ESC2019: Conheça Eduardo Lobo, o responsável pelos gráficos da atuação da Noruega


Eduardo Lobo tem 24 anos e nasceu no Brasil. A viver em Portugal há 7 meses, o jovem contou ao ESCPORTUGAL que está a "realizar o sonho de infância": ele é o responsável pelas imagens da atuação da Noruega em Telavive.


Foi no meio dos "últimos ajustes da iluminação" dos ensaios da Noruega que o ESCPORTUGAL esteve à conversa com Eduardo Lobo. Nascido em Vitória, no Espírito Santo (Brasil), Eduardo vive em Lisboa há sete meses: "Atualmente estudo, ou deveria estar estudando, Comércio e Negócios Internacionais no ISCAL" conta-nos, brincando que "neste momento já devo estar chumbado a todas as cadeiras". Contudo, a possibilidade de realizar o seu sonho de infância falou mais alto...

O desejo de "amadurecer pessoalmente" e o sentimento de "que o Brasil era o lugar adequado para mim" levou Eduardo Lobo a rumar a Lisboa, "logo que surgiu a oportunidade de estudar em Portugal, não pensei duas vezes e arrisquei-me a mudar de país". Mas foi do outro lado do Atlântico que apareceu a sua paixão pelo Festival Eurovisão: "A Eurovisão apareceu na minha vida após conhecer a canção da Agnes Carlsson e saber que ela participou no Melodifestivalen [Festival da Canção sueco] em 2009. Depois disso comecei logo a acompanhar".



No entanto, como um jovem estudante universitário chega ao palco do Festival Eurovisão? "Eu já tinha interesse em trabalhar na televisão e apaixonei-me pela Eurovisão nesse mesmo instante. Nos últimos cinco anos já trabalhava numa das emissoras da Rede Globo no Brasil" explicou, revelando que a experiência começou... em meados de Abril: "Eu fiz três lyric videos para canções deste ano da Eurovisão. Portugal, Grécia e Itália. Depois em Madrid, aquando da PreParty, conheci os KEiiNO [representantes da Noruega] e ficaram interessados nos meus trabalhos. Então o Tom Hugo, um dos cantores, convidou-me a fazer um lyric video para a versão deles do 'Shallow'".

Daí bastaram poucos dias para ser convidado a ser o responsável pelos grafismos de palco da atuação da Noruega, apesar do trabalho ser bastante intenso: "O trabalho em campo tem sido bem pesado, pois tivemos de trabalhar todo um novo conceito em poucos dias. O vídeo do segundo ensaio foi entregue poucas horas antes do mesmo... A única coisa que teve de ser alterada foi a questão da iluminação que eu, particularmente, não gosto muito do que há disponível no palco israelita." garantiu ao ESCPORTUGAL, "Aliás o palco israelita é um palco difícil de se trabalhar. Como é a minha primeira vez a fazer algo tão grande, só soube o que fazer depois de ver alguns dos ensaios".


Questionado sobre as expectativas dos resultados, Eduardo Lobo foi imediato: "Todos dizem que esta semifinal é a mais difícil, portanto não estou muito confiante na qualificação. As canções concorrentes são muito fortes e se passarmos... terei um enfarte". Sobre Portugal, o jovem lamentou que tenha falhado o apuramento: "«Telemóveis» é uma das minhas canções favoritas... está em segundo no meu top. A minha favorita é Itália, mas o stagging da mesma é pavoroso".

Depois de acompanhar o Festival Eurovisão presencialmente desde 2015, Eduardo foi questionado sobre o que esta Eurovisão tem de diferente das anteriores:"A diferença é que, infelizmente, mesmo não podendo transparecer e mesmo com a organização reafirmando a todo momento que não é um evento político, o clima mostra o contrário... Tenho amigos que não estão aqui por não conseguirem visto de entrada e a todo momento aparecem comentários políticos sobre o país, o que corta o clima de alegria caracteristico da Eurovisão. Contudo, para mim, acontece justamente o contrário: como é a minha primeira vez a trabalhar em algo para a Eurovisão, eu sinto que meu sonho de infância foi realizado."



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPortugal / Imagem: EduardoLobo / Vídeo: Eurovision.tv

3 comentários:

  1. Anónimo19:59

    Aqui está alguém que a rtp pode aproveitar para o FDC do próximo ano.

    ResponderEliminar
  2. Mandy23:21

    Eduardo foi um dos maiores divulgadores da Eurovision no Brasil, quando não se imaginava ter um representante do país dentro da "imprensa especializada". Acompanho o trabalho dele desde 2016 e estou muito feliz que esteja recolhendo os frutos de seu trabalho.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo00:58

    Fez um bom trabalho e compensou.

    ResponderEliminar