ESC2019: Júri de Montenegro "arrasa" a Grécia na Grande Final do Festival Eurovisão


Há uma nova polémica em torno da votação no Festival Eurovisão 2019: o júri de Montenegro mudou drasticamente de opinião sobre a canção da Grécia da semifinal para a Final do evento.


Sucedem-se as polémicas em torno da votação do Festival Eurovisão 2019. Depois da polémica do júri da Bielorrússia e do possível "erro" do júri da Suécia, a nova polémica concentra-se na votação do júri de Montenegro na canção da Grécia. 

"Better Love", defendida por Katerine Duska, venceu a votação do júri do país na semifinal, com a pontuação máxima de Verica Čuljiković e Saša Barjaktarović. Contudo, na Grande Final, os dois jurados anteriormente mencionados, colocaram a Grécia na penúltima posição... apenas à frente de São Marino, a terceira classificada de Sasa na semifinal. 

Também Igor Perović colocou a Grécia em segundo lugar na semifinal (e São Marino em 3.º), enquanto na Grande Final, os dois países ocuparam as últimas posições da classificação. Deste modo, a Grécia ficou de fora dos pontuados do júri de Montenegro, terminando em 20.º lugar nas preferências, enquanto São Marino ficou em 19.º nas preferências da Final, depois de ter recebido os dez pontos na semifinal. 




Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL/ Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

17 comentários:

  1. Anónimo00:57

    Não acho que seja polémica, os jurados podem ter considerado que São Marino e a Grécia tiveram uma pior performance na final que na semifinal, também tendo em conta que haviam mais países para votar podem ter considerado os da semifinal e os big5 melhores que esses dois países

    ResponderEliminar
  2. Anónimo01:00

    Polémica é a música do Reino Unido ser plágio da música "Giving it all" da banda 10 Reasons.
    Parece que o John Lundvik foi um menino muito mau...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo02:15

      Os suecos tem provado ser mestres na arte do copy paste ... nao tendo aprendido nada com os ABBA que qd gravavam musicas colocavam no "lixo" as que se assemelhavam a outras já feitas. Os sueco reciclam tudo ... originalidade dá trabalho.

      Eliminar
    2. Anónimo02:31

      E a da Noruega ser uma mistura da Monsters e da Queens da Saara Aalto.

      Eliminar
    3. Anónimo04:06

      10 reasons? Procurei e nada. Deixem de inventar

      Eliminar
  3. Foi só para fazerem o jeito da Grécia psssar a final

    ResponderEliminar
  4. Anónimo07:54

    Na votação do júri português também há alterações de voto interessantes, que dariam a entender terem as canções e a sua apresentação mudado imenso da primeira semifinal para a final. Estes são só alguns exemplos: para Renato Jr. a canção da Austrália foi só a nona melhor da 1ª semifinal - na final passou a quarta melhor de todas; para Matay a canção de San Marino foi a quarta melhor de terça-feira - na final foi a penúltima de todas; para Ana Paulo a canção da Austrália nem merecia ter passado à final (pô-la em décimo-primeiro lugar) - no sábado notou-lhe tal melhoria que a colocou em quarto lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:16

      Não se esqueçam que a EBU alterou is critérios de votação para a final

      Eliminar
    2. Anónimo18:16

      12:16 - Desculpe, mas não alterou os critérios. Insistiu que os júris votassem no valor das canções, algo que o regulamento já prevê e que se espera o bom senso leve a cumprir (bom senso que nunca chega, por exemplo, à Arménia, ao Azerbaijão, à Grécia, a Chipre…). Em que é que a canção da Austrália melhorou de terça para sábado? Em que é que a atuação de São Marino piorou (o cantor - chamemos-lhe assim - até falhou menos notas na final…) - terão faltado dois ou três "na-na-nas"?

      Eliminar
  5. tudo isto me soa a uma grande palhaçada...
    Eu até concordo com a presença do Juri, uma vez que dilui bastante, embora não totalmente, os votos por vizinhança (tirando a relação obsessiva Grécia:Chipre)

    Mas estas coisas de juris a votarem ao contrário, ou estas diferenças da final para a semi-final cheiram a podre... e deveriam ser aprofundadas caso a caso pela EBU. É muito mais importante isto do que andar a discutir se mostrar uma bandeira é política ou não.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo11:30

    Se calhar também votaram ao contrário como a Lina da Suécia?

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:59

    O que me impressiona é o júri ter pontuado a canção de São Marino na semi...a começar pelo júri português. Tanta conversa sobre "a música é que interessa...2 a pontuam um cantor que desafina do princípio ao fim e sem voz nenhuma. Chamam a isto profissional???
    Isto para não falar na troca de pontos descarada entre Grécia/Chipre ou Rússia/Azerbeijão e como a Suécia foi, mais uma vez levada ao colo

    ResponderEliminar
  8. Anónimo12:02

    E falando em suecos: como é que duas canções escritas pelo mesmo autor um ganha a votação do júri e a outra fica no fim da lista??? Espera aí...parece que uma delas era a da Suécia.

    ResponderEliminar
  9. A Grécia foi o desafinanço total, a apresentação assemelha se a um lago cheio de patas amarelas a darem as asas. São marino, votar naquela música ????? Nem em sonhos. Aquilo era do pior. E dizem se júris profissionais, só se for da trampa.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo14:15

    Eu nao percebo. Continuo a cahar que havia um esquema nessa semifinal... O facto de Portugal nao receber pontos nenhuns e no entanto recebe 12 de Espanha e de Franca depois de se queixa r cheira me a esturro

    ResponderEliminar
  11. Anónimo18:25

    eu penso que as alterações podem realmente acontecer. A ordenação dos votos dos jurados acontece um dia antes do show que vemos em casa e a semifinal em momento diferente da final, pelo que a atuação dos artistas pode correr melhor ou pior num desses momentos e cada jurado percepciona-la de forma diferente. Também é normal os jurados pontuarem cantores que conhecem bem, pois se o Brasil concorresse era normal a troca de votos entre Portugal e Brasil.

    ResponderEliminar