a trabalhar na Estónia. Além disso, questionaram porque razão estava o nome da estação de televisão escrita em inglês nos documentos, mas na minha acreditação estava em estónio".

O porta-voz da delegação da Estónia garante que não foi o único a ser interrogado exaustivamente, referindo que soube de problemas com um jornalista de Malta. "Tivemos dos melhores dias das nossas vidas em Israel. Foi uma das edições em que mais me diverti: o clima, as pessoas, a comida... era tudo incrível. Mas passou de uma viagem maravilhosa para nunca mais querer regressar".

Por sua vez, a Autoridade de Aeroportos de Israel reagiu às declarações, garantindo que "foi descoberta uma suspeita no computador que exigiu uma verificação de segurança adicional para descartar qualquer risco para os passageiros", relembrando que "mais de 1200 convidados oficiais e não oficiais do Festival Eurovisão entraram e saíram de Israel em processos de segurança extra". Contudo, nos últimos meses, os procedimentos de segurança em Ben Gurion têm recebido inúmeras críticas de passageiros que dizem ter sido submetidos a tratamentos humilhantes.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: TimesOfIsrael/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

6 comentários:

  1. Anónimo14:34

    É bem feita. Queriam foguetes e o show de israel? entao eles deram-vos show, nao so em palco como fora dele. Agora aguentem.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:23

    "Parecia que eles estavam chateados por eu ser australiano e estar a trabalhar na Estónia...". Com certeza. Isso é uma coisa que chateia muita gente, e com razão...
    A estupidez não tem limites...

    ResponderEliminar
  3. Porta-voz da delegação da Estónia? Mas que diferença faz, dali à Austrália é só um pulinho.

    ResponderEliminar
  4. Israel foi uma autêntica desgraça. Muito show off para abafar muita coisa.
    Nenhuma delegação gostou do trabalho deles e provavelmente a EBU também não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:06

      Olha que já vi vários comentários a dizerem que Israel foi melhor, principalmente espanhóis😂😂a azia é tanta, o pessoal leva com a lavagem cerebral do show off e fast food, querem la saber de musica

      Eliminar
    2. Em relação aos telespectadores acredito que sim, até porque vêem o show mas não sabem o que se passou nos bastidores com as diversas delegações.

      Eliminar